Por uma cultura de paz: rota da vida

Publicado em 22 de Fevereiro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

O encontro do projeto Juventude em missão, da Comissão Episcopal para a Juventude, que visa a valorização da vida e combate à violência, Rota da Vida foi um sucesso, quase 700 pessoas compareceram ao Teatro Gustavo Leite em Maceió – Alagoas. O evento preparado em parceria entre Unesco, Unicef e com a Arquidiocese da capital trouxe à tona o debate da missão juvenil a partir do sistema preventivo a fim de propor uma cultura de paz aonde a vida seja prioridade máxima no processo educativo. A cidade foi escolhida a partir do Mapa da Violência devido ao alto índice de homicídios na juventude, 15 a 29 anos.

A preocupação com o extermínio de jovens no Brasil, que em 2014 registrou mais de 25 mil assassinatos, sendo que mais da metade são de jovens!

Dados dos homicídios na capital do Alagoas

Fato é que os índices de homicídios em jovens no Brasil é um número preocupante, a estudante Mariana Lima do sétimo ano do município de Maceió reforçou que sente medo em sua cidade, que a violência devia acabar e por isso o momento foi muito importante para buscar respostas! Falas semelhantes foram destacadas pela população presente em que levou-se em consideração como a violência está assiduamente presente e tem que lutar para não misturar no meio da criminalidade e drogas principalmente nas regiões periféricas em que as vidas ceifadas chegam aos elevados índices .

Por isso o  Rota da Vida tem seu cerne no debate e desenvolvimento de Políticas Públicas que promovam a cidadania, a vida, vida plena, assim como propõe o evangelho, a Boa Nova de Cristo: a vida em abundância. Indo contra qualquer tipo de atitude divergente do proposto.

A juventude foi convidada a debater, confrontar e ir muito além dos números do Mapa da Violência, mas descobrir a origem do problema e executar Políticas Públicas além do protagonismo juvenil a partir do ímpeto missionário.

O seminário trouxe conferencistas que elucidaram o debate e ouviram as demandas dos presentes. Foram quatro mesas durante todo dia, e ao findar de cada mesa passou-se a palavra ao público. Pela manhã o arcebispo local, dom Antônio Muniz Fernandes, reafirmou a importância do momento e mostrou a unidade enquanto Igreja dos projetos que caminham juntos, como o Rota da Vida e a Campanha da Fraternidade 2018 que tem como tema a superação da violência a ser difundido.

arcebispo local, dom Antônio Muniz Fernandes

O doutor em Pedagogia Social Geraldo Caliman, membro da Cátedra da Unesco conduziu a primeira mesa a partir da perspectiva teórica sobre a superação da violência. Seguido do professor Rui Aguiar, membro da Unicef e do Comitê Cearense de prevenção de homicídios e a doutora da UNIFAL Elaine Pimentel. No segundo turno aconteceu uma mesa de debate entre diversas expressões juvenis e o encerramento se deu com uma mesa com o Secretário de Estado da Segurança Pública, Secretária de Educação e Padre Walfran representante da arquidiocese.

O doutor Caliman trouxe em sua formação um contexto histórico para que o público-alvo compreendesse como a violência destaca-se e cresce. De modo que os fatores sociais influenciam o contexto onde serão aplicadas as Políticas Públicas.

Professor e doutor em Pedagogia Social –  Geraldo Caliman

Rui Aguiar, membro da Unicef e doutor da Universidade Federal do Ceará, apresentou um estudo de caso em que a Unicef mapeou 12 pontos da mortalidade, e a partir dos pontos foram desenvolvidas parcerias e projetos para diminuir as vidas ceifadas.

Professor especialista em Políticas Públicas –  Rui Aguiar Unicef

As mesas instigaram os presentes, e mostraram que existe saída e precisa-se de ações tanto por parte da Igreja quanto do Estado. A partir da realidade local ressaltou-se a importância das assistências chegarem até os locais de homicídio para tentar prevenir a partir de uma abordagem civilizada, como trouxe a professora Elaine Pimentel socióloga da Universidade Federal de Alagoas, mostrando a realidade in loco da capital alagoana e o déficit de estruturas simples, como saneamento e lazer, para que aumentassem os números criminais.

Outro momento rico do Rota da Vida foi a troca de experiências, a partir de iniciativas de sucesso como a do

Na foto da esquerda para direita: Roberto, Gabriela, Cauê, Peterson e Carolina

Comitê do Ceará, bem como a presença das experiências de quem é parte interessante, os jovens.

Pela tarde quatro jovens reverberam seu discurso nas experiências locais e apresentaram o papel de promoção cidadã que exercem. Os jovens presentes colocaram em pauta as dificuldades de estarem inseridos no cenário de maiores índices de violência. Na composição da mesa tivemos os jovens representantes da sociedade civil e de movimentos católicos. Roberto, Gabriela, o mediador foi o representante do Setor Juventude de Maceió Cauê Castro, Peterson e Carolina debateram com os presentes.

O educador social, Roberto Leite, presente na mesa expôs que a realidade a qual estão inseridos muitos acham mais atrativos e fáceis o acesso ao crime pelo fascínio que ele traz, e que cabe ao jovem, perante sua formação fazer a dura escolha de ir por outro caminho não condicionado, mas que infelizmente são a minoria que fazem tal escolha devido as dificuldades e falta de assistência de instituições envolvidas, desde o cerne familiar, na escola, na sociedade e na igreja e que o debate presente foi válido e precisa ser replicado a fim de encontrar soluções para a juventude.

As demandas e reivindicações foram tabuladas, posteriormente, após a visita em outras capitais será produzido um documentário para oferecer à sociedade os dados coletados.

A intenção é que o Rota da Vida seja um estímulo a fim de conceder respostas e soluções a partir de políticas públicas para o problema da violência juvenil, visando a elaboração de ações locais, estaduais e até mesmo pelo plano nacional da juventude pelo Governo Federal.

O pontapé inicial significou muito para a Pastoral Juvenil, segundo pe. Toninho Ramos, “este é o caminho, a Rota da, e para a vida da juventude, o dia de hoje foi um grande estímulo pastoral e quem sabe auxiliarmos na elaboração políticas públicas para que esses jovens encontre a vida plena em Cristo, a verdadeira Rota da Vida”.

Para acessar as apresentações clique abaixo:

apresentação Rui Aguiar

apresentação Geraldo Caliman 

Violência em Alagoas_pensando estratégias de enfrentamento Elaine

secretarja de Educação

Lembramos ainda as próximas data do Rota da Vida:

09/03 – Natal – Rio Grande do Norte

23/03 – Fortaleza – Ceará

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais