Reitor-mor dos Salesianos de Dom Bosco fala sobre sua vinda ao Brasil para JMJ

Reitor-mor dos Salesianos de Dom Bosco fala sobre sua vinda ao Brasil para JMJ

Há poucos dias da realização do  Encontro Mundial do Movimento Juvenil Salesiano 2013, Pe. Pascual Chávez fala sobre sua vinda ao Brasil e envia mensagem aos jovens salesianos.

Dom Bosco esteve no meio dos jovens durante toda sua vida e, hoje, seu nono sucessor, Pe. Pascual Chávez Villanueva é quem assume a missão de permanecer entre eles. Como o salesiano que ocupa o cargo de Reitor-Mor, cargo máximo dessa congregação religiosa, ele representa o próprio Dom Bosco em nosso meio.

Nascido em 1947 no estado de San Luis Potosi, no México, Pascual Chávez foi aluno do Colégio México, onde conheceu os Salesianos e decidiu juntar-se a Pia Sociedade de São Francisco de Sales.

Em dezembro de 1973, Pascual Chávez recebeu a ordenação sacerdotal e desde então passou a dedicar sua vida aos jovens. Entre 1989 e 1994 foi inspetor salesiano do México-Guadalajara e em 1996 foi convidado pelo então Reitor-Mor, P. Juan Edmundo Vecchi, a assumir a tarefa de Conselheiro para a Região Salesiana ‘Interamérica’.

Foi durante o XXV Capítulo Geral dos Salesianos, em abril de 2002 que Pe. Pascual Chavez foi eleito Reitor-mor pela primeira vez, tornado-se assim a representação viva do próprio Dom Bosco presente em nosso meio.

Nos primeiros seis anos de seu governo, Pe. Pascual Chávez se dedicou a levar o carisma salesiano a níveis espirituais mais profundos e a trazer os salesianos para o meio dos jovens na atualidade. Ele foi reeleito em março de 2008 e continua apresentando temas importantes e atuais seja por meio de suas Estreias (cartas anuais dirigidas a todos os membros da Família Salesiana), seja pela presença em encontros mundiais, como o Encontro Mundial do MJS.

No próximo mês de julho ele estará no Brasil para participar do MJS 2013 e fala sobre suas expectativas:

  1. 1.              Como é participar de um encontro em um país latinoamericano, sua região de origem?

Eu tive a oportunidade de participar de diversas Jornadas Mundiais da Juventude, em diferentes países, e em todos eles houve um dia de encontro do MJS. E sempre depende do número de participantes e da preparação do encontro. Sem dúvida, o melhor encontro que fui, precisamente por causa da excelente preparação, foi há dois anos em Madrid. Para muitos jovens que participaram da Jornada Mundial da Juventude, o momento mais belo e significativo foi o que vivemos em Atocha, também porque lá eles foram protagonistas do evento e o clima foi tipicamente salesiano.

Tenho certeza que à luz dessa experiência do encontro do MJS, no Rio de Janeiro também será de grande intensidade espiritual, com o rosto da espiritualidade juvenil salesiana. 

  1. 2.              Como o senhor tem sentido a preparação dos países para o encontro?

A preparação que está acontecendo em todas as inspetorias está sendo muito boa. Na Europa, por exemplo, a maioria não vai participar, principalmente devido aos custos da viagem, mas os jovens estão se preparando para a celebração do Dia Mundial da Juventude e do período de Encontro do MJS para viver isso em “casa” mesmo. Eles poderão se conectar conosco via Skype ou televisão ao vivo, quando o fuso horário permitir.

Estou convencido de que o maior número de participantes será, desta vez, dos países latino-americanos, por serem mais próximos do Brasil. O motivo é sempre o mesmo: os altos custos de viagem, principalmente nesse momento de crise econômica que estamos vivenciando.

O mais importante é que as inspetorias estão preparando encontro do MJS nos próprios países. 

  1. 3.              O que o senhor espera do Encontro Mundial do MJS/AJS?

Minhas expectativas são as de reforçar o sentimento de MJS, vivendo sempre em maior harmonia com as grandes inspirações, opções e linhas de vida e de ação que o Papa Francisco nos propõe.

Estou certo de que isso será um estímulo para a celebração que vamos fazer em 2015, no bicentenário do nascimento de Dom Bosco. Em agosto de 2015 será realizado, em Becchi Valdocco, o Encontro Mundial da MJS. E o encontro no Brasil, esse ano, já é uma grande preparação.

  1. 4.              Se o senhor pudesse falar com um jovem que vai participar do encontro, qual recado deixaria pra ele?

Minha mensagem é para que os participantes venham para o Rio de Janeiro, impulsionados pelo desejo de testemunhar a fé no Senhor Jesus, o único que pode dar sentido à existência humana e garantir a fonte de felicidade. Que estejam dispostos a partilhar a alegria e a beleza da fé em Cristo, como discípulos apaixonados por Jesus para serem apóstolos, especialmente para outros jovens.

O Rio de Janeiro será preenchido com jovens cristãos que desejam mostrar ao mundo a alegria da própria juventude, proclamar sua fé no Senhor Jesus e renovar seu compromisso de se converterem protagonistas neste mundo tão necessitado de mudanças profundas; para dar dignidade, liberdade e qualidade de vida para todas as pessoas, especialmente os pobres e necessitados.

 Por Bárbara Belan
Equipe de Comunicação do MJS/AJS 

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email