Igreja deve ser humilde diante da cultura juvenil, diz dom Eduardo Pinheiro

Publicado em 29 de abril de 2013 Por Seja o primeiro a comentar!

O quadro “Nova Evangelização e Concílio Vaticano II” da Rádio Vaticano tratou na sua última edição sobre a centralidade do jovem na nova evangelização, a cujo desafio a Igreja é chamada sempre a dar respostas novas, na busca sempre fiel do anúncio de Jesus Cristo – que é o mesmo, ontem, hoje e sempre.

Evidentemente, a nova evangelização representa um desafio para a Igreja, que este ano vive momentos de grandes celebrações: estamos vivendo o Ano da Fé com o qual celebramos os 50 anos do Concílio Vaticano II; e para a Igreja em nosso país estamos também comemorando os 50 anos da Campanha da Fraternidade e vivendo no Brasil o “Ano da Juventude”.

A propósito de juventude, passados 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II e olhando para o presente no signo da renovação – partindo de um contexto juvenil –, “se quisermos dar uma resposta nova para o mundo de hoje com os “sinais dos tempos”, devemos escutar mais essa juventude que vai junto com todos nós encontrar os melhores caminhos para a Igreja e para a sociedade”: esse é o parecer do presidente da Comissão para a Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro da Silva, S.D.B., com quem contamos nesta nossa edição.

Justamente olhando para “os sinais dos tempos (categoria do Concílio Vaticano II), o bispo auxiliar de Campo Grande – MS nos destaca que “se a Igreja quiser investir ou fazer valer a nova evangelização, ela precisa ter uma atitude de humildade, de proximidade da cultura juvenil, para entender esse novo de maneira toda particular pelos jovens, por seus conceitos, critérios, valores e sentimentos”.

No que tange às referidas datas e momentos importantes que a Igreja está celebrando, Dom Eduardo diz ver tudo isso não como coincidência, mas providência de Deus.

Confira a entrevista de dom Eduardo Pinheiro.

MP3

Por Rádio Vaticano

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais