Carnaval e Santidade: Dá para conciliar?

Publicado em 10 de fevereiro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

Paz e Bem, Juventudes!

Estamos chegando perto das famosas festas de carnaval brasileiras. Época em que a galera prepara suas fantasias, reúne-se com os amigos e vai para as ruas festejar. Mas, e se a gente tentasse encaixar um assunto muito falado no contexto de nossos grupos de jovens, partilhas comunitárias e afins, dentro da festa de carnaval? Algo como… viver a santidade! Será que podemos conciliar carnaval e santidade? É sobre isso que vamos falar um pouco neste texto. Vamos lá?

#Carnaval2018: qual será o seu destino? @ se liga, queremos saber em que retiro ou encontro você irá viver a alegria…

Publié par Jovens Conectados sur mercredi 17 Janvier 2018

 

Origem da festa de Carnaval

Bem, talvez alguns não saibam, mas a festa de carnaval tem origem, num primeiro momento. em uma festa pagã que data ainda da Antiguidade, mas recuperada pelo Cristianismo para preparar o povo para a vivência da Quaresma. Está confuso? Explico melhor.

O carnaval nos primeiros tempos do Cristianismo, era uma festa que começava no dia de Reis (a chamada Epifania) e só terminava na Quarta-feira de Cinzas. Como sabemos, depois da Quarta-feira de Cinzas já iniciamos o tempo quaresmal. E neste tempo, a Igreja orientava e orienta também hoje, que se faça jejum e penitência. Por isso, o carnaval, que etimologicamente quer dizer “adeus à carne”, era uma festa que tinha como principal função introduzir o povo no período sem ingestão de carne, a quaresma.

O carnaval equivalia ao antigo entrudo, ou seja, a entrada na quaresma, com o mesmo significado. Nessa festa, as pessoas se vestiam com fantasias e saíam pelas ruas fazendo uma verdadeira folia, uma super bagunça por onde passavam. A galera aproveitava, afinal de contas, depois dessa festa iniciava-se um período de profundo recolhimento. Tanto é, que a festa do entrudo no Brasil sofreu repressões policiais até ser extinta e substituída pelo que hoje conhecemos como carnaval.

Que sentido dar ao carnaval?

Olhando um pouco para nossas festas de carnaval hoje em dia, talvez fique difícil crer que a ideia era preparar para a quaresma, não é mesmo? Muita coisa mudou, e a festa de carnaval parece ter virado só um momento de vale-tudo, de pegação, de beber todas… Por isso, perguntamos: dá para aproveitar o carnaval, com diversão e alegria, sem deixar de lado a busca pela santidade?

A resposta para isso é positiva. Mas, precisamos dar um sentido para a festa que estamos celebrando. Viver o carnaval como vivem aqueles que não estão comprometidos com Deus, com a Sua Palavra, com Seu projeto de amor por nós, é muito fácil. É só agir como se não houvesse amanhã, sem pensar nas consequências. Mas nós, jovens cristãos, somos chamados a curtir o carnaval, depositando nossa alegria em Deus. Isso não quer dizer que não podemos ir para as ruas e festejar, mas sim, que possamos estar lá e não nos deixarmos iludir pelas coisas passageiras, como são os excessos. Não é difícil encontrar jovens no carnaval que amanhecem caídos nas ruas, bêbados, drogados, às vezes machucados por algum envolvimento em brigas. E aí podemos nos questionar: é essa a felicidade que Deus sonha para nós, jovens?

Nós, jovens católicos, devemos depositar a nossa alegria em Deus! (Foto: Arquivo Jovens Conectados)

Buscar a santidade em qualquer lugar!

Em todos os lugares aonde vamos, temos a tarefa de mostrar a face de Deus para as pessoas. Por isso, vale muito o conselho que o nosso brother São Paulo dá, em Romanos 12, 2: “Não se amoldem às estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente”. Notem que São Paulo dá um tutorial de como viver a santidade. Ele queria dizer: “Não vão atrás das modinhas, do vale-tudo”! Mas disseram a ele que não podia escrever deste modo, então ele escreveu: “Não se amoldem às estruturas deste mundo”! Isso quer dizer que somos convidados a fazer a diferença nesses lugares, como no carnaval, festejando do nosso jeito, com nossa fé, com nossos valores, sem deixar de ser jovem.

É importante ter presente que a santidade não é uma realidade distante de nós. Pelo contrário, todos nós somos convocados por Deus à santidade. Viver a nossa vida buscando a santidade: esta deve ser a nossa meta. O jovem que realmente crê em Deus e tem Ele presente na sua vida deve acreditar na santidade. Os santos não foram pessoas extramundanas, que entraram numa cápsula e se desligaram de tudo o que pode ser pecaminoso. Os santos foram seres humanos que, na sua realidade, muitas vezes marcada por dificuldades, obstáculos, incompreensões e talvez até momentos de distanciamento de Deus, souberam depositar toda a sua confiança no amor de Deus. Talvez seja esse um grande ensinamento dos santos para nós, jovens.

Ativando o Modo Santidade

Tendo presente tudo isso, podemos dizer que o carnaval é uma festa que pode muito bem ser comemorada e celebrada por nós, jovens cristãos. Mas não esquecendo de que, antes de sair de casa para qualquer coisa, é sempre bom ativar o Modo Santidade. Essa função serve para nos avisar quando uma atitude não condiz com nossa opção de obediência à vontade de Deus para nossa vida. Para ativar, é preciso acessar a Palavra de Deus e os ensinamentos da Igreja. Depois de ativado o Modo Santidade é só partir para a folia, sendo santo sem deixar de ser jovem.

Que todos e todas sejamos instrumentos de Deus, ferramentas nas Suas mãos, para tocar os corações de outros jovens, através de nosso testemunho de alegria e responsabilidade nas festas de carnaval.

São João Bosco, padroeiro da Juventude, interceda por todos os jovens de nosso Brasil!

Um salve fraterno e sigamos #conectados!

 

 

 

Frei Renan
Espíndola, OFMCap.

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais