Saia do vale da morte e lute pela vida: é possível prevenir o suicídio

Publicado em 2 de novembro de 2015 Por Seja o primeiro a comentar!

0832_depress_eo

A defesa da vida, um valor tão importante para os cristãos, é muitas vezes um fardo pesado para algumas pessoas. Na juventude, época de empolgação e descobertas, a alegria típica dos jovens às vezes perde espaço para a tristeza e a falta de vontade de viver.
A maioria dos que comete suicídio no país apresenta um quadro de depressão. A doença pode ser tratada e diagnosticada precocemente para se evitar o pior.

De acordo com a OMS, 800 mil pessoas cometem suicídio todos os anos. E para cada caso fatal há pelo menos outras 20 tentativas fracassadas. No Brasil, o índice de suicídios na faixa dos 15 a 29 anos é de 6,9 casos para cada 100 mil habitantes, havendo, segundo a Unesp, um aumento de pelo menos 30% nos últimos 25 anos.

Uma das jovens que fazia parte dessa estatística era Patrícia Porto. Ela considerava sua vida um castigo. Diagnosticada com depressão, ela viu seus dias se tornarem um pesadelo. A doença lhe trouxe sintomas extremos e por pouco não acabou em morte. “Tomar banho era difícil, comer era difícil, as tarefas mais básicas se tornaram um problema. É uma batalha: você contra você mesmo. Dá uma vontade enorme de partir”, desabafa. Com tratamento psiquiátrico e terapia, além do apoio de familiares e amigos, os sintomas da depressão desapareceram junto com a vontade de desistir de viver.

Em todo o mundo, mais de um milhão de pessoas tiram a própria vida por ano. O número é maior do que o de homicídios. O tema ainda é visto como um tabu. Na mídia, o assunto é praticamente proibido. Esse silêncio é visto como prejudicial pelos especialistas, já que 90% dos casos poderiam ser evitados se houvesse mais conscientização e se os fatores de risco fossem identificados precocemente.

O presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo da Silva, alerta que se alguém sofre uma mudança de comportamento, é preciso logo procurar um psiquiatra. “Jamais as pessoas devem ter preconceito de procurar um médico psiquiatra, porque quanto mais rápido pedir ajuda, mais chances de problemas graves e irreversíveis serem evitados”, afirma o médico.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece atendimento gratuito para prevenção do suicídio há 53 anos. Atendentes voluntárias dão apoio emocional a quem precisa por telefone, chat ou de forma presencial. O site do CVV é o www.cvv.org.br e o telefone é o 141.

Familiares e amigos devem ficar atentos ao comportamento dos jovens com sintomas de depressão. Geralmente eles dão sinais de uma possível vontade de tirar a própria vida. Além de ajuda médica, amor, carinho e muita oração também podem salvar vidas.

Por Manu Catro, com informações da TV Brasil

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais