Sobre Clara, pokémons e televisão

Publicado em 11 de agosto de 2016 Por Seja o primeiro a comentar!
Montagem com o Pokémon e a cena do filme “Irmão Sol, Irmã Lua”, sobre a vida de São Francisco e Santa Clara.

Montagem com o Pokémon e a cena do filme “Irmão Sol, Irmã Lua”, sobre a vida de São Francisco e Santa Clara.

As interfaces levam hoje os usuários a praticamente qualquer lugar onde queiram ir. É um poder de teletransporte que já era muito procurado em outro meio: a televisão.

As fontes franciscanas falam de um Natal em que, prostrada no leito de enferma, Santa Clara de Assis não pôde participar das celebrações que reuniam suas irmãs de convento na Igreja de São Francisco, erigida logo após a morte do santo. O desejo de viver aquele dia com Deus, a quem ela dedicara toda a vida foi mais forte do que as contingências. E a resposta de quem tudo pode não a decepcionou: na parede do quarto foi projetada a cena que se passava na igreja.

Era uma transmissão ao vivo, e Clara passou a ver e ouvir a celebração em honra do Menino Jesus. Para o Papa Pio XII, estava mais do que justificada a escolha da padroeira da televisão que se popularizava naqueles finais da década de 1950, e que se comemora hoje, 11 de agosto.

Nos EUA, usuário posta em rede social print da tela que mostra Pokémon perto da cama em que sua mulher se prepara para ter bebê.

Nos EUA, usuário posta em rede social print da tela que mostra Pokémon perto da cama em que sua mulher se prepara para ter bebê.

Se antes a TV era procurada justamente por conta desse poder de trazer até o espectador a realidade almejada, e, a depender da empatia com o produto, chegava mesmo a imergi-lo na proposta apresentada, hoje os jogos online, em especial os de RPG, ultrapassam-na nessa empreitada.

A pergunta não é mais “o que você quer que eu traga até você?”, mas “aonde você quer ir?”.

No caso do Pokémon Go, há uma mistura entre o concreto e o virtual. É um jogo de realidade aumentada, que consiste em agregar ao mundo real camadas de informação digital, visível somente aos olhos de quem está usando um equipamento, nesse caso, o celular. Ao sair por aí, tentando capturar os bichinhos, o usuário entra em uma espécie de virtualização da própria vida, uma vez que os pokémons estão por aí no ombro da sua tia, na mesa do seu chefe ou na sala de parto, ao lado de sua esposa prestes a dar à luz.

Às duas perguntas anteriores, sobrepõe-se uma resposta: “Onde eu estiver é onde você quer ir”, diria o monstrinho fenômeno na cultura pop. Sem demonizar o Pokémon, parece inusitado que um personagem ou um jogo aponte onde se deve ir, e que essa direção tenha sido levada tão a sério.

A emoção, a sede de alcançar o objetivo, a persistência são alguns ingredientes que se misturam no jogador. Ninguém joga só por besteira, ninguém se sujeita a assistir algo só por assistir, existe algo que o faz parar para consumir determinado produto. Tudo isso está dentro de si, como dentro de Santa Clara existia o desejo de ver Deus. E no interior de cada homem há esse mesmo desejo de ver quem se procura por aí. Há sempre um impulso que vem de dentro. O que existe dentro de você?

Por comshalom.org

Emanuele Sales

|| Olá só a ideia que a equipe de redes sociais dos Jovens Conectados tiveram de unir a tecnologia 360º, o jogo e a fé, vamos jogar?!

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais