Obras de Misericórdia enriquecem o último dia da Semana Missionária

Publicado em 29 de julho de 2017 Por Seja o primeiro a comentar!

Foto: Jovens Conectados

O jovem João Danilo, da Diocese de Apucarana-PR nos contou que essa semana significou uma renovação em sua vida, “assim como no nome do meu Movimento, o Renascer, eu renasci, me sinto renovado, transformado”.

Segundo padre João Chagas, do Dicastério para os Leigos, Família e Juventude do Vaticano, os projetos da Comissão para a Juventude falam muito no contexto nacional e internacional, pensando nisso, um dos momentos vivenciados estes dias pelos jovens recorda o tema da JMJ em Cracóvia “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia” (Mt 5,2.7)

Em sua visita ao México no ano de 2016, o Papa Francisco ao visitar a Penitenciária de Ciudad Juárez, falou que “não há lugar onde a sua misericórdia não possa chegar, não há espaço nem pessoa que ela não possa tocar”, “é o mistério da misericórdia divina”.

No dia 28 de julho, sexta-feira, o grupo visitou uma Penitenciária feminina em Tremembé-SP, a Santa Maria Eufrásia Pelletier, que é conhecida por abrigar Suzane Von Richthofen, Elize matsunaga, e Anna Carolina Jatobá, nessa visita os jovens experimentaram a misericórdia de Deus.

João Danilo, ainda nos contou: “Independente do que elas fizeram e do que a mídia oferece para nós, ali pude ver que elas são pessoas normais como as outras, são filhas de Deus que se consideram esquecidas por Ele. Uma delas chegou a nos dizer que através da nossa visita sentiu o Amor de Deus, que somos reflexos do Seu amor na Terra. Não sentiram da nossa parte olhares de julgamento, preconceito, e sim de amor. Isso é algo que eu vou levar para o resto da minha vida. Muitas vezes julgamos o que os outros fizeram no passado, condenando essas pessoas. Nos esquecemos que todos podemos recomeçar, que temos uma segunda chance, por isso devemos rezar por aqueles que se encontram encarcerados. Eu rezo por cada uma que lá está”, conta emocionado.

Para Lara Fernandes, também da Diocese de Apucarana que não tinha noção da realidade prisional “desde o portão até o abraço das detentas foi uma realidade totalmente diferente da que vivo e só olhar no olho delas trouxe uma alegria muito grande para nós missionários”. Na saída da penitenciária o grupo comentou o Amor que sentiu e como realmente saíram de lá renascidos na Fé.

A inspiração final do último dia da Semana Missionária foi que a Palavra de Deus se tronou luz e guiou cada passo dentro do local, memorando-se assim a passagem  de Mateus “estive preso, e fostes visitar-me” e o pedido do papa Francisco que nos recorda que visitar os prisioneiros é uma das obras corporais de misericórdia mais desafiadoras, uma periferia existencial.

Por Maria Emília Duarte e Valesca Montenegro

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais