Mês das missões: o carisma de São Francisco de Assis que inspira jovens ainda nos dias de hoje

Publicado em 26 de outubro de 2015 Por Seja o primeiro a comentar!
Missão franciscana em Concórdia, em janeiro de 2015. Frei Diego, à frente, juntamente com os jovens. Foto: Bruna Oliver.

Missão franciscana em Concórdia, em janeiro de 2015. Frei Diego, à frente, juntamente com os jovens. Foto: Bruna Oliver.

“A razão de ser da Igreja é a missão”, afirma o animador provincial do Serviço de Animação Vocacional (SAV) da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, frei Diego Atalino de Melo. É nesta perspectiva que, neste mês dedicado às missões, o carisma franciscano se revela como uma das experiências missionárias mais marcantes desenvolvidas com a juventude no país.

Para o religioso, esta espiritualidade representa uma determinada vivência e forma de estar mais perto das pessoas: “Para nós, franciscanos, o nosso modo de ser e estar entre o povo já é uma forma de evangelização. Procuramos mostrar aos jovens que a simples presença fraterna, amiga, solidária e alegre são um grande testemunho da grandeza de Deus”. Outro aspecto da evangelização franciscana seria, segundo o frei, a “fraternidade”: “Tudo o que fazemos é sempre a partir dela. É a ‘fraternidade’ quem evangeliza. São irmãos e irmãs de diferentes lugares, histórias e culturas, que por força do Espírito Santo, se tornam uma única família no mesmo ideal”.

E um dos gestos concretos desta maneira de evangelizar são as atividades realizadas pelo SAV como a Caminhada Jovem Franciscana e a Missão de Férias. Tudo é estruturado a partir da mística franciscana: orações, cantos, celebrações, dinâmicas e a presença numerosa dos frades e irmãs franciscanas para proporcionar aos participantes dias de contato profundo e contínuo com o carisma. Tais atividades envolvem as paróquias de toda a província, presente nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina.

De acordo com o animador vocacional, o objetivo maior é evangelizar os jovens fazendo-os também evangelizadores. “O propósito dessas missões é proporcioná-los uma experiência missionária, fazendo-os descobrir o seu protagonismo na evangelização. No entanto, a missão é sempre uma via de mão dupla: ao mesmo tempo em que eles evangelizam, também são evangelizados”, ressalta frei Diego ao explicar que a ideia desta experiência é para que, ao longo do ano, os jovens se tornem multiplicadores do projeto em suas paróquias e comunidades de origem.

Caminhada franciscana, em Curitiba (PR). Foto: Frei Augusto

Caminhada franciscana, em Curitiba (PR). Foto: frei Augusto Luiz Gabriel .

Caminhada Franciscana da Juventude 

Um dos momentos mais especiais das missões franciscanas, com a participação de jovens de todo Brasil, tem sido a Caminhada Franciscana da Juventude (CFJ). Neste ano, aconteceu a quarta edição de 19 a 20 de setembro, na região metropolitana de Curitiba (PR).

No primeiro dia, os quase 400 participantes foram acolhidos pelos freis no Convento São Boaventura, em Campo Largo (PR). E a animação era geral pois, a cada ano, as caminhadas crescem. A primeira delas, por exemplo, contou apenas com 40 jovens. Na CFJ de 2015, houve até mesmo a presença de jovens de outras religiões.

O trajeto de 20 km foi percorrido de madrugada, partindo de Campo Largo em direção a Curitiba, e foi encerrado no Hospital de Dermatologia Sanitária do Paraná, na cidade de Piraquara, onde todos foram carinhosamente acolhidos na Capela São Roque com a apresentação de um coral de crianças e puderam conhecer uma parte do trabalho desenvolvido com portadores de hanseníase.

Caminhada em Curitiba. Chegada da cruz ao hospital de hansenianos. Foto: Bruna Oliver.

Caminhada em Curitiba. Chegada da cruz ao hospital de hansenianos. Foto: Bruna Oliver.

O encerramento da CFJ, em Piraquara, foi especialmente pensado, segundo frei Diego. Os jovens puderam estar próximos dos hansenianos, inspirados num gesto de São Francisco, que beijou um leproso. “Para o santo, o beijo do leproso foi fundamental no seu processo de conversão pois, a partir daquele momento, ‘tudo o que era amargo se converteu em doçura’”, afirma o religioso ao enfatizar que aquele leproso das histórias de Francisco existe ainda hoje e possui um nome, uma história, uma família e um rosto.

 

Outra motivação da caminhada foi a de apresentar a história de frei Ruy Guido Depinè que mantém vivo o carisma franciscano de estar entre os mais pobres. O religioso é o responsável pelo hospital de Piraquara e a decisão de encerrar a caminhada na instituição foi justamente para apresentar a história dos pacientes e o trabalho desenvolvido por ele. “Creio que hoje somos carentes de bons referenciais, de pessoas que sirvam como verdadeiras estrelas a nos guiar em meio à noite. Queremos que os jovens percebam que há causas nobres e grandes para se doar a vida e que também nos trazem felicidade”, esclareceu frei Diego.

Um momento especial também para os jovens, na chegada ao hospital, foi conhecer a história da coordenadora do Projeto Dikaion, Josy. Apesar de ser membro da Igreja Batista, ela trabalha numa instituição católica e sua vida e a de sua família demonstram um ecumenismo na prática, em que o amor ao próximo é a lei maior. “Neste mundo tão marcado pela exclusão e pela intolerância, até mesmo religiosa, queríamos apresentar a grandeza daquelas histórias de vida, um trabalho grandioso que nos dão um verdadeiro exemplo de amor ao próximo e união por uma causa comum”, afirmou o animador vocacional sobre a atuação de Josy no cotidiano do hospital.  O Projeto Dikaion possui um coral de crianças e diversas atividades sociais e Josy foi a responsável pelas apresentações e acolhida aos jovens missionários, tudo em parceria com frei Ruy e as irmãs franciscanas que atuam no hospital.

“Partilha, conhecimento, caridade e união são algumas palavras que para mim podem definir a caminhada em Curitiba, uma experiência forte e intensa. A frase ‘deixe Deus te surpreender’, dita pelo frei Diego, ecoou dentro de mim”, testemunhou a jovem franciscana Bruna Oliver, de Sorocaba (SP), que, apesar de já ter participado de edições anteriores e já conhecer os frades e o carisma franciscano, afirma ter se surpreendido a cada momento.

Missão de Férias

Outra iniciativa de trabalho com a juventude desenvolvida pelo SAV é a Missão de Férias, realizada especialmente no mês de janeiro, com jovens de 15 a 30 anos. A próxima será de 14 a 17 de Janeiro de 2016, na cidade de Chopinzinho (PR).

Ainda de acordo com o animador vocacional, a Missão de Férias acontece, a cada ano, em uma das paróquias franciscanas. A primeira foi em fevereiro de 2014, em Ituporanga (SC), com a participação de cerca de 90 jovens. A segunda foi em janeiro de 2015, em Concórdia (SC), com 230 participantes. Para janeiro, a expectativa é de participação de cerca de 300 jovens.

A primeira etapa da experiência é sempre conhecer a realidade paroquial e social da cidade onde se desenvolverá a missão, iniciada com um momento de integração, orientação sobre o que é a missão franciscana e orações no primeiro dia de formação. Em seguida, os jovens são divididos em grupos menores, com aproximadamente 30 membros, e enviados para as comunidades onde permanecem por dois dias realizando a missão propriamente dita: visitas às famílias, idosos, enfermos, presídios e encontros com os jovens da comunidade.

Todas as visitas são encerradas com uma celebração na própria comunidade e, no último dia, todos se reúnem na igreja matriz para a Santa Missa. Como cada Missão de Férias se adapta à realidade e demandas locais, em Chopinzinho, por exemplo, estão previstas, além das atividades normalmente realizadas, visitas e celebrações nas aldeias indígenas existentes no território da paróquia, além de visitas missionárias a prostíbulos da cidade.

Quem desejar mais informações ou participar das missões, pode entrar em contato pelo e-mail sav@franciscanos.org.br.

Por Juliana Cuani

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais