Cristo Redentor completa 80 anos

Publicado em 12 de outubro de 2011 Por Seja o primeiro a comentar!

CristoRedentor

— O monumento é uma marca do Rio de Janeiro. Lembra um pouco aquilo que o brasileiro é: aquele que segue a Jesus Cristo e acolhedor, como os braços abertos do monumento, disse o Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta.

Construído com o dinheiro doado pelos fiéis de paróquias de todo o Brasil, o Cristo Redentor testemunha a todo o mundo a fé do maior país cristão e católico do planeta. Por isso, mais que um monumento bonito, ele traz em si a força de um povo que não se cansa de lutar por um mundo melhor, com mais justiça social para todos, onde reine a verdadeira paz. Uma paz que nasce no coração do homem que tem uma experiência pessoal com Deus. O Cristo, príncipe da paz, acolhe os anseios de todos os corações e leva ao Pai as orações de seus filhos.

Eleito uma das sete Maravilhas do Mundo Moderno e declarado Patrimônio Histórico e Artístico do Brasil, o Cristo Redentor foi transformado em Santuário em 12 de outubro de 2006. Desde então, inúmeros peregrinos visitam o local, onde há celebração da Missa; oração do Ângelus; adoração ao Santíssimo Sacramento e evangelização animadas por jovens da Comunidade Shalom; batizados e casamentos, realizados na capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida, construída na base do monumento.

Sua beleza e exuberância chamam a atenção de todos os que chegam de avião na cidade. Compositores e escritores já descreveram sua beleza em inúmeras obras musicais e literárias, sem falar nas fotos, quadros e projetos gráficos que utilizaram a sua imagem nessas oito décadas de existência.

Neste ano em que a Arquidiocese do Rio prepara o 11º Plano de Pastoral de Conjunto, com o qual os fiéis são chamados à missionariedade, a anunciar e reanunciar Jesus Cristo, a imagem no alto do morro do Corcovado, de braços abertos, conclama todos a proclamarem e testemunharem o amor incondicional de Deus pelo homem.

Dom Orani lembra, também nesse contexto, a Jornada Mundial da Juventude de 2013, que acontecerá no Rio de Janeiro:

— Celebrar 80 anos do Cristo, quando nós iniciamos os trabalhos da JMJ, é um grande dom e uma grande graça. Os jovens anunciam o Cristo na JMJ e aqui, no Rio de Janeiro, eles poderão encontrar aquele que eles anunciam, pois sua imagem é o marco da nossa cidade, disse.

 

Por Andreia Gripp, da Arquidiocese do Rio de Janeiro

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais