Presos de Campos dos Goytacazes (RJ) recebem visita dos símbolos da JMJ

Publicado em 14 de maio de 2013 Por 1 Comentário

Cruz dos Jovens chega ao presídio em Campos dos Goytacazes. Crédito: Sabrina França

Tocar no Cristo vivo, no Cristo pobre, no Cristo excluído. Esse era o sentimento daqueles que na tarde desta terça-feira, dia 14, participaram da peregrinação da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), pelas unidades carcerárias da Diocese de Campos (RJ). Os símbolos passaram pela Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro, pelo Presídio Carlos Tinoco da Fonseca (masculino) e pelo Presídio Feminino.

A visita iniciou-se pelo Presídio Feminino, por volta das 13h. Segundo Décio Guimarães, coordenador da Pastoral Carcerária da Diocese de Campos, cerca de 350 mulheres estão reclusas no local. Algumas foram escolhidas para sair das celas e chegar mais perto dos símbolos. Foi realizado um momento de oração com as detentas e, em seguida, a Cruz percorreu as celas para que as demais mulheres pudessem tocá-la e fazer suas preces

O segundo ponto de passagem dos símbolos foi a Cadeia Pública, onde alguns detentos também puderam sair da cela, participar de um momento de louvor e oração e carregar a cruz e o ícone por dentro das instalações.  O bispo diocesano de Campos, Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, concedeu uma benção aos presentes no local. Em seguida, a Cruz Peregrina passou em frente a cada cela, onde os encarcerados, através das grades, conseguiram tocá-la. A Cadeia Pública abriga cerca de 900 pessoas.

“Em cada preso, eu via o próprio Cristo Ressuscitado. Foi muito emocionante vê-los rezar, tocar na Cruz, ver o olhar de esperança deles ao encontrar os símbolos da Jornada”, afirmou o missionário Yago de Morais, da Comunidade Católica Shalom, que participou da passagem da Cruz pela Cadeia Pública.

O último presídio a receber a visita dos símbolos foi o Carlos Tinoco da Fonseca, no fim da tarde. O local possui cerca de 1.300 homens. Alguns detentos tiveram autorização para sair da cela e se aproximar dos símbolos.

“Esse momento, em que a Cruz vai ao encontro dos presos, só renova o nosso chamado e missão de evangelizar. O mundo pode ser diferente, as pessoas podem ser diferentes, basta que elas tenham esse momento de encontro com Jesus. E cabe a todos nós, como Igreja, proporcionar essa aproximação das ovelhas perdidas com o Bom Pastor”, declarou Guimarães.

Segundo o coordenador da Pastoral, a passagem desses símbolos pelos presídios da região é a oportunidade que os presos tiveram de “experimentar o que o apóstolo Pedro sentiu na prisão ao ser visitado por um anjo que vai ao seu encontro e o liberta”. “A passagem dos símbolos é a forma que esses detentos têm de perceber a presença viva de Cristo”, afirmou.

A Pastoral Carcerária de Campos realiza um trabalho de evangelização há 15 anos na região, com atividades semanais de catequese, grupos de oração, oficinas de artesanato e leitura, além do apoio aos familiares dos detentos. “Somos oito pessoas que, semanalmente, vão ao encontro destes outros Cristos. Essas as atividades que realizamos nos presídios são as oportunidades que eles têm de se sentir parte da Igreja, merecedores do amor de Deus. É o momento onde eles experimentam da liberdade que vem de Cristo, é algo emocionante, sinto verdadeiramente a presença de Deus no meio deles”, relatou Guimarães.

Programação
Na noite desta terça-feira, 14, os símbolos serão levados em carreata até a Paróquia de Santo Antônio, onde serão acolhidos pelos jovens das pastorais e permanecerão em vigília. Amanhã, a Cruz e o Ícone vão visitar os colégios católicos da região.

Encontro com os jovens
A peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude começou cedo nesta terça-feira, 14 de maio, na cidade de Campos. Após passar a noite em Vigília na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Igreja Principal (Catedral) da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, os símbolos retornaram à Diocese de Campos.

Pela manhã, os símbolos foram levados à Praça do Liceu para um encontro com os alunos das escolas públicas do município. Milhares de jovens se concentraram no local para acolher a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora. As escolas prepararam diversas apresentações artísticas em homenagem a chegada dos símbolos. O bispo Diocesano, Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, deu uma benção especial aos alunos e falou sobre a importância da passagem dos símbolos para a juventude de Campos.

Testemunho
“A experiência de poder sentir, tocar e beijar os Ícones da Jornada Mundial da Juventude é indescritível, pois além de serem os ícones que representas a Jornada, eles também são relíquias deixadas pelo beato João Paulo II a nós jovens e ver estes Ícones chegar a minha cidade de Campos dos Goytacazes, sendo esta a cede da Diocese e Administração Apostólica, com uma multidão de jovens sedentos por Cristo, mostra a força de nossa Igreja e, além disso, mostra como nossa Igreja é jovem e que se renova a cada dia com mais força. A emoção de sentir isto com a vinda destes ícones me marcou e me marcará para sempre, posso dizer sou um jovem da geração JMJ e fui tocado por esta graça e renovado e deixo este convite aos jovens que irão receber estes ícones, abra o seu coração de deixe que o Espírito Santo encha seu coração”.
Paulo Nogueira – Diocese de Campos

Facebook
A Arquidiocese do Rio criou um facebook para acompanhar a passagem dos Símbolos da JMJ pelas Dioceses do Estado do Rio de Janeiro: www.facebook.com/jmjeuvou. As fotos da Peregrinação podem ser baixadas do Facebook, contanto que se informe a fonte.

Fotos, vídeos, testemunhos e relatos podem ser enviados  para o e-mail: rio2013jmjeuvou@gmail.com

Por Rocélia Santos
Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro
 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais