Aldeia Educativa de Francisco: no Dia do Professor, três ensinamentos do Papa sobre os Profissionais da Educação

Aldeia Educativa de Francisco: no Dia do Professor, três ensinamentos do Papa sobre os Profissionais da Educação

Papa Francisco (Vatican Media)

Neste dia 15 de outubro, celebramos o Dia do Professor, profissional fundamental para a sociedade e para a formação das futuras gerações. No Brasil, a comemoração recorda o ano de 1827, quando, nesta data, foi decretada a Lei do Ensino Elementar no país.

Mas, em meio a tantos desafios enfrentados pela educação, sobretudo por conta da pandemia e suas consequências, a data deve também gerar reflexões. Dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) mostram que cerca de 5 milhões de crianças e jovens brasileiros estão longe da Escola. Durante a pandemia, os índices cresceram em 5% para estudantes do Ensino Fundamental e 10% para o Ensino Médio.

Diante deste cenário, o papel do Professor ganha destaque e ainda mais importância. No entanto, ao longo de seu Pontificado, o Papa Francisco tem insistido que a responsabilidade pela educação não é restrita aos profissionais que atuam dentro de sala de aula, mas de toda a sociedade. A aldeia educativa, proposta no Pacto Educativo Global, insere famílias, Igreja, poder público e organizações como corresponsáveis pela Educação das futuras gerações, pautada por valores que colocam a pessoa humana no centro do processo educativo.

Papa aos Educadores

Abaixo, confira três pensamentos do Papa Francisco sobre os Educadores.

Os Professores são artesãos das gerações futuras – “Eles (Professores) são “artesãos” das gerações futuras. Com o seu saber, paciência e dedicação transmitem uma maneira de ser que se transforma em riqueza, não material, mas imaterial, criando o homem e a mulher do amanhã. Esta é uma grande responsabilidade. Portanto, no novo pacto educativo, a função dos professores, como agentes da educação, deve ser reconhecida e apoiada com todos os meios possíveis. Se o nosso objetivo é oferecer a cada indivíduo e a cada comunidade o nível e conhecimento necessários para ter sua própria autonomia e ser capaz de cooperar com os outros, é importante investir na formação dos educadores com os mais elevados padrões de qualidade, em todos os níveis acadêmicos”.

A Educação é um ato de amor – “A educação é, sobretudo, uma questão de amor e responsabilidade que se transmite, ao longo do tempo, de geração em geração. Por conseguinte, a educação apresenta-se como o antídoto natural à cultura individualista”.

Professores abertos à realidade – “Os professores são os primeiros que devem permanecer abertos à realidade (…), com a mente sempre aberta para aprender! Pois, se um professor não está aberto para aprender, não é um bom professor, e nem sequer é interessante; os jovens compreendem, farejam, e são atraídos pelos professores que têm um pensamento aberto, incompleto, que procuram um mais, e assim contagiam os estudantes com esta atitude. Eis um dos motivos pelos quais eu amo a escola”.

 

Leia mais sobre o Pacto Educativo Global!

Juventude no Pacto Educativo Global

Por uma Pastoral Juvenil empenhada a assumir o Pacto Educativo Global

 

Por Pedro Colatusso, da Redação Jovens Conectados

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email