Juventude da Arquidiocese de Niterói realiza missão na Amazônia

Publicado em 22 de janeiro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

“Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). Cumprindo as palavras do Santo Evangelho, o Setor Juventude da Arquidiocese de Niterói/RJ realiza, pelo 3º ano consecutivo, da missão em União Bandeirantes, na Área Missionária Alto Rio Madeira da Arquidiocese de Porto Velho/RO, uma missão marcada pelo protagonismo juvenil como discípulos-missionários. A Missão de Férias 2018 acontece de 19 de janeiro a 04 de fevereiro.

Diferente da Missão de Férias 2017, que visou a busca pela promoção social e desenvolvimento da dignidade humana, neste ano, o último da missão em Rondônia, onde os jovens com formação nas áreas de Administração, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Design Gráfico, Direito, Fonoaudiologia, Musica, Odontologia, Pedagogia, Educação Física, Psicologia, Serviço Social entre outras áreas correlatas as acima citadas, auxiliarão no objetivo de construir lideranças que auxiliarão na continuidade dos trabalhos já iniciados e na construção de novos projetos visando o desenvolvimento da comunidade.

Na capacitação de lideranças serão trabalhadas as características, desafios e vida espiritual do líder católico, além de buscar aprimorar a comunicação oral e a didática para futuras pregações. Haverá também atividades para a capacitação em empreendedorismo, comunicação visual, formação de lideranças da comunidade, além dos atendimentos odontológicos, psicológicos, de serviço social e assistência jurídica, colônia de férias para crianças e um acampamento para jovens.

A jovem da Arquidiocese de Niterói, Franciellen Amorim, de 25 anos, que está indo pela segunda vez a Rondônia, conta o que espera: “Minha expectativa é contribuir para a formação e qualidade de vida da comunidade. Me sinto grata pela oportunidade de participar desse projeto tão lindo e de ver como o pouco que fazemos se torna muito ao ser acolhido e multiplicado na comunidade. Sempre visamos o desenvolvimento de autonomia por parte da comunidade e quando vemos ela dando continuidade ao que ajudamos a iniciar e desenvolvendo novas ações, o nosso coração se alegra e temos em Deus a certeza de que a missão de fato foi cumprida”.

Por: Louise Schelck/Setor Juventude

 

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais