Jovens de escolas salesianas são escolhidos para levar Tocha Olímpica

Publicado em 4 de maio de 2016 Por Seja o primeiro a comentar!
Foto: Divulgação/Comitê Olímpico.

Foto: Divulgação/Comitê Olímpico.

A poucos meses das Olimpíadas Rio 2016, a Rede Salesiana de Escolas (RSE) já tem um educador e duas alunas representantes para levar a tocha olímpica no seu percurso pelo país.

O Revezamento da Tocha Olímpica, como a jornada da tocha pelo Brasil é chamada, teve início em 3 de maio e mobilizará diversos atletas, de várias idades, e também voluntários das Olimpíadas.

Representando a Rede Salesiana de Escolas (RSE), já foram escolhidos o voluntário Leandro Garcia Neto, professor de Ensino Religioso dos colégios Nossa Senhora do Carmo de Belém e Ananindeua, no Pará; Eduarda dos Santos, aluna do Colégio Salesiano Dom Bosco, na Bahia; e Jéssika Azevedo, estudante do Colégio Salesiano Dom Bosco de Parnamirim, no Rio Grande do Norte.

Eduarda dos Santos

Eduarda tem 16 anos, é estudante e nadadora do Colégio Salesiano Dom Bosco (Paralela) de Salvador. Recebeu a carta de convocação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para levar a Tocha Olímpica no dia 24 de maio, quando esse que é um dos principais símbolos das Olimpíadas passará pela capital baiana. Embora ainda faltem várias semanas, já está empenhada em seguir as orientações do Comitê.

A aluna é uma das promessas olímpicas para 2020 e valoriza o incentivo ao esporte na escola salesiana: “Fazer natação no Colégio Salesiano para mim é importante também porque moro perto da escola. Creio que conseguirei participar das Olimpíadas de 2020 e quero trazer medalhas para o Brasil. A natação é parte da minha vida; vai me dar um futuro promissor e muitas oportunidades”, afirma a jovem.

Jéssika Azevedo

Jéssika tem apenas 13 anos e sua missão será levar a Tocha Paralímpica na sua passagem pelo Estado do Rio Grande do Norte. Aluna da 8ª série no Colégio Dom Bosco de Parnamirim, Jéssika é paratleta no esporte de bochas e se diz muito feliz pela escolha, além de surpresa: “Sabia ter sido pré-selecionada, mas, quando me confirmaram, não podia acreditar”, comemora.

Jéssika ainda é muito nova para participar das Paralimpíadas do Rio, mas contou que está se preparando para um torneio escolar no fim do ano, quando representará sua escola.

Leandro Garcia Neto

Leandro Garcia, professor de Ensino Religioso nos colégios Nossa Senhora do Carmo de Belém e Ananindeua, conduzirá a tocha em seu percurso pela cidade de Belém-PA. Voluntário dos Jogos Olímpicos e amante do esporte, Leandro compartilhou com seus alunos, em 2014, seu antigo sonho de participar das olimpíadas. Foi uma ex-aluna salesiana, Anna Lelis, quem indicou o educador no site Bradesco, que promoveu um concurso para escolher os condutores da Tocha.

Em sua indicação no site do concurso, intitulada “Um homem sonhador”, Anna apresenta Leandro como um “cara simples, respeitador e inspirador. Um ótimo professor, que estimula seus alunos a seguir seus sonhos”, e conta um pouco da história de vida do educador, que sempre quis participar desse momento. “Participar do revezamento como condutor da Tocha Olímpica é muito mais que a realização de um sonho. Quem me apresentou aos jogos olímpicos foi o meu avô, Laurentino Garcia, quando tinha cinco anos. Nos jogos de Barcelona, em 92, ele já tinha partido para perto de Deus. Desde então comecei a sonhar com a possibilidade de ser voluntário dos Jogos Olímpicos”, revela.

Ao falar sobre o esporte, Leandro ressalta também a sua importância no contexto salesiano. “É muito importante para os jovens e crianças salesianas, pois permite uma interação com o outro. Possibilita que valores como amizade, respeito e excelência sejam colocados em prática”, conclui.

Revezamento

Organizado pelo Comitê dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o revezamento das Tochas Olímpica e Paralímpica envolverá 325 cidades pelas quais as tochas passarão até chegar à cidade-sede dos Jogos, o Rio de Janeiro. Dentre os vários condutores da tocha pelo Brasil estão a ex-ginasta Laís Souza, a jogadora de vôlei bicampeã olímpica Fabiana, o jovem arqueiro indígena Gustavo dos Santos e o nadador paralímpico Clodoaldo Silva.

Por Comunicação RSE, com informações de Cileide Siqueira, Gigliola Sena e Leandro Garcia Neto

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais