Antônio de Pádua: jovem, santo e doutor da Igreja!

Publicado em 13 de junho de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

(Foto: Il ragazzo – Cathopic)

Das grandes virtudes que carregava consigo, o jovem Fernando Bulhões, mais tarde conhecido como Santo Antônio de Pádua (local de sua missão) ou de Lisboa (local de nascimento), destaca-se a sua simplicidade e grande humildade. O que pouca gente sabe, é que Fernando pertencia a uma família nobre. Sentiu tão forte o apelo de Deus em seu coração, que renunciou às posses e paixões, para ser “mártir”. Embora tenha tentado ir para a África, morrer por Cristo, é em Pádua que vai exercer seu ministério. Antônio soube por meio de uma vida intensa de trabalho e oração, encontrar o equilíbrio e regar de temperança os seus relacionamentos interpessoais. Punha-se à serviço de todos e abraçava os serviços mais penosos e que geravam maior repulsa, com grande zelo.

Logo no início de sua juventude, por volta dos 15 anos, ingressou na ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, para dar início à sua formação religiosa. Mais tarde, ao conhecer os franciscanos e ouvir falar sobre Francisco de Assis, sente-se chamado a servir a Deus por meio do carisma dos frades menores.

Ali estava um grande pregador, recolhido atrás do serviço aos irmãos. Tantas vezes rejeitado pelo seu povo de coração endurecido, mas incansável no anúncio. Incessante, martelo dos hereges, defensor da verdade! Grande catequista. Antônio possuía maestria com as palavras, dominava a oratória, mas sobretudo tinha o coração dócil ao Espírito Santo.

Soube em tão pouco tempo (apenas 36 anos), fazer de sua vida um autêntico testemunho do Evangelho! O querido Frei Antônio foi na terra um espelho que refletiu a atenção de Jesus aos mais necessitados, não só do alimento, mas àqueles que eram pobres do conhecimento da verdade, da sã Doutrina da Igreja, do Evangelho! Esse espelho continua a reluzir, seu testemunho é para nós um estímulo e modelo de como deve ser nosso zelo pela Palavra, nosso amor pela Santa Igreja e a intensidade do nosso trabalho e oração!

De Santo Antônio, nós jovens, podemos aprender muitas coisas, mas quero aqui destacar três pontos que acredito serem primordiais: O amor pela Palavra e o zelo pela Santa Igreja; a força de um autêntico testemunho; e a doação por completo de todo o seu ser (inclusive no próprio corpo).

O Frei Antônio rapidamente foi proclamado santo (menos de um ano após sua morte). Séculos depois fora proclamado Doutor da Igreja! Que tal ser um jovem conectado na vida e no testemunho de Santo Antônio? Como você pode ver, ele é bem mais que um santo casamenteiro!

Cronologia de Santo Anônio:

1195 – Nascimento: Lisboa Portugal
1210 – Com apenas 15 anos ingressa nos Cônegos Regulares de Santo Agostinho
1220: – Ordenação sacerdotal e ingresso na Ordem dos Frades Menores
1230: – Alto grau de debilidade da saúde | Escrita dos Sermões
1231: – Morte
1232: Canonização realizada pelo Papa Gregório IX
1934: é declarado Padroeiro de Portugal.
1946: proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII.

Santo Antônio de Pádua, Rogai por nós!

Por Rodrigo Santos, pós-discípulo da Comunidade Novo Ardor, autor e escritor do Blog Partilhando com o Espírito Santo e apresentador do quadro O papo do Papa, no Youtube.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais