CNBB é eleita para o Conselho Nacional de Juventude

Publicado em 7 de janeiro de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil foi eleita para o período 2019/2021 como titular no Conselho Nacional da Juventude (Conjuve). Foram eleitas entidades da sociedade civil para composição das vagas regionais e nacionais do Conselho distribuídas pelos eixos temáticos do Estatuto da Juventude, estando a CNBB no eixo ‘Diversidade e Igualdade’ e como suplente a Associação de Jovens Engajamundo.

A seleção recebeu 378 inscrições, considerada um recorde de participação. De acordo com o decreto nº 10.069, de 17 de outubro de 2019, o Conjuve é composto por 30 conselheiros, sendo 10 representantes do poder público e 20 representantes da sociedade civil. O Conselho Nacional de Juventude foi criado em 2005 pela Lei 11.129, que também instituiu a Secretaria Nacional de Juventude – esta secretaria faz parte do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo federal.

Foram habilitadas 77 entidades nacionais, 87 regionais e 12 pessoas físicas de notório reconhecimento que participaram de entrevistas nos dias 4 e 5 de dezembro de 2019. Entre as selecionadas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); a Congregação das Irmãs da Copiosa Redenção Filhas da Maria Mãe da Divina Graça; a Congregação do Santíssimo Redentor; o Conselho Nacional da Juventude Salesiana e a Fazenda da Esperança.

“É importante que o jovem católico seja participativo nas tomadas de decisões do Estado por ser uma questão de cidadania, e pelo comprometimento comunitário algo que é próprio do Cristianismo. Com o DOCAT temos por orientação a importância em sermos protagonistas também nos espaços políticos […] que para fortalecer as respectivas posições e torná-las capazes de alcançarem a maioria […]”, ressalta Irmã Valéria, assessora interna da Pastoral Juvenil.

Matheus Vinícius Souza Domingos, representante dos Salesianos no processo seletivo, diz que é preciso ocupar espaços. “Nós dos Salesianos acreditamos que todos devem ter representação e espaço amplo para diálogo, conforme os princípios norteadores de Dom Bosco e Madre Mazzarello, santos que acreditam na juventude e em seu tempo lutaram por espaços de representação como esse. Temos muito que melhorar ainda, mas ter como prioridade o diálogo é algo essencial. Aguardarmos ansiosamente para ajudar no que for necessário o Conjuve e os representantes que escolhemos para esse período”.

Ariany Leite, representante das Congregações e membro da Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional, destaca a necessidade de ‘ser e fazer a diferença’.

“Nós como jovens cristãos devemos estar atentos aos espaços que nos cercam e à nossa vida em sociedade, onde podemos ser e fazer a diferença, sendo a face de Cristo, a luz dos ensinamentos trazidos pelos evangelhos, exemplos do vivo ensinamento de Cristo e testemunhas do seu Amor, além dos muros de nossos Santuários. As expressões juvenis, que participaram deste momento fortalecendo nossa identidade cristã, compreendem o objetivo de ampliar, fortalecer estruturas de acompanhamentos tanto no processo de despertar a fé da juventude, que nasce a partir do chamado do Redentor, baseado nos ensinamentos de tantos Santos como Santo Afonso que compreenderam mesmo a sua época a importância de se fazer presença nos espaços sociais nos quais se encontram inseridos”.

Melina Catellace – Fazenda da Esperança e Ariany Leite – Juventude Missionária Redentorista.

“Acredito que por meio de espaços de diálogo e de orientação podemos juntos tomar as melhores decisões para a condução corresponsável da juventude. Junto se faz possível fomentar as mudanças e transformações sonhadas para todos os jovens. O Conjuve reflete a diversidade dos juvenis atores sociais que contribuem para o enriquecimento desse espaço com propostas e diálogo em prol do bem comum na garantia de direitos e políticas públicas. Viver este processo seletivo é responder ao chamado do Papa Francisco de sairmos de nossa comodidade, é agir em favor da vida comunitária, é ver um futuro com esperança de que novas possibilidades há tempos sonhadas possam se concretizar”, ressalta Ariany.

A lista final das entidades eleitas foi divulgada ainda em dezembro de 2019 e a portaria de nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

 

da redação, Juliana Cuani com informações do mdh.gov.br

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais