Emoção e alegria na acolhida dos símbolos da JMJ em Criciúma (SC)

Publicado em 8 de janeiro de 2013 Por Seja o primeiro a comentar!

 

Multidão carrega a Cruz da JMJ em Criciúma (SC)

Multidão carrega a Cruz da JMJ em Criciúma (SC)

Por onde eles passam, não ficam despercebidos. Uma emoção especial contagia jovens, adultos, crianças e idosos. Foi o que se percebeu durante a tarde da sexta-feira (4) quando os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) finalmente chegaram em solo da Diocese de Criciúma (SC).

Depois de uma longa viagem à Lages, com participação na missa celebrada na Catedral Nossa Senhora dos Prazeres, presidida pelo bispo Dom Irineu Andreassa, a juventude da Diocese de Criciúma, acompanhada por seu bispo, Dom Jacinto Inacio Flach, junto aos padres Bento Zilli, Antonio Mendes e Joel Sávio, chegou à Lauro Müller (SC) com a Cruz Peregrina, o Ícone de Nossa Senhora e a imagem da bem-aventurada Albertina Berkenbrock.

Dom Irineu, que presidiu a missa também concelebrada pelo bispo emérito Dom Oneres Marchiori e demais padres da Diocese de Lages, falou da alegria da experiência em acolher os símbolos e de entregá-los ao povo de Criciúma. “Quando a gente encontra o Messias, Ele coloca em nós uma missão. Que possamos também ver nas imagens da Virgem Maria e da beata Albertina, o amor de Deus na experiência da cruz. Tocar a cruz, beijar a cruz, transmite uma imensa alegria. Dom Jacinto, o senhor está levando um sinal que o Pai deu para a humanidade. É na cruz que sentimos o quanto Deus nos ama. Que os jovens de sua diocese possam ver no Ícone de Nossa Senhora, a jovem que acreditou e investiu no plano de Deus”, enfatizou o bispo Dom Irineu, em sua homilia.

criciuma1Esperada chegada
A comitiva de jovens da Diocese de Criciúma chegou pontualmente às 16 horas, sendo recepcionada na localidade de Guatá, às margens da SC 438, por um grande número de paroquianos, acompanhados do pároco da Paróquia Imaculado Coração de Maria, padre José Aires Pereira. O hino da JMJ ecoava pela ruas, conforme a carreata se aproximava do centro da cidade. Moradores em frente às casas acenavam e aplaudiam com alegria a passagem dos símbolos.

Na chegada ao centro de Lauro Müller, mais uma parte do povo já se concentrava junto à praça, acolhendo os símbolos junto ao vigário, padre Valmor Della Giustina, com muita música e animação.

“Sejamos amigos da cruz, porque ela vai nos libertar, vai nos animar e dar força para nossas vidas. Nossa fé nos une a Deus e faz com que Ele esteja próximo de nós, nos problemas do dia a dia. Enquanto tivermos fé Nele, a cruz nunca será empecilho, mas pelo contrário, nossa força. As jornadas já reuniram milhões de pessoas. Que ao tocar e olhar os símbolos, possamos renovar a nossa fé na cruz de Cristo e na presença carinhosa de Maria”, declarou o bispo Dom Jacinto, que depois acompanhou a multidão em caminhada até a Igreja Matriz, de onde os símbolos partiram, depois, para a Paróquia de Urussanga, onde foram acolhidos com a celebração da Via-Sacra.

Entrega
Na tarde da segunda-feira (7) a Diocese de Criciúma celebrou a entrega dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude ao povo da Diocese de Tubarão. Desde sexta-feira seguindo um intenso rumo de peregrinação, a Cruz mais conhecida e tocada no mundo foi levada à Paróquia Santa Otília, de Orleans.

O bispo de Tubarão, Dom João Francisco, pediu a todos que acompanharam a peregrinação na diocese de Criciúma os compromissos relativos o espírito missionário. “Vamos ser em nossas casas, em nossos ambientes de trabalho, pessoas que falem de Jesus: da vida que Ele nos traz, do sentido de ser cristãos católicos convictos, alegres, junto aos jovens. A missão de receber a cruz, não é só deles, mas de todos nós. Eles precisam encontrar em nós, adultos, o apoio necessário para que se formem e amadureçam e, com sua vitalidade e sua dedicação, também nos ajudem a sermos autênticos transmissores da fé”.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais