Mensagem de Dom Nelson para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Publicado em 5 de junho de 2019 Por Seja o primeiro a comentar!

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e a Pastoral Juvenil: As feridas da divisão e a almejada unidade!

Papa Francisco presidindo as Vésperas na Basílica de São Paulo Fora dos Muros (18/01), iniciando a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (que no Brasil é celebrada entre a Ascensão e Pentecostes ) com o tema: “Procurarás a justiça, nada além da justiça”. (Foto: Vatican news).

Nestes dias, entre a solenidade da Ascensão do Senhor e a celebração de Pentecostes, a Igreja celebra a “Semana de oração pela unidade dos cristãos”. Para refletirmos sobre este momento, podemos recorda as palavras do Papa Francisco em sua visita recente à Bulgária: “As feridas que, ao longo da história, se abriram entre nós, cristãos, são dolorosos golpes infligidos no Corpo de Cristo, que é a Igreja. Ainda hoje, tocamos com a mão as suas consequências. Mas, se colocarmos, juntos, as mãos nestas feridas, confessarmos que Jesus ressuscitou e o proclamarmos como nosso Senhor e nosso Deus; se reconhecermos nossas faltas e nos deixarmos imergir nas suas chagas de amor, talvez possamos reencontrar a alegria do perdão e regozijar-nos por aquele dia em que, com a ajuda de Deus, poderemos celebrar o mistério pascal no mesmo altar”.

A Pastoral juvenil precisa estar atenta a esta ferida de divisão que se abre cada vez mais entre os cristãos, para assumir o compromisso em ser “jovens ecumênicos”, procurando viver com seu dinamismo na unidade, com a consciência da diversidade e de que há Um só Deus, uma só fé, uma só Igreja. A unidade teológica nos aponta a uma só esperança de que há no batismo, uma aliança que nos une como irmãs e irmãos.

Somos a família de Deus, o povo cristão: Devemos estar em comunhão; formar um só corpo, O corpo de Cristo, nossa única e verdadeira igreja. Reler a reforma protestante para não ser acolhida como divisão, mas como apelo de renovação que, historicamente nos fez refletir, acerca de um novo jeito de ser igreja naquele contexto de mudança de época. Precisamos nos reaproximar dos nossos irmãos separados para somarmos forças na evangelização desse mundo pós-moderno, que tanto nos desafia, para jamais desistirmos dele, fechando-nos em nossas históricas feridas e nossas ofensas, o que só nos enfraquece como discípulos e missionários na vivência do mandado final de Jesus Cristo. Temos que nos mover na convicção de que, são bem maiores as coisas que nos unem do que as que nos separam.

Dom Nelson para os jovens: “A Pastoral juvenil precisa estar atenta a esta ferida de divisão que se abre cada vez mais entre os cristãos, para assumir o compromisso em ser ‘jovens ecumênicos'”. (Foto: Jovens Conectados).

A vivência ecumênica nesses tempos que nos desafiam precisa se tornar cada vez mais presente na missão da Pastoral juvenil, que se empenha por uma sociedade mais compromissada com a vida e a justiça num novo jeito de ser igreja, onde todas as pessoas se sintam acolhidas e respeitadas em suas crenças, etnias e classes. Assim, vivamos esta circularidade ecumênica não só em alguns momentos isolados do calendário litúrgico, mas a coloquemos em nossas programações pastorais, fazendo-a  circular na igreja, para que não caia  no esquecimento o desejo de Cristo ”que todos sejam um…”, nesse momento em que as nossas rivalidades emergem sob a forma agressiva de polarizações, gerando tantas formas de ofensas, intrigas a quem ousa ser diferente, reforçando  a cultura da divisão e ódio, tão contrária a essência das mensagens do Evangelho.

Vamos intensificar a Pastoral juvenil do Brasil como a Pastoral do diálogo, justiça e da tolerância às diferenças, vivendo a radicalidade da caridade, dilatando a mística do ecumenismo cristã onde quer que seja: no interior da comunidade, em nossa pluralidade juvenil; na pluralidade de formas eclesiais e na sociedade como um todo.

“Que seja um, é o que Eu quero mais. Que seja um, é o que Eu quero mais… O Meu Amor é o que os torna capazes. Sem medo algum, se amem mais. Sem medo algum, se amem mais. O Meu Espírito é quem age e faz!”.

Dom Nelson Francelino Ferreira, Bispo de Valença (RJ), Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais