Jovem: discípulo missionário de Jesus Cristo no mundo contemporâneo

Publicado em 1 de outubro de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

Capa artigo

Quando recebemos uma boa notícia, queremos logo compartilhar com nossos amigos, não é mesmo? Postamos nas redes sociais, telefonamos para nossos parentes, falamos com brilho nos olhos! E a salvação que nos foi dada em Jesus é a maior notícia que nós já recebemos! “Conhecer Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber. Tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas. Fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria.” É por este motivo que a missão é algo que acaba brotando naturalmente nas atividades de um jovem que realmente se encontrou com Jesus e fez dEle seu modelo de vida e Senhor.

O Papa Francisco, em sua Exortação Apostólica Pós-Sinodal Christus Vivit, recorda-nos uma verdade que por vezes permanece esquecida em nossa reflexão: o jovem cristão já é um missionário! A formação, a preparação, a experiência apenas implementam e melhoram aquilo que é infundido naturalmente no momento de seu batismo! Na verdade, todo cristão ou é missionário ou não é ainda plenamente um cristão!

Ouçamos o Papa: “Quero lembrar que não há necessidade de fazer um longo percurso para que os jovens se tornem missionários. Mesmo os mais frágeis, limitados e feridos podem sê-lo à sua maneira, porque sempre devemos permitir que o bem seja comunicado, embora coexista com muitas fragilidades.”

Em outras palavras, mesmo o mais limitado dos jovens pode, se tiver verdadeiramente encontrado em Jesus o caminho de vida, ser missionário e com qualidade! Porque aqui não se trata de técnica, mas de paixão! O amante fala de seu amado naturalmente, e não precisa técnicas para isto: sua pele exala o perfume do amor apaixonado que sente!

O termômetro que mede o grau da real experiência de um Grupo de Jovens com Cristo é a sua missionariedade! Se um grupo se mantém como que numa “panelinha” de amigos que nunca estão dispostos a trazer novos membros, certamente ainda precisa crescer em sua experiência de fé com Jesus! Por outro lado, um grupo que sempre se esforça por trazer novos membros, e que faz todo o possível para levar Jesus onde as pessoas ainda não o conhecem, certamente está realizando boa experiência de discipulado cristão.

De acordo com o ensinamento do Papa Francisco, não podemos complicar demais a missionariedade da juventude. Na Christus Vivit, nos números 239 a 241, o Vigário de Cristo aponta-nos três maneiras pelas quais um jovem – e por consequência um grupo juvenil – realiza a missão:

1) Missão popular incontrolável: com este nome diferente, o Papa quer significar aquela missão espontânea que um jovem convertido realiza de modo quase que natural. Ele fala de Jesus com seus amigos de estudo ou trabalho; ele chama seus pais para oração ou estudo bíblico; ele convida seus irmãos para um retiro; ele chama – o próprio Papa dá este exemplo – um seu amigo para lhe acompanhar em uma peregrinação a um santuário… Em outras palavras: ele simplesmente não consegue não falar de Jesus e de sua experiência de fé! Estas práticas devem ser motivadas e acompanhadas pelos pastores, adultos e todo o grupo! Esta é, talvez, a melhor e mais eficaz obra missionária da juventude, afinal o jovem é o melhor evangelizador de outro jovem.

2) Santas Missões Juvenis: são os programas de missão normalmente organizados nas férias escolares, nas quais os jovens, após algum tempo de preparação, visitam famílias. São muito conhecidas as experiências de missões na Amazônia organizadas pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, reunindo jovens de todo o país. Como esta, há também uma quantidade enorme de experiências de semanas (ou mais dias) missionárias organizadas por grupos, pastorais e movimentos Brasil afora. Elas são uma excelente oportunidade para o jovem aprofundar seu espírito de pertença à Igreja e seu comprometimento com o anúncio do Evangelho. Podem também despertar séria reflexão vocacional.

3) Missões pelas Redes Sociais: neste ambiente no qual a Igreja ainda engatinha para se fazer presente, os jovens têm experiência de sobra! Ninguém melhor do que eles para ensinar toda a Igreja a passar de uma PASCOM de mera conservação (apenas comunicando avisos e divulgando eventos) para uma PASCOM realmente e efetivamente missionária: anunciando a fé de forma propositiva e com linguagem atualizada. Além disso, individualmente, cada jovem, em suas páginas das redes sociais, converte-se em um agente propagador da fé simplesmente porque testemunha natural e efetivamente sua adesão a Jesus e a sua mensagem de vida em cada postagem ou comentário que faz.

Eis aí alguns exemplos do que precisamos incentivar na evangelização juvenil de caráter eminentemente missionário! O Papa nos exorta a não descuidarmos desta dimensão, pois ela é uma urgência destes tempos e uma característica inalienável da fé.

“Ide, e fazei discípulos meus todos os povos” (Mt 28,20). Esta é uma das poucas coisas que Jesus realmente ordenou! Anunciar o Evangelho é o maior gesto de amor ao próximo que a Igreja pode realizar! Deus abençoe a você, jovem que se faz discípulo missionário da boa nova de Jesus Cristo! Você é o rosto jovem da Igreja!

Por Pe. Alexsander Cordeiro Lopes

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais