Recordar é viver: um ano da JMJ Panamá!

Publicado em 22 de janeiro de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

Há um ano, o Campo Santa María La Antigua (Cinta Costera, Cidade do Panamá), recebia a Missa de Abertura da Jornada Mundial da Juventude 2019. “Eis a serva do Senhor; Faça-se em mim segundo a Vossa Palavra” (Lc 1,38), foi o tema da XXXII Jornada Mundial da Juventude que aconteceu de 22 a 27 de janeiro.

Milhares de jovens de todos os cantos do mundo participaram da Santa Missa presidida por Monsenhor José Domingo Ulloa Mendieta, O.S.A., Arcebispo Metropolitano do Panamá, que acolheu os peregrinos com entusiasmo.

“Nossa alegria é imensa pela presença de todos vocês. Panamá recebe vocês com o coração os braços, abertos. Na Igreja, estamos esperando esta primavera juvenil. Confiamos em vocês!”.

Em meio à juventude estavam Leila Rubia Parma e Samuel Cortez que hoje recordam como foram os primeiros momentos da JMJ 2019.

A jovem Leila, que é missionária consagrada na Comunidade Arca da Aliança, conta que participar da JMJ do Panamá foi uma grande alegria.

“Os panamenhos se mostraram muito acolhedores e organizados. Desde o momento que cheguei já me senti muito emocionada por viver essa comunhão com tantos jovens do mundo inteiro que buscam o mesmo que eu: Cristo! Na missa de abertura, quando tivemos a oportunidade de receber as primeiras palavras destinadas a nós jovens me senti muito confirmada como igreja e encorajada como missionária”.

Para Samuel, que atua como acólito e participa da Pascom da Arquidiocese de Teresina/PI, todo esforço e sacrifício foram válidos para realizar um sonho.

“Participei como voluntário no grupo da Comissão Episcopal para a Pastoral da Juventude. Recebi muita animação da minha pastoral, fiz rifa, vaquinha e recebi muitas doações que me possibilitaram estar no evento dos meus sonhos. Estive em todos os momentos públicos com o Papa e a sensação foi de pura realização em estar ali e ver que meu sonho foi possível. Escutar as primeiras palavras do Papa aos jovens foi como uma Satisfação de um filho ouvindo um pai. As palavras de motivação e encorajamento dele me encheram o coração de alegria. Nunca tive tanta certeza de estar onde eu queria estar. Foi marcante!”.

Perguntamos a eles se é possível destacar um momento em meio ao mundo de experiências que é vivenciar a Jornada Mundial da Juventude:

“Destaco de forma especial a experiência vivida no momento de adoração na vigília. O ostensório utilizado despertou uma mensagem espiritual muito forte: a figura de Maria que traz o Cristo em seu ventre. Senti-me como que, convidada a ser como ela, gerar Cristo em mim e apresentá-lo ao mundo”, diz Leila.

“Todos os momentos foram especiais pra mim, desde a saída da minha cidade até o envio do Papa, mas um em especial que me tocou muito foi no centro de acolhida onde eu estava hospedado. Era uma escola, lá éramos todos voluntários, e em algumas das noites acontecia Adoração e missa, era lindo ver pessoas de várias nacionalidades celebrando um mesmo rito, cantando a mesma música com uma alegria imensa – quem olhasse poderia pensar que nos conhecíamos há tempos, mas era apenas um mesmo amor que estava nos unindo”, conclui Samuel.

Veja também: 

 

Por Juliana Cuani, da Redação do Jovens Conectados.

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais