Jovens detidas e papeleiros foram protagonistas na Semana Santa gaúcha

Publicado em 6 de abril de 2015 Por Seja o primeiro a comentar!

unnamed (2)

As celebrações do lava pés realizadas na tarde da última quinta-feira Santa (2), na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo do Rio Grande do Sul (FASE) e na Vila dos Papeleiros deram um passo rumo ao Bote Fé segunda edição a ser realizado no Anfiteatro Por do Sol, nos dias 31 de outubro e 1° de novembro de 2015, em Porto Alegre.

FASE

Como etapa #EmMissão, Dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre, presidiu a celebração do lava pés na FASE para 36 adolescentes. “O convite é botar fé na vida. Precisamos acreditar que a vida das meninas que estão no momento cumprindo pena é apenas uma fase para uma vida nova. Confiar que elas podem mudar o curso de suas vidas e dizer a elas que tem tantos outros jovens apostando nelas. Botar fé, botar confiança, assim como Deus coloca fé e confiança em todos nós. As periferias existenciais podem ser revertidas com a soma de todos nós juntos. O nosso sonho e a nossa causa é o sonho e a causa de Jesus: Vida e vida em abundância para todos”, enfatizou Dom Jaime.

Dom Jaime lavou e beijou os pés de quase todas as meninas, gerando muita emoção. Além desse ato, foram distribuídas fitas para serem amarradas no pulso. “Quando olharem para a fita lembrem que tem muita gente torcendo por vocês. Poderíamos fazer um pacto entre nós, não olhar para trás. O futuro é de cada um de nós”, pediu Dom Jaime.

Uma das jovens relatou que a fitinha é um novo começo. “Eu boto fé que nunca é tarde para começar e eu vou sair daqui e começar outra vida lá fora, eu comecei outra vida aqui dentro e preciso da parta aberta para continuar lá fora”, afirma ela.

Papeleiros

unnamed (1)

Na Vila dos Papeleiros, no Galpão de Reciclagem, a celebração foi presidida por Dom Leomar Brustolin, novo Bispo Auxiliar de Porto Alegre.

Para a coordenadora do Serviço de Evangelização da Juventude, Ir. Zenilde Fonte, se aproximar das pessoas que trabalham com reciclagem significa que lavar os pés é dizer que todos são iguais e podem aprender uns com os outros. “O nosso ser cristão neste mundo precisa ser uma mensagem diferente, vamos ao encontro das diferentes realidades para recolher aprendizagens de vidas e partilhar que acreditamos na vida, na força da juventude, que somos irmãos e irmã”, diz.

Ela acredita que o ato retoma o gesto de Jesus. “Vamos ao encontro para na gratuidade viver o encontro e abraçar e juntos aprendermos a sonhar o sonho de Cristo ao fazer o gesto de lavar os pés”, relatou Zenilde.

Na celebração com os papeleiros foram distribuídos  pães e as fitinhas, como sinal da presença da Igreja no meio desta comunidade. As celebrações aconteceram pela articulação e apoio de diversos jovens engajados na missão juvenil da Arquidiocese de Porto Alegre.

Por Judinei Vanzeto

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais