Igreja no Brasil já planeja o pós-JMJ

Publicado em 17 de abril de 2013 Por 2 Comentários

O país vive um verdadeiro entusiasmo e expectativa para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). As atenções estão voltadas para o Rio de Janeiro e todos querem saber sobre programação, voluntariado, hospedagens, atos centrais com o Papa, catequeses, feira vocacional, atividades culturais, artistas que vão se apresentar etc.

Sem dúvida, será um grande marco para a Igreja no Brasil e para a evangelização da juventude no país. Contudo, a JMJ tem data e hora para começar e acabar. Com isso, qual o legado que este grande evento mundial vai deixar? Quais os frutos se espera colher para que a Jornada se “eternize”?

De acordo com presidente da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB e Bispo Auxiliar de Campo Grande (MS), Dom Eduardo Pinheiro da Silva, se espera, para depois do evento no Rio, no mínimo três frutos: maior entusiasmo cristão e compromisso efetivo do jovem em suas comunidades de origem; maior sensibilidade dos adultos a favor da juventude; maior prioridade do tema “juventude” nos planos pastorais paroquiais e diocesanos para que o jovem efetivamente seja protagonista na sociedade e Igreja.

Dom Eduardo destaca ainda que antes mesmo da Jornada acontecer, os frutos já são perceptíveis devido à peregrinação dos símbolos da JMJ que movimentou, praticamente, todas as dioceses do país. “Quantas coisas bonitas aconteceram; quantas conversões e fortalecimento da fé; quanto envolvimento e engajamento juvenil”, felicitou.

Encontro pós-JMJ

A fim de que os frutos sejam colhidos de forma concreta, a Comissão para Juventude já está em fase planejamento do que virá após a Jornada. Para o segundo semestre de 2013, um encontro para as lideranças adultas e juvenis das dioceses, movimentos, novas comunidades e congregações está sendo organizado, durante o qual se objetiva realizar uma reflexão conjunta sobre como efetivar os legados da JMJ e favorecer a revitalização da pastoral juvenil nas várias expressões organizativas e instâncias eclesiais, principalmente as paróquias e as dioceses.

Este encontro terá como base as Linhas de Ação do Documento 85 (“Evangelização da Juventude: Desafios e Perspectivas Pastorais”) que será enriquecido por este contexto dinamizador da Campanha da Fraternidade 2013, peregrinação dos símbolos da Jornada, Semana Missionária e JMJ em si.

Projeto de revitalização da Pastoral Juvenil

O assessor da Comissão para Juventude, padre Antônio Ramos dos Prado (padre Toninho), coordenou a estruturação do projeto que será o material de trabalho deste encontro do segundo semestre.

Segundo padre Toninho, em sua primeira fase, os referentes de juventude das dioceses receberam um questionário para que apontassem, em sua região, quais os avanços, desafios e sugestões de cada uma das Linhas de Ação contidas no Documento 85.

Em seguida, os questionários foram compilados por uma equipe de trabalho e sua fase atual corresponde à análise e contribuição pelos bispos membros da Comissão para Juventude, bispos e padres referenciais de juventude nos regionais da CNBB, Coordenação Nacional de Nacional de Jovens e Equipe Nacional de Comunicação.

“Queremos dinamizar e revitalizar a Pastoral Juvenil no Brasil e, assim, dar possibilidade para que a evangelização seja mais eficaz nas dioceses”, ressaltou o assessor.

Este encontro também será abordado nesta quarta-feira, 17, durante a 51ª Assembleia Geral dos Bispos para que estes estimulem a participação das lideranças juvenis de suas dioceses e todas as informações e abertura das inscrições serão fornecidas através do site dos Jovens Conectados.

Por Gracielle Reis

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais