Congresso da Juventude Missionária publica carta-compromisso

Publicado em 1 de fevereiro de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

Durante a celebração de encerramento do I Congresso Nacional e V Missão Sem Fronteiras da Juventude Missionária, foi lida a carta-compromisso aprovada pelos jovens que estiveram em Planaltina (DF) de 15 a 19 de janeiro de 2020. Os jovens refletem a identidade da JM e o chamado do Papa Francisco para uma Igreja em saída. Confira a carta-compromisso:

 

“Sempre à caminho, mas nunca desenraizados”

 

Celebramos em Planaltina (DF), entre os dias 15 e 19 de janeiro de 2020, o I Congresso Nacional, que concluiu um processo de 3 anos, e experienciamos a V Missão Sem Fronteiras da Juventude Missionária (JM), atentos às realidades plurais que encontramos. Nós, juventudes, escutando o apelo do Papa Francisco, reconhecemo-nos como Batizados e Enviados, e nos encontramos hoje como uma só Igreja, jovem e sinodal, com diferentes rostos, personalidades e culturas.

 

No decorrer desses 15 anos, assim como o mundo, a JM também se transformou. Inseridos em uma mudança de época, somos cada vez mais concretos em nossos propósitos. Ousados e inquietos, estamos certos de que o Senhor permanece conosco e que ainda temos um longo caminho a percorrer, em nossos grupos e comunidades, caminho este que necessita de fé e discernimento, para irmos até as diversas periferias, superando as barreiras que levam à exclusão e à violência.

 

Assumindo o nosso batismo e ouvindo o próprio Jesus que nos diz “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15), somos jovens missionários de uma Igreja em saída. Somos uma juventude repleta de medos e anseios, mas cheia de esperança e sonhos, que entende a necessidade de florescer e ultrapassar as fronteiras geográficas, sociais e culturais, para testemunhar o amor, a paz, a fraternidade e a luta pelo bem viver, sem que sejamos separados pelas diferenças, pois somos todos irmãos (Mt 23, 8).

 

A nossa identidade nos leva ao diálogo, a escuta e ao encontro do rosto de Cristo nos irmãos que sofrem, que são excluídos e marginalizados, revestidos com a Sua Luz e Sua Vida, seguindo os passos de Paulina Jaricot, fundadora da Pontifícia Obra da Propagação da Fé (POPF), a qual pertencemos. Como prioridade, reafirmamos o nosso compromisso com mais inclusão e respeito às diferenças, estando dispostos a sermos acessíveis à diferentes públicos sobretudo com os que sofrem com preconceito e a exclusão. Buscamos encorajar discussões, trazendo diretrizes para os temas mais pertinentes às juventudes na Igreja e na sociedade. Para o próximo triênio estaremos aprofundando ainda mais na Palavra de Deus e o Discernimento, Serviço e Testemunho, para celebrarmos os 200 anos da Obra da Propagação da Fé e os 100 anos das Pontifícias Obras Missionárias.

 

Deus acende estrelas para nós, a fim de podermos continuar a caminhar (Christus Vivit). O nosso chamado é ser jovem missionário em todos os âmbitos, dispostos a partir para terras sedentas de vida em abundância, e perceber que “a vida se alcança e amadurece à medida que é entregue para dar vida aos outros. Isso é, definitivamente, a missão” (DAp 360). Refletindo sobre tudo isso, nos sentimos instigados a assumir um protagonismo na mudança das realidades, nos reconhecendo como missionários em nosso chão e Ad Gentes.

 

Que o sim de Maria encoraje o nosso, e que Santa Terezinha e São Francisco Xavier, sejam intercessores da nossa vivência do Mistério da Vontade de Deus.
Jovens missionários, sempre solidários!

 

Planaltina (DF), 19 de janeiro de 2020

Por Juventude Missionária do Brasil.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais