Mesa redonda apresenta realidade dos jovens da Amazônia

Publicado em 4 de dezembro de 2014 Por Seja o primeiro a comentar!

mesa redondaUma mesa redonda animou os jovens da Primeira Missão na Amazônia nessa  segunda-feira, dia 1 de dezembro. O bate papo faz parte da formação missionária que os jovens receberam antes de serem enviados para seus campos de missão. Representantes das diversas expressões juvenis do Estado do Amazonas partilharam experiências e responderam perguntas sobre a vida da juventude. Conheça um pouco deles:

 

Felipe Santos – coordenador diocesano de Coari (AM) da Pastoral Juventude:

“Em minha diocese há uma aproximação dos jovens da Igreja com os jovens que não tem uma denominação religiosa através de Festivais de Arte. É uma alegria poder receber vocês em minha diocese.”

 

Lidiane de Aleluia Cristo – educadora de jovens – Pastoral da Juventude:

Nascida em uma comunidade ribeirinha, hoje vive em Manaus. Com o trabalho pastoral aprendeu a estar em comunidade e a ir ao encontro dos irmãos. Para ela, é preciso treinar o nosso olhar e nossas experiências. A Missão está do nosso lado, nas grandes cidades temos a oportunidade de visitar os presos, ir as periferias, o cuidado com o Meio Ambiente. A escola é um grande campo de missão, ali temos  muitos jovens, e nem nos damos conta.

 

Odílio Gentil, seminarista indígena na diocese de São Gabriel da Cachoeira (AM):

Em sua comunidade existem 22 etnias com línguas diferentes. Quando decidiu ser padre, somente sua mãe o apoiou. “Os jovens de minha comunidade sonham muito em estudar, eu sonho em ser padre. Muitas vezes os jovens vêm para a cidade atrás do sonho, mas não conseguem e se envolvem com as drogas. Na minha comunidade eles são muito religiosos e gostam de festas. Infelizmente, os jovens indígenas vêm perdendo a identidade, talvez pelo preconceito das outras pessoas. A realidade é muito difícil, mas eles tentam fazer a diferença”.

 

Rayssa Tavares – Movimento dos Focolares – Parintins (AM):

Na messa redonda agradeceu ao sim dos jovens nessa primeira edição do projeto. De família católica, aprendeu, ao conhecer o Movimento dos Focolares, a viver autenticamente como cristã. Para ela, como jovem, é um grande desafio viver a Fé. “O mundo apresenta muitas tentações. Deus é Amor, e essa não deve ser uma relação individualista, esse amor  deve me impulsionar a ir ao encontro do irmão e isso me faz seguir frente.”

 

Por: Valesca Montenegro, uma das missionárias da Primeira Missão Jovem na Amazônia

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais