ARTIGO: O pão nosso de cada dia nos faz família

Publicado em 9 de abril de 2020 Por Seja o primeiro a comentar!

Esta Quinta-feira Santa vamos vivenciar de uma forma única. Diante da pandemia que nos envolve, somos chamados a celebrar nossa fé, no vigor de nossa comunhão eclesial como Igreja –  Corpo místico de Cristo – reunidos em família, Igreja doméstica, junto aos nossos e unidos pelos meios de comunicação.

Antes, contudo, da Celebração Eucarística, vamos nos preparar. Hoje, a Igreja em sua liturgia nos convida a celebrar a instituição da Eucaristia – nos dois gestos que se unem no mistério deste dia, a Última Ceia do Senhor com seus discípulos e o Lava pés, o sacramento da Eucaristia. Sinal do compromisso, doação e serviço. Quem comunga do mistério do Corpo e Sangue de Cristo comunga da missão de Jesus, levando-o consigo como alimento, força e alento em nosso peregrinar como irmãos a caminho da Casa do Pai e edificando nossa história, iluminada pela Salvação em Cristo, pois participamos todos do mesmo corpo. (1Cor, 10, 16-17)

Olhando para os textos sagrados, contemplando a Santa Ceia, deslumbramos assim o “memorial” profetizado pelo próprio Senhor Jesus e consumado no monte do Calvário, e na alegria do túmulo vazio, pois ele Vive, Ressuscitou.

O alimento escolhido por Jesus é justamente o presente em todas as culturas e povos, do mais simples ao mais afortunado. O pão é o sinal do trabalho do vigor da humanidade, que edifica seus dias e sustenta sua família. O pão ázimo (sem fermento) usado pelo Cristo, que vem da antiga Páscoa do povo hebreu como sinal de uma vida nova, nas mãos de Jesus quer nos provocar a viver a Nova e Eterna Aliança, que se faz por Ele, com Ele e para Ele, onde O Senhor é a fonte de nossa comunhão, que nos conduz ao Pai pela ação do Espirito Santo.

O pão está presente na memória de muitos de nós como fonte de alimento (o pão com manteiga no café da manhã), de partilha (o pão ao necessitado) e familiar (no preparo da massa, pois há pouco tempo atrás, ainda o pão de cada dia era assado em casa).

A partir deste contexto, trago comigo um grande aprendizado, adquirido com a sabedoria de minha mãe. Quando criança, a ouvir ela preparar o pão pelo vibrar da pia, onde sovava a massa, logo corria para beliscar a massa ainda a fermentar.

Diante de tal preparo, perguntei uma vez a ela: “Mãe, por que precisa bater tanto o pão?”. Ela me respondeu: “Ninguém gosta de pão duro. Todos gostamos de pão macio, por isso quando mais sovamos a massa, mas macio fica o pão. Por isso aprenda, que na vida muitas pessoas virão para sovar teu coração, mas nunca para um coração mais duro, mas sim para um coração melhor”.

Diante de suas palavras, hoje consigo compreender ainda mais o valor e a força que nasce em nós no gesto do comungar o pão do Anjos, o pão eucarístico, a hóstia sagrada, o pão da vida. (Jo6,35). Nela se encontra verdadeiramente o Salvador, aquele que foi sovado deste a traição de Judas até sua morte na cruz, um coração que foi transpassado pela lança, mas do qual brotou para nós a graça da Eucaristia (sangue) e o Batismo. (cf. Jo 19, 34).

Em família, fazer e ser pão

Convido hoje você, querido jovem, a fazer o gesto de Jesus, que ao lavar os pés e ao partir o pão e o cálice com os seus, nos dá a graça do memorial que nos redimi unificando, a Eucaristia (Lc 22,19).

Precisamos reaprender e registar nossa memória afetiva, religiosa e familiar.  Aos que puderem, a alegria e descoberta de como preparar o pão juntos, da mistura dos ingredientes ao partir do pão quentinho em torno da mesa. Enquanto a pão assa, procure as fotografias as mais antigas da família, aquelas reveladas, algumas até em preto e branco. Vamos reconstruir nossa história afetiva e nela contemplar a fé sempre presente. Faça um pequeno vídeo com o testemunho dos seus familiares a partir das histórias compartilhadas e envie aos teus familiares.

Por Pe. Carlos Panassolo, assessor do Setor Juvenil da Diocese de Amparo (SP)

Aproveite para baixar o pack da Quinta-feira Santa com o roteiro celebrativo. Clique na imagem abaixo.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais