Arquidiocese de Cascavel celebra 4 anos da “Missa Jovem” na Catedral

Arquidiocese de Cascavel celebra 4 anos da “Missa Jovem” na Catedral

A missa já reuniu mais de 4 mil jovens da Catedral Nossa Senhora Aparecida, em Cascavel

Com o objetivo de evangelizar a juventude, especialmente os universitários, há quatro anos o Setor Juventude da Arquidiocese de Cascavel (PR) criou o projeto da “Missa Jovem”. Uma quinta-feira por mês, às 23h, a Catedral de Nossa Senhora Aparecida, no centro de Cascavel, abre as portas para acolher os jovens para uma missa voltada a eles. O horário da missa, que dura no máximo 1h10, visa favorecer o jovem para que possa chegar a tempo e também voltar para casa em segurança, considerando o horário em que passa o último ônibus coletivo em frente à Catedral. A celebração, que já chegou a reunir 4.500 jovens, costuma reunir, mensalmente, cerca de 2.500 jovens.

A iniciativa nasceu do coração do jovem Everton Cesar Guimarães que, na época (2016), era o coordenador do Setor Juventude. Após participar da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, em 2013, Everton foi impulsionado pelas palavras do Papa Francisco: “A Igreja precisa de vocês, jovens, do entusiasmo, da criatividade, da alegria”. A partir disso, começou a pensar numa forma de reunir os jovens na Igreja, especialmente aqueles que se afastam após iniciar a faculdade, por isso uma das primeiras preocupações foi quanto ao horário.

“Nós precisávamos falar para esses jovens universitários: a Igreja está aqui, tem um local de criatividade, de entusiasmo e de jovens muito alegres. Nós demos ao jovem essa possibilidade de sair da faculdade, mesmo cansado, e participar da missa”, conta Everton. Outra característica dessa Missa Jovem, é a preparação, feita pelos próprios jovens, que acolhem uns aos outros, lideram a liturgia e os cantos, e os padres também se preocupam em fazer uma homilia voltada para o jovem. Everton recorda que esse também foi um apelo do Papa Francisco: “Ele disse que não tem melhor ferramenta do que o jovem evangelizando o jovem”.

A Missa Jovem tem um dia da semana estabelecido no mês: a quinta-feira, porém não é fixado em qual semana será. A divulgação da data acontece por meio de um post na página do Facebook, que possui quase 9 mil seguidores. São os próprios jovens que seguem a página que se encarregam de compartilhar com os amigos e avisar a data da missa.

Leonardo Lang, coordenador do Movimento Reviver e membro do Setor Juventude, que também participou do início do projeto, a “Missa Jovem” é uma iniciativa que mostra ao jovem que ele cabe na Igreja. “É algo que atrai o jovem e fixa nele que a Eucaristia é o centro da caminhada. Nessa missa eles se sentem acolhidos e para que o jovem seja igreja, ele precisa ser atraído”, disse Leonardo.

Pe. Jorge, Dom Amilton e Duani (Coordenadora do Setor Juventude da Arquidiocese de Cascavel)

Para o padre Jorge Ricardo Lindner, reitor do Seminário São José e responsável pelo setor Juventude na Arquidiocese, a Missa Jovem é uma oportunidade de atrair a juventude para a Igreja. “Os jovens podem se sentir num ambiente que foi preparado para eles. Tem o objetivo de evangelizá-los, de acolhe-los, sem recriminá-los. É um ambiente em que procuramos acolhe-los com alegria e, por meio da Missa, evangelizá-los”, disse o sacerdote.

A frente do projeto há 3 anos, padre Jorge destaca que a Missa é também uma ocasião de promoção vocacional. “Nós realizamos muitas iniciativas vocacionais, em todas as missas eu faço o convite aos jovens, rapazes e moças, para refletir sobre a sua vocação. Nós também tivemos numa missa a instituição do ministério de acólito e leitor de seminaristas e isso foi uma grande propaganda vocacional”, disse o padre.

Hoje casado e pai de dois filhos, Everton, que também é fundador da Missão Taborão na Arquidiocese de Cascavel, não consegue mais acompanhar pessoalmente as missas, mas consegue vislumbrar os frutos. “A primeira Missa Jovem reuniu umas 300 pessoas, lembro que ao final eu fui até à frente e disse que logo aquela Catedral estaria lotada de jovens. De fato, no final do primeiro ano do projeto, a Catedral já reunia tantos jovens que não havia lugar para todos sentarem. Percebo que foi algo que deu muito certo e que tem dado seus frutos”, disse Everton.

A Missa Jovem é uma grande resposta para a Evangelização da Juventude no Paraná

Como uma das iniciativas que mais tem dado certo quanto a evangelização da juventude no Paraná, a Missa Jovem é referência para a Pastoral Juvenil do Regional Sul 2 da CNBB. Segundo o padre Gustavo Florêncio, assessor regional da Pastoral Juvenil, essas missas são uma oportunidade de encontro que conduz à missão. “Os jovens vão para essas missas, participam, louvam, rezam, cantam, escutam a Palavra de Deus, se organizam também com o Setor Juventude, e depois levam para seus grupos, para suas paróquias e comunidades de base o que aprenderam ali. Então, para mim é uma grande resposta de evangelização atual. Aquilo que é realizado ali no tempo, horário, modo, linguagem, forma de expressão, estilo da celebração, sem perder em nada aquilo que é próprio da nossa fé, da liturgia, da doutrina, do magistério, da tradição, é uma resposta para o tempo de hoje”, afirmou padre Gustavo.

Dom Amilton Manoel da Silva é membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB e Referencial para a Pastoral Juvenil no Paraná

Dom Amilton Manoel da Silva, bispo nomeado para Guarapuava e referencial para a Pastoral Juvenil no Paraná, celebrou, em 2019, os 3 anos da “Missa Jovem” e recorda que, mesmo sendo uma noite fria e chuvosa, a Catedral estava repleta de jovens. “Foi um momento muito bonito. É uma missa simples, normal, a homilia é o ponto alto, e tem toda a dinâmica própria da juventude”, contou Dom Amilton.

No encontro com o Papa Francisco, na Visita Ad Limina Apostolorum, em fevereiro de 2020, Dom Amilton perguntou sobre a questão da juventude. “O Papa Francisco respondeu que é preciso esse dinamismo, Deus é jovem, a Igreja é jovem. Por isso, precisa estar num dinamismo constante, que inclui sempre a novidade. Não a novidade enquanto modismo, mas a novidade que implica a criatividade, em vista de Jesus Cristo, do Evangelho, da missão. Nesse sentido, não se trata apenas de uma Missa Jovem, mas é uma missa onde o jovem expressa sua fé e ao mesmo tempo torna público aquilo em que acredita, o compromisso dele com a Igreja e com a sociedade. Essas iniciativas são muito importantes”, comentou Dom Amilton.

Os quatro anos da Missa Jovem na Arquidiocese de Cascavel são inspiração para as demais dioceses do Paraná e também do Brasil, como algo que deu certo com a juventude. “É uma iniciativa que tem trazido o jovem para a Igreja, devido a linguagem, a pedagogia, a dinâmica, a atenção as necessidades dos jovens. Eles precisam disso diante da realidade social em que vivem. Eu acredito que é um tipo de projeto que ajuda, atrai e que é uma resposta para a nossa atualidade”, afirmou padre Gustavo.

por Karina de Carvalho – Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email