Jovens do Brasil trazem experiências efetivas ao Sínodo

Publicado em 16 de outubro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

Ao iniciar a terceira e conclusiva fase do Sínodo dos Bispos no Vaticano, direcionada à ação, também começam a ser alinhavadas as orientações concretas em vista de um trabalho mais efetivo em relação à juventude. Uma etapa que não é considerada fácil para os Padres Sinodais devido às diferentes realidades dos jovens no mundo e às diversas maneiras de se trabalhar com eles.

Dom Eduardo Pinheiro, bispo de Jaboticabal/SP e ex-presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, que participa da Assembleia que começou no início de outubro, aborda a experiência brasileira nesta etapa do Sínodo.

“No Brasil, enquanto trabalho com juventude, a gente traz esse empenho e esforço para que a juventude não seja uma opção somente afetiva, mas efetiva. São referenciais, documentos, experiências missionárias, falando da vocação e da evangelização da juventude; uma das grandes contribuições é de um jovem concretizado na sua realidade, na sua dor e no sofrimento que uma grande parte passa, no mundo todo, que não é só brasileira. Dificuldades da fome, do desemprego e, atualmente, a grande pressão social e cultural. E a Igreja do Brasil tem dado tentativa de respostas efetivas à juventude para repercutir nas dioceses, lá na base.”

Dom Eduardo finaliza afirmando que, apesar do esforço da Igreja em falar aos tempos atuais através dos jovens, ela não sabe dar todas as respostas. A Igreja, porém, acrescenta o bispo brasileiro, “já fez a opção pela juventude no seu coração e na maneira de perceber como é fundamental abraçar essa causa para que o Evangelho seja entendido na realidade atual e para o próprio dinamismo da Igreja que precisa se atualizar”.

por Silvonei José e Andressa Collet – Vatican News

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais