Sínodo da Amazônia: Jovens como protagonistas da ecologia integral

Publicado em 8 de outubro de 2019 Por Seja o primeiro a comentar!

Durante a 2° Congregação-geral no Sínodo da Amazônia ocorreram as eleições dos membros da Comissão para a elaboração do documento final e da Comissão para a informação e foram discutidos temas como a proteção das águas subterrâneas contra as contaminações químicas derivantes da produção de multinacionais, os combustíveis fósseis e a questão climática.

Inspirados pelo Instrumentum Laboris, os padres sinodais tiveram espaço para pronunciamentos e, destacando também o Sínodo sobre a Juventude realizado em 2018, falaram sobre o protagonismo juvenil na ecologia integral, com o exemplo da jovem ativista sueca Greta Thunberg e da iniciativa “A greve pelo clima”.

A “opção pelos jovens” e a necessidade de dialogar com eles sobre temas da preservação da Criação foram evocadas várias vezes, além da necessidade de valorizar o empenho social juvenil, para impulsionar a Igreja a ser profética neste âmbito. O coração jovem quer construir um mundo melhor, porque a geração dos jovens representa uma Doutrina social em movimento. Mais do que as outras categorias, os jovens hoje sentem a exigência de estabelecer uma nova relação com a Criação, uma relação que não seja de tipo predatório, mas que esteja atenta aos sofrimentos do planeta. Por isso, o tema ambiental – com características também ecumênica e inter-religiosa – deve ser colhido pela Igreja como um desafio positivo, como uma exortação para dialogar com os jovens, ajudando-os no justo discernimento para que seu empenho para a preservação do meio ambiente não seja somente um slogan “verde e na moda”, mas se torne realmente uma questão de vida ou de morte, para o homem e para o planeta.

Momento de oração no Sínodo da Amazônia (Vatican Media).

O perfume da Santidade e os Jovens

Os trabalhos de terça-feira tiveram início, na presença do Santo Padre, com a oração da Hora Média. A reflexão foi proposta pelo arcebispo de Belém do Pará, Dom Alberto Taveira.

De acordo com o boletim emitido pela Sala de Imprensa da Santa Sé foi evidenciado também o exemplo luminoso dos mártires da Amazônia, como os dois servos de Deus mortos no Mato Grosso: o padre salesiano Rudolf Lunkenbein e o leigo Simão Cristino Koge Kudugodu.

Ente os assuntos debatidos esteve a conversão ecológica que é de fato, em primeiro plano, conversão à santidade. “Esta tem um poder enorme de atração entre os jovens, para os quais se pede uma pastoral renovada, mais dinâmica e atenta”.

Ainda de acordo com o boletim, foi pedido que sejam destacados, também nos meios de comunicação, os tantos testemunhos de bons sacerdotes e não apenas os escândalos existentes e que infelizmente ocupam tantas páginas dos jornais. Além disso, se pragas como a violência, droga, prostituição, desemprego e vazio existencial ameaçam as novas gerações, deve-se notar que não faltam exemplos positivos de tantos jovens católicos.

Com informações de Vatican News e Sala de Imprensa da Santa Sé.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais