Testemunho Vocacional: jovem e feliz por viver a loucura da cruz

No último dia 17 de abril, 4º Domingo da Páscoa, a Igreja celebrou o Domingo do Pastor, quando se comemora também o Dia Mundial de Oração pelas Vocações.

E para continuarmos em oração e incentivo às vocações, o Jovens Conectados lança, nesta semana, a série especial “Vocacionado! eu?!”, trazendo testemunhos de jovens que disseram SIM ao chamado de Deus. Começamos com a história vocacional do Rodrigo Santos, que se diz feliz por viver a “loucura” da cruz.

Banner-Série-Vocacional-Jconectados---Rodrigo-Santo_Comunidade-Católica-Novo-ardor

 

Meu nome é Rodrigo de Souza Santos, tenho 21 anos, e atualmente estou fazendo a Experiência Missionária de Vida (quinto ano do caminho vocacional da Comunidade Católica de Vida e Aliança Novo Ardor – CCNAr). Estou aqui para partilhar com você um pouco da experiência que vivi ao longo da minha descoberta vocacional.

Em 2009, recebi o sacramento da Crisma e, ao contrário do que acontece com a maioria dos jovens, eu não fui embora da Igreja. Algumas semanas depois, já estava participando dos grupos jovens da paróquia e comecei a estudar com mais dedicação o violão, porque eu queria tocar na Missa.

Meu primeiro contato com a Comunidade foi no ano de 2010, durante o retiro de formação de catequistas. Neste mesmo ano, assumi uma turma de Perseverança na Paróquia Santo Inácio de Loyola, na Samambaia Sul – DF. Eu nem sonhava o que era a Novo Ardor. Não sabia o que era uma nova comunidade, e tinha há pouco tempo completado quinze anos de idade. Em 2010, em um dos encontros do grupo de jovens, a Débora, que hoje é consagrada da comunidade vida, nos fez o convite para participarmos de um acampamento que a Comunidade realizava anualmente, chamado Acampe D – Desafio de Amar. Meus amigos e eu queríamos participar do Acampamento da Comunidade Shalom, mas surgiram alguns contratempos e não conseguimos participar. O Acampe da Novo Ardor seria alguns dias depois e conseguimos participar. Foi o meu primeiro retiro com a Comunidade. Depois disso, me afastei um pouco. No retiro conheci a Amabylli, uma grande amiga minha. Ela insistiu por um bom tempo para que eu também fizesse o Adolescer em Cristo, que é um outro retiro realizado pela Comunidade. Fugi por um bom tempo, mas um dado dia resolvi ceder e participar. Em 2011 fiz o V Adolescer em Cristo I – DF. Acabado os dias de retiro, mais uma vez eu fugi. Não participei de todos os encontros de aprofundamento, e não conclui o ciclo que termina com o Adolescer em Cristo II.

Neste tempo que estive distante novamente, comecei a participar de um ministério de música chamado Servos da Rainha, e por isso queria muito fazer um retiro chamado Toque de Maria, como um meio de buscar formação para ajudar no ministério. Em outubro 2012 eu fiz o retiro. Lá, fui convidado pelo Fabrício, nosso fundador, para participar de um outro retiro chamado RECA em Cristo (Retiro Espiritual de Capacitação para a Ação em Cristo), que é todo feito a partir da nossa espiritualidade. Lá me encontrei com a força do Carisma Novo Ardor e não deixei mais a Comunidade. Após o tempo de formação do retiro (três meses), comecei a participar dos encontros vocacionais abertos que são realizados mensalmente.

O CAMINHO VOCACIONAL

Depois de dez meses participando de forma consecutiva, fui convidado para ingressar no caminho vocacional. No dia 27 de abril de 2013, eu dei o meu sim ao Carisma Novo Ardor. Tivemos a nossa Missa de Compromisso e eu me tornei oficialmente um vocacionado.

Desde então tenho cada vez mais firmado os meus passos em Jesus, e optado por segui-Lo dia após dia. Hoje sou coordenador geral da Juventude Novo Ardor, e dentro dela estão contidos dois dos retiros que me trouxeram até aqui: o Acampe D – Desafio de Amar, e o Adolescer em Cristo. Existem duas formas de viver a nossa consagração ao Carisma Novo Ardor: a comunidade de vida e a de aliança. A primeira exige de seus membros uma doação exclusiva, ou seja, viver em prol das missões e atividades movimentadas pela Comunidade. Deixam a família, o emprego, e dedicam-se exclusivamente à Comunidade, havendo assim um desligamento parcial da vida secular.

Os membros da aliança, ao contrário, são chamados a fazer-se instrumentos aonde estão: no trabalho, na família, na faculdade, etc. Estes dedicam-se prioritariamente à Comunidade, dispondo seu tempo livre e assumindo compromissos semanais, mais as missões que são comuns e específicas para cada etapa. É a mesma Comunidade, o mesmo Carisma, porém em duas formas distintas de vivência.

Atualmente, estou na experiência missionária de vida. Neste tempo, experimentamos um pouco do que é a comunidade de vida. Passamos um ano junto com os consagrados de vida participando das atividades que são próprias da comunidade de vida, e provando de forma mais intensa a vida fraterna. Dia 03 de janeiro deste ano, vim morar na sede da Comunidade que fica situada em Brasília. Ficarei aqui até junho e em julho vou para a nossa missão do Ceará, que fica na cidade de Senador Sá, Diocese de Sobral, onde irei passar um ano em missão.

Espero que tenham gostado da minha partilha, e que o pouco que aqui escrevi sirva de impulso para a sua descoberta vocacional. Eu sou Rodrigo, filho de Deus, Novo Ardor, jovem e feliz por viver a loucura da cruz; por ser chamado a ir aos quatro cantos da terra, e, por onde for, ser instrumento para que as pessoas se enxerguem novamente como filhos e filhas amados(as) de Deus, e retomem a capacidade de amar.

Por Rodrigo Santos, Missionário da Comunidade Católica Novo Ardor.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email