Missão Jovem 2022: A alegria do ser Igreja e o entusiasmo da Boa Nova levam jovens de todo o país para Tucumã (PA)

Missão Jovem 2022: A alegria do ser Igreja e o entusiasmo da Boa Nova levam jovens de todo o país para Tucumã (PA)

 

Nesta semana, a juventude do Brasil se encontrará na Prelazia do Alto Xingu-Tucumã, no Pará, onde o “Brasil verdeja a alma” e onde “o rio é mar”, como diz uma canção.

São dezenas de jovens de todo o país, que participarão de 15 a 25 de julho da Missão Jovem na Amazônia 2022, projeto promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB (CEPJ) com apoio da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam). Iniciada em 2014 como fruto da Jornada Mundial da Juventude de 2013, a ação está em sua quinta edição, sendo a última delas realizada em 2019 na região do Bico do Papagaio, Diocese de Tocantinópolis (TO).

 

Para a jovem Kelling Raquel Müller, 22 anos, o entusiasmo com a experiência é ainda maior do que a distância entre sua cidade e Tucumã, mais de 3.100 km. Ela mora em Teutônia (RS), na Diocese de Montenegro, e faz parte da Juventude Missionária. A jovem já fez algumas missões, mas esta será a maior, tanto na distância de casa como em duração. 

“Quando ouvi que estavam pensando na missão em Tucumã, igreja-irmã de nossa diocese, logo me interessei. Me encantei com a possibilidade. O interesse pelo ser missionário, em todas as dimensões e perante todos, surgiu naturalmente e é uma coisa que eu cultivo dentro de mim. Meses depois, quando recebi o convite para participar da missão, fiquei muito feliz. Nos preparativos, muita oração e sintonia com Deus e com o povo da minha diocese e paróquia. Minhas expectativas são para conhecer o povo de Tucumã e sua cultura, dos quais já ouvi falar tão bem, compartilhar afetos, histórias, viver a Boa Nova e criar um vínculo bonito. Creio que será uma linda missão”, conta a jovem.

A vocação missionária, à qual todos são chamados, também se soma à vocação sacerdotal e entusiasma outro jovem missionário, Rullian José Kopke Sarmento dos Santos, 24 anos, natural de Três Rios (RJ) e seminarista na Diocese de Valença (RJ). 

“Desde que a ideia dessa missão surgiu, nosso bispo Dom Nelson Francelino – bispo presidente da CEPJ – já sinalizava que gostaria de enviar alguns seminaristas para fazer essa experiência para poder somar ao Setor Juventude de nossa Diocese, no intuito de dar testemunho, somar experiências e cativar os jovens para seguirem no mesmo caminho. Minhas expectativas são as melhores possíveis, pois além de trazer contributo à vida juvenil em nossa diocese, esses momentos são de grande aprendizado e lapidação para nossa vocação e caminhada formativa. Conhecer outras culturas, modo de vida e pessoas sempre nos lança para frente e nos ensina uma nova forma de enxergar o mundo é de se relacionar enquanto irmãos. Ser padre não é estagnar no meu modo de ser, mas conhecendo os mais variados modos de vida, retirar dali a presença e manifestação de Jesus que acontece em cada uma dessas formas de viver”, diz.

Tucumã pará

Cidade de Tucumã (PA), sede da prelazia que recebe a Missão Jovem na Amazônia 2022

A prelazia e expectativa da comunidade local

Criada em novembro de 2019 pelo Papa Francisco, a Prelazia do Alto Xingu-Tucumã, região anteriormente pertencente à Diocese de Xingu-Altamira, tem como bispo prelado o missionário espanhol Dom Jesús María López Mauleón, OAR, e é formada pelos municípios de Tucumã, São Félix do Xingu, Ourilândia do Norte, Bannach, Cumaru do Norte e Água Azul do Norte, tendo quatro paróquias e quatro áreas pastorais. A região, inserida na Amazônia Legal, é povoada por povos indígenas e migrantes de outras regiões do Brasil que chegaram, e ainda chegam, esperançosos, buscando trabalho e melhor qualidade de vida.

O mesmo entusiasmo dos missionários que partem em direção à Tucumã impulsiona os moradores da prelazia, em especial os jovens, que se preparam para acolher e participar da missão. 

“Saber que a missão seria realizada em nossa prelazia foi um misto de medo e alegria. Estou entusiasmada com a possibilidade de conhecer tantos jovens, que como nós, buscam o mesmo caminho: Cristo. Ao mesmo tempo, espero que a experiência e a presença dos jovens de todo o país entre nós possa entusiasmar ainda mais os jovens da prelazia e que possamos aprender e ensinar uns aos outros”, testemunha a jovem Fernanda Rodrigues Lopes, 26 anos, da cidade de Tucumã.

Atuando na Área Missionária São João Batista do Sudoeste da prelazia pelo projeto Igrejas Irmãs da CNBB, Pe. Blasio Henz, que contribui na organização local da missão, acrdita que a missão acontece em dez dias mas traz uma vivência muito rica desde sua preparação, que envolveu os jovens da prelazia, e a expectativa do que ela deixará como legado depois que os jovens voltarem para suas casas.

“Creio que os jovens da prelazia terão uma experiência muito rica não só pela semana, com os momentos celebrativos e de entusiamo, mas  com a vivência que já vem acontecendo durante todo este ano com as formações que tivemos e os momentos em níveis paroquiais, nos quais olhamos para a realidade e também para a missiologia e cristologia, lembrando Cristo como centro e chamado de muitos profetas. Essa vivência vai se intensificar ainda mais porque os jovens estão engajados na organização da missão e esse movimento motiva para que a missão não seja apenas de alguns dias, mas acontece dentro de um contexto maior de acolhida, um processo muito rico. A missão já está deixando um legado, que é um desejo de dar continuidade na caminhada. Percebe este entusiasmo nas lideranças, no bispo e em nós padres, porque percebemos o que a missão proporcionará para a continuidade do trabalho de missão, lembrando sempre as distâncias, as dificuldades e realidades diferentes que temos. Para mim é uma alegria poder estar acompanhando e motivando esses jovens”, conta o padre.

O desejo do padre vem ao encontro do próprio desejo do Papa Francisco, que na exortação pós-sinodal Querida Amazônia, diz que “0 caminho continua e o trabalho missionário, se quiser desenvolver uma Igreja com rosto amazônico, precisa de crescer numa cultura do encontro. (..) Mas, para tornar possível esta encarnação da Igreja e do Evangelho, deve ressoar incessantemente o grande anúncio missionário”. Os jovens estão dispostos e já com os tênis calçados para este caminho.

Reunião com os jovens missionários: preparativos para aquecer ainda mais o coração

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email