Jovens acolhem símbolos da JMJ em Florianópolis

Publicado em 13 de janeiro de 2013 Por Seja o primeiro a comentar!
Símbolos da JMJ foram acolhidos pela juventude da Arquidiocese de Florianópolis (SC)

Símbolos da JMJ foram acolhidos pela juventude da Arquidiocese de Florianópolis (SC)

A Arquidiocese de Florianópolis esteve em festa com a acolhida dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em peregrinação por Santa Catarina. Desde quinta-feira (10), a Cruz dos jovens e o Ícone de Nossa Senhora percorreram cada uma das oito comarcas pastorais da arquidiocese. Além dos símbolos, acompanha um quadro da Beata Albertina Berkenbrock, jovem mártir catarinense, intercessora da JMJ Rio2013.

Neste sábado (12), foi a vez da Comarca da Ilha, que compreende a cidade de Florianópolis e algumas cidades da região metropolitana, receber os símbolos. O primeiro local da visita foi o complexo penitenciário do Estado.

Carregando a Cruz e o Ícone foram recebidos por presidiários na capela da Penitenciária, onde fizerem um momento de oração conduzido pelo padre Ney Brasil Pereira, coordenador arquidiocesano da Pastoral Carcerária.

Sinal diante da violência

Cruz da JMJ é levata à capela da Penitenciária de Florianópolis

Cruz da JMJ é levata à capela da Penitenciária de Florianópolis

O Complexo Penitenciário de Florianópolis é constituído pela Penitenciária do Estado,  os presídios masculino e feminino, um hospital de custódia, um presídio de segurança máxima, centros de observação temporárias, centro de triagem, formando, no total, uma população de 1.200 presos.

Para o padre Ney, é muito importante a presença dos símbolos da JMJ entre os encarcerados. “A cruz de Jesus salvou a toda humanidade, essa parcela da população, que são os presos, não pode ser esquecida”, disse.
Jovens rezam pelas vítimas da violência na periferia de Florianópolis

Jovens rezam pelas vítimas da violência na periferia de Florianópolis

Em seguida, os símbolos seguiram para a região mais pobre de Florianópolis, o Morro da Caieira., ponto mais alto da ilha. Lá os jovens da Pastoral da Juventude (PJ) e movimentos sociais da região. No momento de oração, padre Vilson Gruno, que atua na região, convidou todos a um minuto de silêncio pelos 37.560 jovens assassinados nas periferias das grandes cidades brasileiras desde 2013. “Ao assumir a cruz nos braços, assumimos a caminhada da juventude,  rumo ao caminho da cultura da solidariedade, da vida e dos valores”.

Nessa região, mais de 3 mil jovens e adolescentes foram atendidos pelas obras sociais da comunidade. Um desses jovens, Diego Francisco Tripoli, 23 anos, que hoje coordena a obra social Procurando Caminho, leu uma carta aberta da juventude, pedindo ao poder público a garantia de uma vida digna.  “Nós sentimos falta de saúde de qualidade, que atenda toda a nossa comunidade, espaços de lazer, oportunidade de ingressar no mundo do trabalho. Nós, enquanto jovens, que ansiamos fazer diferença na sociedade, queremos fazer o novo”, disse.

O terceiro momento de peregrinação na Ilha de Florianópolis foi a caminhada com os símbolos até a Catedral Metropolitana, onde foi celebrada uma missa, seguida de uma apresentação teatral organizada pela Comunidade Católica Shalom.

Bote Fé Floripa

Mais de 3 mil jovens participam do Bote Fé Floripa

Mais de 3 mil jovens participam do Bote Fé Floripa

O ponto alto da peregrinação foi o evento Bote Fé Floripa, que reuniu mais de 3 mil jovens no Centro Multiuso de São José.  A festa começou por volta das 19h, com apresentações culturais locais, com destaque para as bandas Éfeta e Amados do Eterno, que agitaram a galera antes mesmo dos símbolos chegarem ao local.

Às 21h30, a Cruz e o Ícone chegaram ao evento, trazidos da catedral. Em seguida, foi celebrada uma missa presidida pelo arcebispo metropolitano de Florianópolis, dom Wilson Tadeu Jönck, e concelebrada por bispos do Regional Sul 4, da CNBB, e padre da Arquidiocese.

Após a missa, a festa continuou com a apresentação das atrações nacionais Cantores de Deus e Vida Reluz. Já eram mais de 3h da manhã, quando a Banda Dominus subiu ao palco e animou os jovens que não deixaram abater pelo cansaço.

Após deixarem o evento Bote Fé, os símbolos seguiram para a Comarca de Tijucas onde passou a noite na Paróquia Santo Antônio, em uma vigília de oração. Na manhã desde domingo (13), a Cruz e o Ícone vão para o Santuário de Santa Paulina,  em Nova Trento, onde houve uma missa de envio dos símbolos para a Diocese de Joinville.

Celebrar a unidade

Diversas expressões juvenis se reuniram para organizar o Bote Fé Foripa

Diversas expressões juvenis se reuniram para organizar o Bote Fé Foripa

De acordo com dom Wilson, a passagem da Cruz e o Ícone pela arquidiocese já tem trazido muitos frutos positivos. “Todos os que participam da peregrinação destes símbolos são tocados e se encontram com aquilo que há de mais precioso em si mesmo. Todos saem com um desejo de vida cristã. Penso que esse seja um grande fruto da passagem da Cruz e do Ícone por nossa arquidiocese”.

Dom Wilson também falou ao site Jovens Conectados sobre a realidade juvenil em Florianópolis, cidade marcada por muitas universidades e, por isso, muitos jovens. “São muitas juventudes. De modo geral, eu diria que o jovem é um desafio. Temos diversas manifestações de fé da juventude, mas há muitos outros jovens que não têm uma manifestação de vida cristã. Precisamos fazer chegar o anúncio do evangelho também a eles”, ressaltou.

Para responder a esse desafio, a Igreja em Florianópolis está estruturando o Setor Juventude. Eventos como a própria peregrinação dos símbolos da JMJ foram muito importantes para articulação das diversas expressões juvenis da arquidiocese em vista da unidade. “O Setor Juventude vai caminhando. A diversidade pode criar, às vezes, algumas dificuldades, mas vejo muita riqueza nessa unidade”, completou o arcebispo.

João Batista Sartori, 26 anos, é assessor arquidiocesano da PJ, confirma que o diálogo é muito importante para aproximar as expressões e construir uma pastoral juvenil. “Esse diálogo vai além dos carismas individuais de cada expressão, mas algo que leva a um projeto maior do próprio Jesus Cristo, da unidade e da civilização do amor”, disse.

 

Confira mais fotos da Peregrinação dos símbolos da JMJ em Florianópolis e do Bote Fé Floripa no Flickr (http://www.flickr.com/photos/jovensconectados)

 

Pelos enviado especiais Fernando Geronazzo, Manuela Castro, Felipe dos Santos

Fotos: Rejane Souza

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais