Em bate-papo descontraído, arcebispo de Curitiba responde dúvidas dos jovens

Publicado em 4 de maio de 2016 Por Seja o primeiro a comentar!
Foto: Setor Juventude - Arquidiocese de Curitiba.

Foto: Setor Juventude – Arquidiocese de Curitiba.

No sábado, dia 30 de abril, o Arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, deu um show de espontaneidade ao conversar com jovens no Cenáculo Arquidiocesano. O “Bate-Papo Jovem”, organizado pelo Setor Juventude da Arquidiocese, foi descontraído e, ao mesmo tempo, intenso.

O evento começou com a apresentação de um vídeo apresentando o arcebispo, mostrando um lado descontraído do entrevistado, em que ele revelou o quanto gosta de futebol, leitura e mostrou-se antenado com ferramentas do universo jovem. Após esta introdução, Dom Peruzzo subiu ao palco e ficou à vontade para responder as perguntas que os jovens fizeram, em uma conversa aberta, que incluiu temas como Nova Era, eutanásia, redes sociais, homossexualidade, maçonaria, crise política, exorcismo, entre outros.

Um exemplo de pergunta que mostrou a espontaneidade dele foi “Por que quis ser bispo?”. A resposta foi simples: “Não fui eu que eu quis. Me nomearam!”. Neste momento, ele contou de como foi o processo em que pensava em resistir à nomeação por acreditar que poderia fazer mais pela Igreja continuando como padre e não como bispo. Finalizou esta fala ressaltando a alegria de servir a Cristo estando à frente de um pequeno pedaço da Igreja, que é a Arquidiocese do Curitiba.

Com respostas diretas, o arcebispo procurou esclarecer o entendimento que tem sobre os assuntos levantados. Ao responder sobre a eutanásia, por exemplo, Dom Peruzzo lembrou a diferença que existe entre eutanásia e distanásia, sendo, em resumo, o primeiro um processo de encurtar a vida e o outro de prolongar por meios artificiais. “A vida pertence ao Autor da vida. Vamos deixar a vida seguir seu curso natural, permitindo que o término também seja humano e digno, sem interrompê-la e sem a obrigatoriedade de prolongá-la artificialmente”.

Outro exemplo de assunto que muitas vezes é tabu, surgiu quando foi perguntado sobre a aceitação de pessoas homossexuais na Igreja. E mesmo sendo tabu, Dom Peruzzo respondeu sem hesitação sobre o tema, trazendo uma série de esclarecimentos e emitindo a opinião de que “sejamos respeitosos. São pessoas que, pelo contexto que vivemos, já sofrem muito e precisam ser respeitadas”.

Redes sociais e exorcismo foram dois temas que os jovens presentes mostraram bastante interesse. “Eu não uso facebook, twitter, mas não por não saber o que é, e sim porque meu tempo já é escasso”, comentou ele, reconhecendo nas redes sociais uma ferramenta com grande potencial de levar a mensagem do evangelho: “quando é usada para a finalidade de evangelizar, a rede social é interessantíssima”, afirmou. Já o tema do exorcismo foi comentado no sentido de explicações de como e quando é feito, esclarecendo que somente padres especializados no assunto e habilitados para tal prática podem realizar o ritual, lembrando que em Curitiba há apenas dois. E foi enfático ao comentar que “o ritual da Igreja Católica recomenda a rigorosa avaliação psicológica prévia do caso, para não confundir com um mal psicológico”.

Todos os temas foram esclarecidos e o arcebispo se disponibilizou a responder posteriormente via e-mail as perguntas que não deram tempo de serem feitas no evento.

A iniciativa foi muito elogiada pelos participantes. “Dom Peruzzo é espontâneo, sincero e fala como um jovem. Esperamos ter mais momentos como esse, envolvendo ainda mais jovens”, comentaram Ana, Ricardo e Thaína, do grupo de oração jovem “Anjo da Guarda”.

Ao final do encontro Dom Peruzzo, deixou a mensagem aos jovens: “Mostrem que são amigos de Jesus Cristo. Deixem-se influenciar por aqueles que lhes querem o bem”.

Por Setor Juventude – Arquidiocese de Curitiba

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais