Diocese de Juiz de Fora celebra um ano de JMJ

Publicado em 12 de agosto de 2014 Por Seja o primeiro a comentar!
Foto: Lucas Fonseca

Foto: Lucas Fonseca

O Brasil acolheu a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o maior evento envolvendo jovens católicos do mundo, onde mais de 3,5 milhões de pessoas vindas de diversos países e a juventude da Arquidiocese de Juiz de Fora compareceu com mais de três mil jovens nesse encontro.

Para relembrar a JMJ no dia 03 de agosto foi celebrado um ano do evento, na Catedral Metropolitana, onde vários grupos jovens se fizeram presentes para agradecer a Deus pelos momentos ali vividos.

A celebração, que foi presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, que em sua homilia destacou várias vezes a exortação do Papa. “Ide, sem medo, para servir”. E repetindo esse ato, o bispo convocou a todos em alto e bom som dizerem a frase: “Ide, sem medo, para servir”.

Dom Gil lembra a juventude a fala do papa na missa de envio. “A experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história” E novamente o arcebispo Dom Gil convoca a todos a dizerem: “Ide, sem medo, para servir”, alertou.

Os testemunhos dos jovens também marcaram a celebração.Deram seus depoimentos, o voluntário na Semana Missionária, Vinicius Hermidio Monteiro; a jovem do Panamá Sara Arosemena que foi uma das peregrinas durante a Semana Missionária e para finalizar, Geovani Eduardo integrante da Comunidade Jovens Missionários Continentais, que nasceu da JMJ.

Legado

Segundo Dom Gil, o principal legado deixado pela Jornada Mundial da Juventude à Arquidiocese foi a criação da Comunidade Jovens Missionários Continentais, composta por rapazes e moças que se comprometeram a doar um ano de sua vida a Deus e à Igreja. “Logo que terminou a Jornada um grupo de jovens da Arquidiocese que foram ao evento me perguntaram o que podiam fazer pela Igreja, o que podiam fazer para atender ao pedido feito pelo Papa Francisco. Ao constituirmos essa comunidade ficou acertado que eles teriam três obrigações: oração, formação e missão”, conta.

Os Jovens Missionários Continentais se reúnem semanalmente às sextas-feiras, das 22h às 0h, em missa e adoração ao Santíssimo Sacramento, na Capela do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio. Além disso, o grupo de aproximadamente 60 jovens já realizou nove missões, em paróquias de Juiz de Fora e cidades da região.

Por: Ana Maria Roberto

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais