Estruturação do Setor Juventude nas dioceses: uma iniciativa de comunhão e unidade 

Publicado em 14 de dezembro de 2013 Por Seja o primeiro a comentar!

Os últimos eventos que marcaram a evangelização dos jovens no Brasil, como peregrinação dos símbolos da JMJ, Semana Missionária, CF 2013 e a JMJ Rio2013, estimularam uma ação concreta em diversas dioceses: o fortalecimento do Setor Juventude.

De acordo com o assessor da Comissão para Juventude da CNBB, padre Carlos Sávio da Costa Ribeiro, num primeiro momento, a necessidade de organização nas dioceses da peregrinação da Cruz e ícone de Nossa Senhora, nos chamados “Bote Fé”, e da Semana Missionária, favoreceu a estruturação dos setores. Contudo, tais eventos proporcionaram também a integração das expressões juvenis para que, reunidas, cresçam na unidade e comunhão.

“Os símbolos da JMJ passaram, mas deixaram sua marca, sobretudo nesta maior integração entre as expressões. E ninguém precisa competir. Na Igreja, existe lugar para todos”, afirmou o assessor ao destacar que aí reside a beleza da Igreja: a diversidade dos carismas.
A coordenadora do Ministério Jovem da RCC em Macapá (AP), Luciana Belúcio, foi uma das precurssoras do Setor Juventude da diocese. Ela relata que o setor foi criado em agosto de 2011, após a JMJ de Madri, na Espanha, e ressalta que o fruto não está somente no contato entre as diversas expressões, mas se trata de uma verdadeira formação de como lidar com a diversidade.
“Este foi um grande fruto: o amadurecimento humano ente os jovens. Vemos os membros das expressões aprendendo a não se deterem somente na sua própria vontade e posicionamentos”, enfatiza Luciana ao apontar a importância deste aprendizado em meio a uma sociedade que quer descartar o diferente.
Para o responsável do Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza (CE), padre Franscisco José Duarte, a organização também foi fomentada graças ao advento de novas expressões, como as novas comunidades e movimentos. Até então, a evangelização da juventude era desenvolvida apenas pelas Pastorais de Juventude (PJ), criadas pela CNBB na década de 80.
“Nós sempre teremos uma dívida de gratidão à PJ porque sempre estiveram à frente da evangelização dos jovens”, conclui o responsável do setor que foi criado na capital cearense em 2010 com o objetivo desta maior integração.
Por Gracielle Reis

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais