Diocese de Nova Iguaçu recebe os Símbolos da JMJ

Publicado em 20 de junho de 2013 Por 1 Comentário

Símbolos da JMJ em Nova Iguaçu (RJ)

A Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora chegaram, no último domingo, 16 de junho, à Diocese de Nova Iguaçu, vinda de Petrópolis. Cerca de 20 mil pessoas participaram da Santa Missa, presidida por Dom Luciano Bergamin, na cidade de Belford Roxo. Cerca de 20 mil pessoas festejam a chegada das dádivas presenteadas pelo Beato João Paulo II, patrono da JMJ Rio2013.

Desde 21 de abril que os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude percorrem por diversas dioceses do Estado do Rio de Janeiro e já passaram por Barra do Piraí-Volta Redonda, Valença, Nova Friburgo, Campos dos Goytacazes, Niterói, Caxias. Na última semana foi a vez da Diocese de Petrópolis desfrutar, por sete dias, a presença da Cruz Peregrina e do Ícone de Nossa Senhora, que peregrinou por diversas regiões da serra fluminense.

Segundo o bispo diocesano, Dom Gregório Paixão, com a passagem dos símbolos, o povo petropolitano pode viver uma expressão de fé pública.

“Foi um período maravilhoso aqui na Diocese de Petrópolis, onde nós pudemos levar a palavra de Deus, através desses Símbolos a todas as pessoas. Um momento de muita alegria, de muita unção e muita oração e entregamos, agora, à Diocese de Nova Iguaçu, sabendo que também o senhor será glorificado por esse povo ungido”, disse.

Já no território diocesano de Nova Iguaçu, os Símbolos da JMJ foram recepcionados pelos jovens do município de Belford Roxo. Em carreata pelas ruas da cidade, a juventude da região da baixada fluminense disseminavam alegria e fé, propagando a Jornada Mundial da Juventude a todos: “Ahá! Uhú! A Jornada é Nossa!”, gritavam os jovens.

O secretário executivo da Semana Missionária e JMJ Rio2013 da Diocese de Nova Iguaçu, Renan de Sá, expressa o quão significativo é a presença dos Símbolos na região.

“Por mais cansados que estejamos é emocionante estar com esses símbolos, que percorreram todo o mundo. A presença deles no meio de nós é um momento único. Representa Jesus que vem nos trazer o anuncio de um Cristo Ressuscitado e Redentor. É o anuncio da Jornada Mundial da Juventude. Ocasião que você sente firmemente a palavra de Deus aqui e agora. É o nosso momento”, disse Renan.

Para comemorar a passagem dos Símbolos da JMJ pela Diocese de Nova Iguaçu, uma missa solene foi celebrada, com a presença do bispo diocesano, Dom Luciano Bergamim, e todo o clero local.

A passagem da cruz e do ícone pela Diocese de Nova Iguaçu será uma oportunidade da Igreja propagar uma juventude firme na fé, que busca a construção de uma sociedade justa e solidária e que promove a dignidade humana. Dom Luciano Bergamim exorta que a passagem da cruz e do ícone demostra uma Igreja acolhedora e viva.

“Nos sentimos muito felizes porque esses símbolos representam nosso Senhor e a Mãe Dele. Representa toda a essência da vida cristã e o amor de Deus pela humanidade. O amor de Deus que nunca se cansa. Representa a ternura, que deve estar presente em nossa vida. O sonho de Deus para um mundo mais fraterno humano e solidário, que olha a vida e não a morte. E representa também que os jovens sejam grandes, muito grandes e que não podem ficar fechados em coisas pequenas e sobre tudo em coisas que não prestam” exortou o bispo.

O jovem Renan partilha que “a cruz simboliza a morte de Cristo e a morte de tantos outros irmãos e irmãs que aqui na baixada tanto sofrem. Com a violência. Mas ao mesmo tempo significa a ressureição. Um sinal de esperança à juventude. Um sinal de da Boa Nova de Cristo. Então ter a cruz e o ícone de Maria, como símbolo de acolhimento de esperança, para gente é inexplicável”, disse.

Depois da Celebração Eucarística, milhares de fiéis, em procissão com a presença dos Símbolos da JMJ, caminharam pelas ruas de Belford Roxo até a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, no Centro, que permaneceram em vigília.

Por Rita Vasconcelos

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais