“Temos que ir para a Jornada com o coração aberto”

Publicado em 10 de maio de 2011 Por Seja o primeiro a comentar!


  


Leia também:

Jovens peregrinos em jornada: o Brasil vai a Madri

Os jovens se preparam para a JMJ com sacrifício e confiança

CNBB organiza delegação oficial do Brasil para a Jornada de Madri


Jovens Conectados: O que a levou a ir à primeira JMJ?

Maristela: O meu principal objetivo era ver o Papa de perto. Na época, eu participava da Renovação Carismática Católica e o coordenador estadual do Ministério Jovem, que conheceu a Comunidade Emanuel, nos fez a proposta de irmos à Jornada.

Eu não tinha ideia da grandiosidade do evento. A Comunidade Emanuel, sediada na França, nos mandou alguns textos de preparação para a Jornada… mas não tínhamos fotos, vídeos, nada, somente uma vontade enorme de experimentar esta vivência de Igreja com jovens do mundo todo e com o Papa.

Jovens Conectados: Como você fazia para juntar dinheiro?

Maristela: Na verdade, meu pai sempre me ajudou tanto na passagem, como na parte terrestre e dinheiro para levar na viagem. Eu já trabalhava e levei alguma quantia, não muito… mas como sempre é bem difícil gostar da comida da Jornada, levava para comprar bolacha e comer no McDonalds e trazer lembrancinhas para minha família e amigos.

Jovens Conectados: Como é o dia a dia da Jornada?

Maristela: É uma experiência única, eu sempre falo que TODO jovem católico deveria ir a uma Jornada! Renova a nossa fé, ver que jovens do mundo inteiro vivem a mesma fé que você, cantando juntos, celebrando que vale a pena ser católico.

Tudo é muito corrido durante os dias da JMJ: catequeses, festival da juventude, missas, chegada do Papa, vigília, ônibus e metrô lotado, mas vale a pena! Não sabemos nunca a hora que iremos dormir, somente a hora que temos de levantar…

O que vai acontecer durante o dia? Temos o que é oficial, mas muitas vezes é impossível acompanhar. Durante a Jornada temos que viver o amor! Em todos os seus aspectos: amar a si próprio, reconhecendo os seus limites (respeitando a hora de dormir, por exemplo, pois senão você não aguenta no outro dia); amar o outro: viver em comunidade, saber ajudar quem está próximo, vendo as suas limitações, carregar uma mala se for preciso, comprar uma água , trocar de cama – realmente é viver a compaixão. E uma das experiência mais forte é AMAR A DEUS com todas as suas forças, literalmente. Tem dias que você fala: “Não dá mais…. eu não consigo andar mais nenhum metro”… Mas vcê olha pra cima e fala: “Só por ti Jesus, quero me consumir!” E ele dá forças!

Jovens Conectados: Como é conviver com pessoas do mundo todo, muitas vezes com as barreiras da língua e da cultura?

Maristela: Conviver com pessoas do mundo todo é uma das melhores experiências da Jornada, ainda mais sendo brasileiro! Todo o mundo ama os brasileiros. Eles nos veem e começam a cantar, falar de futebol… A barreira da língua acaba sendo derrubada pela linguagem do amor. Basta estar com o coração aberto, que tudo se entende. Claro que é bom falar ao menos o básico de inglês ou da língua local, mas sempre encontramos alguém pra ajudar. O espírito da Jornada é o amor entre irmãos, sem limites, sem barreiras.

O verbo mais utilizado é o to change, trocar. Todo mundo quer trocar coisas conosco: um broche, uma camiseta, caneta, tudo. Trocamos também contatos. Se for possível, é bom fazer um cartão pessoal com seus contatos para dar às pessoas e sempre ter um bloquinho onde anotar os contatos dos outros também. Hoje tenho amigos no mundo todo, muitos dos quais eu fiz durante as jornadas. Realmente temos que ir com o coração missionário, aberto, pra evangelizar e sermos evangelizados!

Jovens Conectados: Quais foram os momentos mais inesquecíveis?

Maristela: São muitos momentos… Mas me lembro da primeira vez em que vi o Papa passando tão perto de mim, em Paris, e todos gritando: “Giovanni Paolo! Jean Paul II, we love you!” Era lindo ver aquela multidão sendo acolhida por um sorriso do nosso querido Papa da juventude, Beato João Paulo II !

Na Jornada de Toronto, em 2002, durante a vigília no sábado, após as 2h da madrugada começou a chover e nós estávamos ali, no meio da grama, com sacos de dormir, guarda-chuva, capa de chuva… No dia seguinte, todos estavam muito cansados, mas quando o Papa João Paulo II chegou, ele disse: “Esta chuva é o Espírito Santo que está sendo derramado sobre vocês!” Na mesma hora, começamos a pular de alegria e a chuva era um mero detalhe…

O tema da JMJ daquele ano era: “Vós sois o sal da terra, vós sois a luz do mundo”, e, na homilia, o Papa disse: “Se acreditarmos em Deus, Ele é capaz de transformar todas as trevas em luz, toda a tempestade em sol….” Na mesma hora, parou de chover, o céu se abriu e o sol apareceu! Vivemos um grande milagre! Foi lindo!

Em Colônia, o tema era: “Viemos para adorá-lo!”. Na catedral, estavam as relíquias dos Reis Magos, que disseram essa frase a José e Maria para ver Jesus… então foi super emocionante viver a experiência de adorar em Espírito e Verdade com jovens do mundo todo!

Na Jornada de Sidney, em 2008, a Comunidade Emanuel foi convidada a ficar no meio da praça central da cidade, montamos uma tenda com o Santíssimo, e começamos a evangelizar todos que ali passavam. Em um certo momento, passaram quatro policiais e eu fui falar com eles, convidando pra entrar na tenda. Depois de muita conversa, eles entraram! Foi lindo ver aqueles homens ajoelhados diante de Jesus! E foi justo na hora da benção, então, eu chorava de alegria ao ver que Deus queria isto de nós: Duc in altum… lançar as redes fora da Igreja, avançar para águas mais profundas!

Lembro que em Sidney eu estava muito indecisa em relação ao meu trabalho aqui no Brasil. Quando fui me confessar, o padre me mandou refletir sobre o tema daquela Jornada: “Recebereis o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas!”, e disse que quando eu voltasse para o Brasil, o Espírito Santo iria me iluminar com a melhor decisão… Foi isto que fiz e foi uma grande graça!

Jovens Conectados: Uma JMJ é diferente da outras?

Maristela: Sim, cada uma é diferente da outra, por vários motivos: o grupo com o qual você viaja nunca é o mesmo, sempre se faz novos amigos. Assim como os jovens de outros países sempre mudam… Também já reencontrei jovens que conheci em jornadas anteriores e é sempre uma alegria!

O País da Jornada também sempre muda e isso significa outra cultura, outra missão. O tema da JMJ também é diferente, então as catequeses, assim como a preparação anterior que deve ser feita de acordo com o tema.

Jovens Conectados: Quais as suas expectativas com relação à JMJ de Madri?

Maristela: Eu acredito que a Jornada de Madri será um novo sopro de evangelização na Espanha e na Europa. Quando estive visitando as cidades em que iremos fazer a Pré-Jornada como delegação oficial da CNBB, vi o quanto os jovens voltaram a frequentar a Igreja devido à JMJ. Aguardo este novo ardor missionário nos jovens espanhóis que será levado por jovens de todo o mundo.

Jovens ConectadosComo enfrentar as dificuldades de logística?

Maristela: Olha, realmente estas dificuldades de logística são bem complexas.Nunca sabemos ao certo onde iremos dormir, quando iremos tomar banho, por quanto tempo teremos de carregar a mala até chegar no local do alojamento…

Mas como disse antes, temos que ir com o coração aberto, renunciar a toda reclamação e oferecer todo sacrifício para os frutos da Jornada em nossa vida e para aqueles que ainda não conhecem a Deus.

Pode acontecer de tudo… Já fiquei quase 50 horas sem tomar banho – e isso depois de ter dormido ao relento e caminhado mais de 30 quilômetros. Mas o importante é sempre lembrar: por que estamos fazendo isto? Porque dissemos sim como Maria, e guardar tudo em nosso coração é o melhor conselho.

Jovens Conectados: Que conselhos você dá a quem está indo para a Jornada?

Maristela: Você deve levar saco de dormir, roupa confortável – e, de preferência, o mínimo possível, pois a mala deve ser pequena. E que você tenha a consciência que pode ter que caminhar bastante até chegar ao destino final… Então, PRUDÊNCIA. Mesmo fazendo calor, é sempre bom ter umas duas calças e blusas na mala, pois à noite esfria,  principalmente na noite da vigília, em que dormiremos ao relento.

Leve também coisas do Brasil, como bandeira, camisa, broche, caneta, etc. É sempre uma ótima moeda de troca. Se você souber que vai ficar em casa de família, é sempre bom levar um souvenir do Brasil, eles adoram.

O que fazer: comer, beber muita água e dormir. Não perca tempo com coisas que estão fora da programação do seu grupo. Seja pontual, pois você não estará sozinho, todo o grupo espera por você. Seja caridoso em tudo.

Jovens Conectados: Que conselho você dá para as pessoas se prepararem espiritualmente para a Jornada?

Maristela: Um conselho é estudar muito bem o Subsídio da JMJ, feito pelo Setor Juventude, pra entender o que é uma Jornada Mundial da Juventude, ler o texto tema e se aprofundar no assunto. Comungar também na intenção de todos os frutos que iremos colher na JMJ.

Outra coisa boa é conhecer as pessoas que irão com você no grupo, principalmente as que moram perto, para que esse espírito de comunidade comece a fluir, assim vocês poderão viver, desde já, uma comunhão fraterna!

No grupo da Comunidade Emanuel, o padre que está sendo o diretor espiritual elaborou um amigo secreto de oração. Até Madri, temos que rezar por aquele que nos foi confiado no sorteio que aconteceu virtualmente, e, em um momento oportuno, será revelado durante a Jornada.

Acho que poderíamos rezar todos os dias uma Ave Maria, ao menos, na intenção da Jornada de Madri, o que acham?

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais