Jovens participam da Caminhada Ecológica pelos caminhos do Imperador

Publicado em 7 de maio de 2019 Por Seja o primeiro a comentar!

A Caminhada Ecológica Franciscana, realizada dia 04/05, em Petrópolis-Paty dos Alferes (RJ), foi especial e comemorativa. Esta edição marcou o aniversário de 20 anos do evento. Desde o ano 2000, frades, irmãs, jovens e leigos percorrem pela Estrada do Facão, antigo caminho do Imperador, aproximadamente 15 quilômetros.

A Caminhada é promovida pela Ordem Franciscana Secular de Paty do Alferes, pela Paróquia do Sagrado Coração de Jesus e pelo Instituto Teológico Franciscano (ITF) de Petrópolis. Os participantes usaram camisetas confeccionadas especialmente para a Caminhada Ecológica. Com suas cores e artes, coloriram o caminho de terra arenosa, cercado por florestas nativas, rico em nascentes e animais.

Como de costume, já no Rocio, local do início da Caminhada, a oração da manhã preparada pelos frades estudantes e pelas irmãs franciscanas do Amparo, deu sentido e motivação para percorrer o caminho das Reservas Biológicas das Araras e do Tinguá.

Pequenas paradas, com reflexões curtas, fizeram parte do percurso. Na primeira pausa do trajeto, a reflexão ficou por conta do pároco Frei Jorge Paulo Schiavini. Com informações da revista do Instituto Histórico de Petrópolis,  Frei Jorge partiu do contexto histórico da região e destacou que desfrutar da exuberante natureza do Caminho do Imperador é, antes de mais nada, fazer uma viagem tempo.

“Tendo como raiz o Caminho Novo de Minas, aberto por Garcia Rodrigues Paes, o Caminho do Imperador servia como uma tosca ligação entre Paty do Alferes e Petrópolis, atravessando a Mata Atlântica e somente podendo ser percorrido a cavalo. No início do século 19 já eram conhecidas várias passagens que ligavam o Córrego Seco a Paty do Alferes, mas é de 1810 o primeiro documento que registra oficialmente o que viria a ser o futuro Caminho do Imperador”, informou o frade lembrando que a Reserva é rica em inúmeras espécies vegetais e animais.

Frei Ludovico Garmus, professor do ITF e um amante da causa ecológica, na segunda parada, refletiu sobre o crescente desmatamento e também sobre o Aquecimento Global. “Temos apenas 12 anos para parar com o Aquecimento Global. Depois disso, não existe mais retorno. Está na hora de sairmos da internet, que possui muita fantasia e perda de tempo, às vezes, e começar a observar a natureza. O Aquecimento Global está aí e o que nós podemos fazer? Estamos já na 20ª Caminhada, mas o que nós mudamos em nossa vida? É preciso começar a olhar ao nosso redor”, ressaltou o frade.

Após 7,5 km percorridos – três de subida e 4,5km de descida – os participantes de Petrópolis encontraram com os caminhantes das comunidades de Paty do Alferes. Neste local houve a partilha de um lanche, descanso e a última reflexão do dia. Um grupo de jovens encenou o encontro de São Francisco com o Sultão recordando o episódio com muita maestria.

Maria Lucia Jesus Barboza, Franciscana Secular da Fraternidade Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Paty dos Alferes, conta que a Caminhada surgiu no ano 2000 em comemoração aos dois mil anos de nascimento de Jesus Cristo e de 500 anos de presença franciscana no Brasil. Desde então, todo primeiro sábado do mês de maio acontece a Caminhada Ecológica Franciscana.

“Assim, chegamos a 20 anos de Caminhada com união e partilha, com diversos segmentos sociais e irmãos de outras denominações religiosas participando. Nisto tudo, percebemos cada vez mais que tem sido proveitoso e com excelente adesão do público”, revela.

Para ela, a Caminhada revela a maturidade do leigo. Leigos que assumem o compromisso e caminham com respeito à natureza, aos animais, às pessoas que passam por nós. “Isto é louvar a Deus, isto é louvar este belo santuário em meio à natureza”, sublinha.

Maria Lucia destacou que a semente da Caminhada Ecológica foi regada, cuidada e que neste ano completa 20 anos. Fazendo um paralelo a isso, cada participante ganhou sementes da árvore Ipê e recebeu o desafio de plantar e cultivar. Recordando o primeiro tema do evento que foi: ‘O cântico das Criaturas pelos caminhos do Imperador’, Maria ressalta que as criaturas continuam até hoje caminhando. “E, vamos renovar sempre este compromisso por mais 20 anos, para que outras gerações possam usufruir da beleza deste lugar”, garantiu.

Por fim, com um bolo simbólico, estampado com fotografias de edições anteriores, o grupo que participou desde a 1ª edição da caminhada até a 20ª, cantou os parabéns, encerrando o evento com festa, alegria e esperança.

Por: Frei Augusto Luiz Gabriel  – OFM.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais