Jovens marcam presença na Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe

Jovens marcam presença na Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe

Desde a preparação, no processo de escuta os jovens se fizeram presentes na primeira Assembleia Eclesial do CELAM – Conferência Episcopal da América Latina e do Caribe. Da Coordenação Nacional, Michele Gonçalves, secretária da PJ (Pastoral da Juventude) e Vinícius Raposo fizeram parte da Equipe de Animação Nacional ao lado de religiosos e religiosas, bispos, padres e outros leigos.

A juventude do Brasil teve também a oportunidade de participar dos momentos de escuta. Foram palestras, questionários, fóruns no país e com jovens de outros países, com diferentes temáticas… até que chegaram os dias da Assembleia.

Para a Pastoral Juvenil foram disponibilizadas 10 vagas, mas também houveram outros jovens leigos de organismos da CNBB. Participando dos grupos, das comunicações, interagindo no chat do zoom da assembleia e nos diversos grupos de whatsapp, a juventude brasileira marcou presença e deixou claro seu amor à Igreja e o deseja de que ela seja sempre renovada para estar cada vez mais aberta às novas gerações.

Testemunho bonito deram também jovens da Pastoral Juvenil de outros países que clamaram por escuta, acolhida, espaços de participação ao mesmo tempo em que assumiram o compromisso de ser Igreja em saída.

Os brasileiros participantes sentiram a alegria de participar (também o cansaço), de pertencer, de fazer parte da missão eclesial, mas perceberam também as urgências de renovação:

“Nestes dias de Assembleia Eclesial, ressoa em meu coração e vida a necessidade de testemunhar, com o ser e agir, a “sábia loucura do santo Evangelho”. Os temas dialogados, que são caros à Igreja nos dias de hoje, como o fim do clericalismo, a participação efetiva e deliberativa das mulheres nos ministérios, na Igreja e na sociedade, a opção preferencial pelos pobres e a caminhada de luta junto aos povos originários nos enchem de esperança e alargam o horizonte. Nosso clamor é por uma Igreja simples, despojada, sensível, autêntica e encarnada na realidade, nos sofrimentos e alegrias, na dor e no amor” – Guilherme Alves, lassalista.

“Participar da 1ª Assembleia Eclesial Latino Americana tem sido uma grata surpresa. É muito bom estar imerso no processo sinodal e respondendo aos apelos do Papa Francisco. Estamos em busca de construir a unidade em meio à diversidade. Pensar nos anseios da Igreja da América Latina é voltar-se para os apelos feitos em Aparecida em 2007 e fazer ecoar ainda hoje a voz daquela experiência que impulsionou um tempo de renovação na Igreja. Destaca-se ao longo dos trabalhos a necessidade de vivermos um discipulado que se paute na Cultura do Encontro. Ainda somos poucos, mas é bom saber que junto comigo caminham muitos outros jovens que buscam dar respostas às realidades que estão inseridos e “fazer barulho” como nos exorta com frequência o Santo Padre. Agradeço a Deus por esta oportunidade e rogo à Nossa Senhora de Guadalupe que rogue por nós, para que nasçam bons e fecundos deste trabalho para toda a Igreja da América Latina” – Rodrigo Santos, 27 anos, leigo Consagrado na Comunidade Católica Novo Ardor.

Ao final de intensos dias de oração, reflexão e partilha, a juventude ainda teve a alegria de ser colocada como prioridade pastoral para toda a Igreja da América Latina e do Caribe:

“1. Reconhecer e valorizar o papel dos jovens na comunidade eclesial e na sociedade como agentes de transformação.”

Bonito também foi perceber outros jovens envolvidos, acompanhando, intercedendo e refletindo com toda a Igreja esse linda experiência de sinodalidade.

Por: Irmã Valéria.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email