Jovens em missão no Haiti

Publicado em 26 de julho de 2017 Por Seja o primeiro a comentar!

No Brasil estamos vivendo a Semana Missionária pelas Dioceses banhadas pelo Rio Paraíba, pensando nas missões além-fronteiras a Arquidiocese de Juiz de Fora – MG, decidiu ir ao Haiti. Desde o dia 17 de Julho sob a liderança do Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, a visita tem como objetivo estudar a possibilidade da criação de uma base avançada de missionários no país, que há sete anos foi atingido por um devastador terremoto. Além de Dom Gil, integram o grupo, o bispo da diocese de Leopoldina, Dom José Eudes Campos do Nascimento e cinco pessoas pertencentes ao grupo Jovens Missionários Continentais (JMC).
O grupo foi acolhido pelos frades franciscanos da Providência de Deus e estão hospedados em sua residência, na cidade Croix-Des-Bouquets, na grande Porto Príncipe.

Pelas ruas das periferias de um dos países mais pobre das Américas, os missionários Ana Maria Roberto, Marina Lopes de Assis, Wilmar José Pereira de Carvalho, Myria Izabel Carvalho de Araújo e William Câmara de Araújo, começaram a estudar formas de ajudarem ao povo haitiano, que enfrentam situações extremas como fome e a falta de saneamento.

Sínodo
Realizado em 2009, o Sínodo Arquidiocesano teve como tema “Arquidiocese de Juiz de Fora: uma Igreja sempre em missão”,  a visita ao Haiti está em sintonia com o que Papa Francisco tem nos exortado: a necessidade de uma Igreja em saída e que olhe para as periferias.

Histórico
O país tem sido atingido por dolorosas catástrofes naturais, como o terrível terremoto de 12 de janeiro de 2010 que matou mais de 200 mil pessoas, tendo destruído o Palácio Presidencial, a Catedral de Porto Príncipe, oitenta por cento das casas, prédios públicos e comerciais. Neste terremoto, morreu a Dra. Zilda Arns que ali estava para implantar sua ação caritativa, a Pastoral da Criança. Também faleceu na ocasião o Arcebispo de Porto Príncipe Dom Joseph Serge Miot, vários sacerdotes e 18 militares que integravam a missão de paz da ONU no Haiti, liderada pelo Exército Brasileiro.
A Arquidiocese teve o primeiro contato com o povo haitiano através da campanha de arrecadação de água mineral, materiais de higiene e limpeza após o furacão Matthew, que atingiu o país em outubro de 2016.

Mãos na massa!
No Haiti, os missionários estão acompanhando os trabalhos realizados pela fraternidade como atendimento odontológico, médico, nutrição, produção de pães e auxiliando na distribuição de leite e biscoitos para aproximadamente 250 crianças, que vem diariamente para se alimentarem.
Embora as dificuldades sejam visíveis no país, os missionários relatam dias de agradável convivência, participando das orações e celebrações, aprendendo sobre a língua crioula e a cultura do país.

Por Ana Maria Roberto, integrante do grupo de jovens Missionários Continentais, adaptação Valesca Montenegro

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais