Jovem missionário partilha com crianças a experiência na Amazônia

Publicado em 29 de outubro de 2019 Por Seja o primeiro a comentar!

“Iluminados pela encíclica Evangelii Gaudium do Papa Francisco, continuar estimulando a mística e a atitude missionária nas juventudes do Brasil, de uma Igreja em saída (Documento de Aparecida e Evangelii Gaudium), incentivando e partilhando experiências missionárias e em defesa da vida”.

Este é o eixo Missão do “Projeto ide” que descreve especialmente o incentivo e a partilha de experiências missionárias. Este eixo também é um dos pilares da expedição missionária realizada pela CNBB que vem cultivando e gerando diversos frutos. Unindo todas essas iniciativas está um jovem da cidade de Taubaté/SP que tem falado para crianças e adolescentes sobre a vida indígena e a Missão Jovem na Amazônia.

Fábio Henrique da Silva Rocha foi convidado por uma professora a partilhar com seus alunos sobre a sua experiência missionária. Fábio atua na Paróquia Espírito Santo e no Setor Juventude da Diocese de Taubaté, além de participar no movimento Aldeias de Vida e na missão Jovens Sarados.

“Trabalhar o tema da Amazônia nas escolas surgiu a partir de uma pregação que eu estava fazendo em grupo de oração chamado ‘Maria Rainha de Pentecostes’ da cidade de Taubaté/SP. Durante a minha fala citei a experiência que tive na Amazônia e uma das ouvintes nesse dia era a professora de história Angélica do quarto ano do ensino fundamental. Ao me escutar ela teve a ideia de uma palestra sobre o tema e assim fizemos esse primeiro contato com as crianças para falar da vida na Amazônia”, diz Fábio.

Para ele a participação das crianças superou as expectativas. “Eles ficaram interessados mais do que podíamos imaginar, foram diversas perguntas. Passamos mais de uma hora em diálogo com os alunos e o tempo ainda não foi suficiente, ficou um gostinho de que precisávamos de mais tempo. O encontro foi muito dinâmico, todos fizeram perguntas e prestavam atenção nas explicações e nos slides”.

Ele também destaca a importância de apresentar outras realidades para crianças e jovens, não somente cultura indígena. “É muito importante para que eles entendam desde cedo que as diferenças culturais não devem nos dividir, mas enriquecer as nossas vidas. Assim aprendem que somos todos irmãos e que temos sempre algo a aprender com aquele que é diferente de nós. E esse aprendizado também é importante para que haja cada vez mais valorização dos povos indígenas”.

Fábio foi enviado pelo Setor Juventude para a Missão Jovem na Amazônia em dezembro de 2015. Dos 10 dias em missão na reserva indígena Xerente no Estado de Tocantins, realizada em unidade com a Diocese de Palmas, ele trouxe muitas histórias, fotos e muito aprendizado sobre o modo de vida dos índios e sua cultura. Ele diz que naquela época a reserva contava com mais de setenta aldeias indígenas e mais de cinco mil índios que foram visitados por 100 jovens missionários.

“O maior aprendizado dessa missão foi sobre a vida humana. Percebi que não precisamos de muitos recursos para viver e ser feliz – os índios tem disponível a natureza, a família, a inteligência e a fé para sobreviver e isso basta. Aprendi muito também com a união que existe entre eles, a divisão por igual dos alimentos e o respeito que existe entre as famílias, principalmente na hierarquia pai e mãe, os filhos respeitam verdadeiramente os pais. Os casais são muito unidos e demonstram grande respeito na relação marido e mulher. O que principalmente eu trouxe de lá foi o amor que eles nos transmitiram, me fez refletir e entender que independente da cultura, onde há seres humanos, existe a capacidade do Amor de Deus”.

da redação, Juliana Cuani – Jovens Conectados.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais