Missão Jovem: “Eu quero uma Igreja missionária,” e você?

Publicado em 30 de novembro de 2017 Por Seja o primeiro a comentar!

“Eu não quero uma Igreja tranquila. Eu quero uma Igreja missionária!” Papa Francisco

Fotos: Arquivo pessoal

Amanhã, dia 01, tem início a Missão Jovem 2017, na Diocese de Caxias (MA), os missionários já estão em solo maranhense e ansiosos pelo encontro com o povo, cultura, e o Deus que ali habita. Em sintonia com esses jovens e com o coração repleto de alegria e gratidão pelas expedições anteriores, nessa semana também celebramos a I Missão Jovem na Amazônia que completou 3 anos! Por isso, gostaríamos de revisitar algumas impressões, memórias de dias que marcaram a alma de 72 jovens missionários!

A vida segue o ritmo do Rio

“A estrada na Amazônia é o rio, de Manaus para Parintins,  eu e meu grupo levamos 18 horas de barco na ida, na volta, quase 36 horas, outros amigos levaram mais horas navegando. Dormíamos e descansávamos na rede,  a noite deitávamos na proa do barco para admirar o céu, tão azul repleto de estrelas, nenhum som além dos animais, nada além da floresta nas margens do rio. Sem perceber, comecei a partilhar a grandeza de sair de si e ir ao encontro do outro, e voltar transformado, porque o Jesus que vive na Amazonia é incrível! Ao lembrar dos dias de missão, me vejo sorrindo, sinto uma alegria e gratidão a Deus por ter me permitido conhecer um povo tão simples e de coração imenso. Um povo que vive com o que a Natureza oferece e respeita a criação de uma forma inacreditável. Eu estive na Diocese de Parintins, e fui para comunidades ribeirinhas da Vila Amazônia, certo dia fomos tomar banho no Rio, logo que chegamos, nosso guia, um ‘curuminzinho’ não nos deixou entrar no Rio, pediu que esperássemos, o observei atentamente, se aproximou do Rio, colocou a mão na água e fechou os olhos, acho que permaneceu assim por uns três minutos, levantou e vindo em nossa direção disse: ‘a gente precisa pedir licença para a Mãe Terra, tudo é dela, tudo é de Deus, nada é nosso, isso é respeito!’, só depois que todos nós entendemos a ‘sacralidade’ desse contato, entramos no Rio. Não voltei a mesma pessoa, meu coração é amazonense e vermelho e eu jamais esquecerei do olhar e do sorriso de uma gente que me deu esperança e que muito me ensinou sobre a vida”.

Grupo de Parintins no barco com Dom Giuliano Frigeni

Visitas missionárias

Valesca Montenegro, Movimento dos Focolares – Diocese de Santo Amaro – São Paulo/SP

Aprendizado de VIDA

“Eu vivo na região amazônica (Acre), mas conhecer a realidade indígena Macuxi foi divino. Conhecer o Deus que o outro traz foi maravilhoso. Fui abençoada em ter sido escolhida para participar deste momento, por ter conhecido as pessoas que conheci e ter feito as amizades que fiz. A Missão Jovem na Amazônia me proporcionou um aprendizado que jamais esquecerei”.

Karol, ao centro com amigos da Missão

Karoliny Rosas – Diocese de Rio Branco /Acre

Constante estado de MISSÃO

“Missionar na Amazônia foi uma das melhores experiências da minha vida! Através dela encontrei com um Deus simples, alegre mesmo diante de tantas dificuldades. Apesar dos 3 anos, a Amazônia ainda me provoca em querer ser simples também, ir onde ninguém vai, estar com quem ninguém quer, lutar por aqueles que ninguém luta. Após essa experiência, posso dizer que entrei num estado permanente de missão”.

Geovanna, ao centro com camiseta da JMJ-Rio 2013

Geovana Gabriela da Silva Mendes, Juventude Missionária, Curitiba/PR

“Tu te torna eternamente responsável pelo o que cativas…”

“#PrimeiraMissãoJovemNaAmazônia, foi e é um divisor de pensamentos, da visão do outro como pessoa e das formas que Deus se manifesta na diversidade e particularidade de cada um! Experiência que vivo até hoje. Mesmo com a enorme distância física, que se localiza a comunidade indigena Morro, na Raposa Serra do Sol – Diocese de Roraima, vivo em constante sintônia com  os irmãos Macuxi! Já fiz um retorno a missão e tenho um outro previsto para setembro de 2018, quando que ocorrerá na comunidade Morro, o Encontro da Juventude Macuxi. Missão é ir… mas também cuidar! Não devemos cativar se não vamos estar por ‘perto’ para continuar a partilha”!

Ivan Ferreira Varjão, Movimento Segue-me – Diocese de Barra do Garças – MT

IDE…

“A presença viva de Jesus  nesta experiência traduziu toda a nossa alegria de termos sidos enviados por ele. Essa experiência foi marcante em nossas vidas, e tenho certeza que nunca mais seremos os mesmos diante de tudo que vimos, ouvimos e vivemos. Conseguimos sair do nosso mundo, e fomos viver o mandato de Cristo nas terras amazônicas: ‘Ide e fazei discípulos todos os povos (MT 28, 19).'”

Gabriel, na ponta do lado direito de chapéu de palha

Gabriel Soares – Rio Branco/ Acre

Uma experiência de FÉ

“Ter participado da primeira Missão jovem foi muito importante para minha fé, pois, presenciei momentos únicos de fé que para nós pareciam ser impossíveis. Uma das coisas que me chamou atenção foi visitar uma comunidade ribeirinha distante, essa comunidade estava há 3 anos sem ter Missa. Ficaram muito felizes com a nossa chegada, principalmente com a notícia que junto com os missionários havia um padre. O que me impressionou foi que mesmo sem ter Missa por três anos todos os domingos eles celebravam a Palavra, eles tem uma fé inexplicável. Teria muitas outras coisas para contar, relembrar esses momentos me emocionou, tudo o que vivemos foi especial, e já se passaram  três anos e ainda tenho a impressão de ter sido ontem…”

Luis Fernando, ao centro de azul com parte do grupo missionário e paroquianos

Luis Fernando Rosa Ramos  –  Diocese de Cuiabá/MT

“Só o que sinto, explica o que eu faço”

Para Katyuscia  Dantas, da Diocese de Caicó, Acari – Rio Grande do Norte, uma frase de Santa Teresa de Calcutá representa de forma singela os dias de missão: “Toda vez que você sorri para alguém, é uma ação de amor, um presente a essa pessoa, uma coisa linda”.

Esses foram pequenos relatos da I Missão Jovem na Amazônia, fique ligado que em breve teremos mais relatos da Missão Jovem 2017!

Por Valesca Montenegro, redação Jovens Conectados

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais