Sejam missionários da alegria e do amor, pede Papa aos jovens

Sejam missionários da alegria e do amor, pede Papa aos jovens

Na audiência a “Missio Jovens”, Francisco exortou os jovens a se levantarem, cuidarem de seus irmãos e irmãs e darem testemunho com suas vidas do Evangelho da alegria.

Alegres, abertos à nova vida que Jesus dá, prontos para viver uma “caridade discreta e eficaz”, “imaginativa e inteligente”. Papa Francisco ofereceu “conselhos úteis” aos jovens que encontrou na manhã deste sábado, 23, por ocasião do Simpósio Missionário Juvenil.

O evento tem como tema: “De volta ao COMIGI: A missão parte novamente do futuro” e 50 anos após o nascimento do Movimento Juvenil Missionário das Pontifícias Obras Missionárias, hoje “Missio jovens”.

Crédito: Vatican Media

Uma fé forte e viva

São três verbos que o Pontífice indica, três pedras angulares para a missão que “deve ser vivida todos os dias”. Eles são: levantar-se, cuidar e testemunhar. Segundo o Santo Padre, “três movimentos muito precisos” para sustentar o caminho.

“Levantar-se novamente como o jovem filho da viúva de Naim que havia morrido e que Jesus ressuscita, movido pela dor de sua mãe, “a dor daqueles que sofrem muitas vezes de forma composta e digna, daqueles que perderam a esperança, daqueles que já não veem mais um futuro”. Reanimar para recomeçar uma ação, “para relançar-se rumo a um futuro de vida, cheio de esperança e de caridade para com nossos irmãos e irmãs”.

Segundo Francisco, Jesus dá a força para todos se levantarem e pede para não se fecharem em si mesmos, viverem a paralisia do egoísmo, da preguiça, da superficialidade. Estas paralisias, ressalta o Papa, estão por toda parte. E são elas que bloqueiam e fazem as pessoas viverem uma fé de museu, não uma fé forte, uma fé que está mais morta que viva.

Samaritanos com olhos e coração para os outros

Francisco se deteve, em seguida, na figura do Bom Samaritano que cuida do homem que é espancado e atirado na beira da estrada. “Cuidar” é o segundo verbo que indica para “organizar a caridade com projetos de amplo alcance”.

“Hoje precisamos de pessoas, especialmente jovens, que tenham olhos para ver as necessidades dos mais fracos e – acrescentou o Papa – um grande coração que os torne capazes de se gastar totalmente”. O convite é também para olhar para os missionários do passado.

Seguindo seus passos, com o estilo e os métodos adequados aos nossos tempos, cabe agora a vocês realizar uma caridade discreta e eficaz, uma caridade imaginativa e inteligente, não episódica mas contínua ao longo do tempo, capaz de acompanhar as pessoas em seu caminho de cura e crescimento, disse o Pontífice.

Viver como pessoas ressuscitadas

Olhando para o testemunho dos apóstolos, o Santo Padre pede a todo jovem para “compartilhar a felicidade” com os outros, depois de ter recebido o dom de uma nova vida de Jesus. Testemunhar com a vida, “colocar sua assinatura” no que se quer compartilhar, expor-se, colocar o coração nisso.

“Não se esqueçam destes três verbos: levantar-se de sua natureza sedentária, cuidar de seus irmãos e irmãs e dar testemunho do Evangelho da alegria (…) Saúdo vocês com uma frase de São Oscar Romero: ‘Quanto mais feliz é um homem, mais a glória de Cristo se manifesta nele’. Desejo que vocês sejam missionários da alegria, missionários do amor. O anúncio deve ser feito com o sorriso, não com a tristeza”.

 

Da redação, com Vatican News.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email