Mais de cinco mil pessoas participam de Bote Fé em Nova Friburgo (RJ)

Publicado em 14 de maio de 2013 Por Seja o primeiro a comentar!


A contagem regressiva para a Jornada Mundial da Juventude (Rio2013) já começou, e, a cada dia, parece que ela acontece mais rápida.  Entre os dias 5 e 12 de maio, os símbolos ancoraram na Diocese de Nova Friburgo. Mais de cinco mil pessoas participaram do Bote Fé Nova Friburgo, evento que recepcionou a Cruz e o ícone, e, em seguida, os enviou ao encontro do povo nos mais diversos lugares da região. As cidades de Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacu, Bom Jardim, Itaocara, Cordeiro, Trajano de Moraes, Conceição de Macabu, Casimiro de Abreu, Rio das Ostras, Macaé e Quissamã contemplaram o roteiro da peregrinação.

Bote Fé
A Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora foram recepcionados na praça principal da cidade de Nova Friburgo, no dia 5 de maio, durante o Bote Fé. Milhares de pessoas, vindas dos 11 municípios que compõem a Diocese de Nova Friburgo, marcaram presença no evento que deu início à passagem dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) pela região.

A festa começou cedo, no início da tarde, com show o Missionário Shalom, de Fortaleza. Os símbolos chegaram à noite e foram recebidos com muita festa e emoção. Uma missa, presidida pelo bispo diocesano, Dom Edney Gouvêa Mattoso,  marcou o início da peregrinação pela diocese.

“Tenho certeza que a passagem dos símbolos vai deixar um rastro de luz à juventude de Nova Friburgo. Estamos todos emocionados com a chegada da Cruz Peregrina e do ícone da Virgem Maria. Mais do que uma visita, eles estão plantando amor no coração do povo”, afirmou Dom Edney.

A missa contou com a presença de representantes das dez colônias de imigrantes estrangeiros que participaram da Oração Universal. Ao final da celebração, Dom Edney enviou os símbolos aos três vicariatos da diocese. Após a missa, a Cruz peregrina e o ícone de Maria permaneceram em vigília na Catedral de São João Batista para veneração.

Cachoeiras de Macacu
Nem a chuva que caiu sobre a Região Serrana no dia 6 de maio desanimou os moradores de Cachoeiras de Macacu, município pertencente à Diocese de Nova Friburgo. Mais de 400 pessoas recepcionaram os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), com fogos, trio elétrico, bandeiras e, claro, animação e emoção.

A Cruz e o ícone foram acolhidos e expostos na Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Após a recepção, os jovens envolveram os símbolos em capas de plástico e saíram pelas ruas da cidade. Ao término da procissão, uma missa foi celebrada e, em seguida, uma grande carreata conduziu a Cruz e o ícone ao distrito de Japuíba, onde as relíquias permaneceram o restante do dia em veneração na escola de samba da cidade. Filas se formavam por onde passavam. Todos queriam tocá-las, rezar diante delas, registrá-las nas fotos e no coração.

A peregrinação do dia 6 terminou em Papucaia, distrito de Cachoeiras de Macacu. Uma carreata com mais de 50 veículos acompanhou a ida dos símbolos ao local, onde um trio elétrico com DJ católico os aguardava e animava uma multidão de jovens. Na ocasião, a Cruz foi entregue aos jovens, que saíram em peregrinação por quase 5 km até a igreja Matriz, onde permaneceram em vigília.

“Por onde os símbolos passavam, as pessoas corriam às ruas, partiam atrás dos símbolos e seguiam até a igreja. As cidades literalmente paravam para ver a chegada da Cruz e do ícone. O povo se ajoelhava nas ruas, algumas pessoas faziam o sinal da cruz e mandavam beijos para Nossa Senhora. Foi muito emocionante”, afirmou Renato Varges, da equipe de estrutura da Diocese de Nova Friburgo.

Nova Friburgo
Os jovens e idosos da Diocese de Nova Friburgo ficaram emocionados com a passagem dos símbolos da JMJ pela cidade. No dia 7 de maio, a Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora passaram pela Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), pelo Colégio Nossa Senhora das Mercês, pela Casa dos Pobres e na Paróquia de Nossa Senhora das Graças.

Na Apae, a emoção tomou conta dos peregrinos. Os alunos da instituição acolheram com alegria os símbolos. A empolgação era grande para tocar na cruz e no ícone de Nossa Senhora. Em seguida, os símbolos foram levados para o Colégio Nossa Senhora das Mercês, onde foi celebrada uma Santa Missa, presidida pelo bispo diocesano, Dom Edney Gouvêa Mattoso, e concelebrada por diversos sacerdotes.

Ao final da celebração eucarística, os jovens levaram, em procissão, a Cruz e o ícone de Nossa Senhora para a Casa dos Pobres, e foram acolhidos com cânticos e louvores pelos idosos e doentes do local. Na ocasião, todos os moradores da Casa dos Pobres, com auxílio dos voluntários da peregrinação, tiveram também a oportunidade de tocar e beijar a Cruz peregrina.

Bom Jardim
No dia 8 de maio, foi a vez de Bom Jardim receber os símbolos da JMJ. A praça da Matriz ficou lotada. Fiéis dos vicariatos Sede e Norte foram até o local dar as boas-vindas aos símbolos. Uma carreata passou com a Cruz e com o ícone de Nossa Senhora pelas principais ruas do município.

Na praça, o vigário episcopal do Vicariato Sede, monsenhor Gelcimar Petinatti, passou simbolicamente os sinais para o vigário episcopal do Vicariato Norte, monsenhor Fábio da Cunha Felippe. Após este momento, os jovens carregaram a Cruz e o ícone até a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, onde foi celebrada a Santa Missa pelo pároco, César de Souza Gonçalves.

Em seguida, os jovens carregaram os sinais até a praça, onde ficaram expostos para veneração dos fiéis. No local, mais de 1.500 pessoas se uniram para rezar e louvar ao som das músicas cantadas por Olívia Ferreira e banda.

Rocélia Santos
Colaboração: Padre José Antônio (Valença) e Jorge Ronald Emonara Teixeira (Nova Friburgo)

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais