Missa celebra 80 anos do Cristo Redentor

Publicado em 13 de outubro de 2011 Por Seja o primeiro a comentar!

Durante a Santa Missa, o Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, comparou o céu repleto de nuvens, que por vezes cobriam a imagem do Cristo, com as situações difíceis da vida, que muitas vezes podem impedir a visão.

— Jesus está sempre ao nosso lado. Acima de tudo, nós temos um Deus que nos ama, que enviou o seu filho Jesus Cristo, e que por isso nós podemos viver melhor, construir uma maior fraternidade e a paz. Deus está presente no meio de nós, motivou.

Estiveram presentes na missa, concelebrada pelos bispos auxiliares Dom Antonio Augusto Dias Duarte e Dom Paulo Cezar Costa, o prefeito Eduardo Paes, e o príncipe do Brasil, Dom Antônio Orléans Bragança e sua esposa, a princesa Cristina de Orléans Bragança. Após a cerimônia foram inaugurados os bustos em homenagem a Dom Sebastião Leme — que na época era o Arcebispo do Rio e levou adiante a ideia de construção da estátua — e a Heitor da Silva Costa, autor do projeto e responsável pela obra do Cristo.

— Eles estão na origem do projeto. O grande idealizador foi o Cardeal Leme, que foi quem quis o monumento de fé, que é um símbolo que extrapolou os limites da Igreja Católica. Ele se envolveu e fez campanhas para viabilizar a construção, e o Brasil todo participou e se mobilizou para ajudar, recordou Dom Paulo.

O Reitor do Santuário, Padre Omar Raposo, que completou sete anos de ordenação sacerdotal no mesmo dia 12 de outubro, destacou a importância do monumento que acolhe a todos.

— O Cristo Redentor é um santuário católico, que está de braços abertos para todos os povos e religiões, disse.

Jovens rezam em vigília no Santuário

As orações em atenção aos 80 anos da inauguração do monumento ao Cristo Redentor começaram na véspera do aniversário, no dia 11 de outubro, com uma vigília que aconteceu das 23h até às 6h da manhã, no alto do Corcovado. Após a Missa, celebrada na Capela do Santuário Cristo Redentor, o Bispo Auxiliar e animador do Setor Juventude, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, conduziu os jovens para a parte externa e deu a benção com o Santíssimo Sacramento para toda a cidade carioca e para o mundo, na madrugada do dia 12.

Dom Antonio lembrou que a mensagem do cristianismo é a união das pessoas.

— Os braços abertos de Nosso Senhor revelam o que Ele quer que exista. Precisamos abrir os nossos braços uns aos outros e demonstrar a nossa capacidade de perdoar, de compreender e de conviver com as pessoas, mesmo com as diferenças, ensinou.

O jornalista Fan Wang, correspondente da TV CNC, da China, contou sua experiência pessoal ao contemplar o monumento e refletir sobre o significado da vida de Jesus Cristo, que é o comunicador do Pai e a fonte da verdade.

— Ontem à noite, na vigília, eu fiquei aqui fora até muito tarde olhando para o Cristo Redentor e senti muita alegria. Eu, pessoalmente, não sou católico, mas pude sentir essa paixão, essa harmonia. Eu refleti sobre o significado da minha vida, em frente ao Cristo Redentor, e foi uma experiência muito especial, que ficará para sempre na minha mente, contou emocionado.

Após viverem momentos de intensa oração e louvor, os jovens puderam contemplar a beleza do nascer do sol e receberam a benção de Jesus Eucarístico, ministrada pelo Diácono João Damasceno Furtado Câmara.

Por Cláudia Brito, da Arquidiocese do Rio de Janeiro

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais