Jovens comentam sobre Sínodo para a juventude: “Nós somos a Igreja!”

Publicado em 27 de setembro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

Coordenadores jovens de diferentes grupos e movimentos da Igreja Católica citam importância da juventude no trabalho de evangelização.

Alice Pinheiro, Whitney Oliveira, Camila Cezar e Rafael Barbosa são jovens de idade entre 22 e 31 anos, que escolheram se dedicar ao trabalho de evangelização. Coordenadores respectivamente do Movimento de Cursilhos de Cristandade (MCC), Aldeias de Vida, Ministério Universidades Renovadas e do grupo de jovens “Caminhando com o Espírito Santo” — todos da Diocese de Lorena (SP) —, os jovens se mostram atentos ao Sínodo dos Bispos que acontecerá no mês de outubro, no Vaticano, e terá como tema a juventude.

Alice Pinheiro, coordenadora do MCC da Diocese de Lorena/ Foto: Arquivo Pessoal/ Alice Pinheiro

“A Igreja está tentando nos conhecer melhor para poder nos acolher melhor”, afirmou a coordenadora do MCC, Alice, a respeito dos esforços realizados pela Igreja em prol do Sínodo. Na opinião da jovem, muitos ainda desconhecem valores essenciais sobre a Igreja. “É bacana ouvir o jovem para entender melhor suas necessidades”, opinou o coordenador das Aldeias de Vida, Whitney, que enalteceu a importância do jovem se ver não como um expectador, mas como um membro da Igreja. “Nós somos a Igreja!”.

Camila Cezar, coordenadora do Ministério Universidades Renovadas/ Foto: Arquivo Pessoal/ Camila Cezar

Para o coordenador do grupo de jovens “Caminhando com o Espírito Santo”, Rafael, quanto mais próxima a Igreja está do jovem, mais faz com que ele se sinta importante. “Todo jovem gosta de se sentir parte de algo”, pontuou. Camila, do Ministério Universidades Renovadas, recordou a iniciativa do Papa em ouvir a juventude na reunião pré-sinodal realizada em maio deste ano. “A partir do momento que o Papa escutou o jovem (…) ele pôde enxergar as entrelinhas do que temos vivido. Estamos em situações que percebemos outros desafios e a Igreja corresponde a nós com muita sabedoria”.

A confiança depositada no jovem é apontada por Camila como algo presente na convocação do Papa para o Sínodo. Tal ato demonstra a confiança não só de Francisco, mas de toda a Igreja na juventude. “Deus confia na juventude porque a juventude é aquela que tem o coração aberto, que não tem tantas resistências, tem uma força motriz interna para desenvolver algo novo, não tem medo de errar ou de encarar, aceita como desafio. Acredito que a partir do momento que a Igreja olha, se aproxima do jovem, ela faz com que ele se sinta vivo, e a Igreja viva também”, comentou a coordenadora do Ministério Universidades Renovadas.

Jovens do MCC durante retiro no último domingo, 16/ Foto: Arquivo Pessoal/ Alice Pinheiro

Os jovens e a evangelização

Os movimentos, grupos e ministérios da Igreja que contam com a participação ativa da juventude são vistos por seus coordenadores como uma oportunidade de evangelização para outros jovens. “O jovem é referência para outro jovem”, observou Rafael. Para Alice, o jovem, quando está ativo na Igreja, torna a Igreja mais jovem: “Sua presença desperta outros jovens a também trabalharem em comunidade”.

“Quando o jovem evangeliza outro jovem ele usa a mesma linguagem, pois partilha da mesma situação, da mesma realidade, de histórias semelhantes”, frisou Camila, que acrescentou: “O jovem mostra para o outro jovem que não é preciso procurar a Deus só no fim da vida, por medo de morrer e ir para o inferno, mas muito antes, por amor”.

Whitney Oliveira, coordenador das Aldeias de Vida de Lorena/ Foto: Arquivo Pessoal/ Whitney Oliveira

Para Whitney, a Igreja é o norte, a base dos valores cristãos, capaz de auxiliar o ser humano na fase de maiores dúvidas e questionamentos, a fase da juventude. Os movimentos da Igreja voltados para esta faixa etária são, para o coordenador das Aldeias de Vida, uma oportunidade de tornar os jovens melhores como ser humano, tendo como meta Jesus. “Ser jovem na Igreja é querer copiar Jesus nos gestos, nos atos”, comentou.

“Nós [jovens ativos na Igreja] passamos a chamar atenção por sermos diferentes, por termos um olhar diferente, uma forma de agir diferente, uma forma de se divertir diferente e aí começamos a evangelizar a partir dos olhos, as pessoas olham para nós e veem que somos diferentes. Quando outro jovem olha pra esses jovens, ele fica querendo ser como eles, e de certa forma isso o aproxima de Deus e do deseja de ser como Jesus”, frisou Whitney.

Os movimentos e grupos jovens

O MCC é, de acordo com Alice, um movimento que tem como objetivo despertar a liderança da juventude dentro da Igreja. “Ele proporciona ao jovem que participa das santas missas, mas não exerce nenhuma função em sua comunidade, a sentir-se despertado a este trabalho, traz ele para mais próximo da sua comunidade, da sua diocese, para que se torne presente no Movimento e na Igreja”, contou a coordenadora. Após realizado o encontro, os jovens cursilhistas, como são chamados os que participaram do retiro, têm encontros e ações sociais mensais. O Movimento reune aproximadamente 150 jovens das cidades de Lorena, Piquete, Cruzeiro, Cachoeira Paulista, Cunha, Resende e São José do Barreiro.

A vivência das Aldeias de Vida deve ser encarada, segundo Whitney, como um dom, uma forma de evangelizar. “Ela vem nos propor o que é ser um bom cristão. A metodologia da Aldeia consiste em um encontro consigo, com o outro e com Deus e, a partir de um retiro, temos esta oportunidade. Fora o retiro, temos encontros semanais aos sábados, show de talentos, gincanas, retiro de carnaval”, comentou. Para o coordenador, as atividades vão ao encontro da realidade dos jovens. “Queremos pessoas que amam a Deus e saibam viver”. O grupo de Lorena, das Aldeias de Vida, reúne cerca de 90 jovens.

Rafael Barbosa, coordenador do grupo de jovens “Caminhando com o Espírito Santo” de Lorena/ Foto: Arquivo Pessoal/ Rafael Barbosa

“O grupo de jovens Caminhando com o Espírito Santo é um grupo de oração pertencente ao movimento da Renovação Católica Carismática (RCC), com objetivo de levar o batismo no Espírito Santo, a experiência com Deus”, explicou Rafael. Segundo o coordenador, nas atividades do grupo é sempre utilizada a criatividade para arrebanhar e cativar os jovens. “Rezamos o Santo Terço, rezamos com Nossa Senhora, louvamos a Deus com danças e clamamos o Espírito Santo de Deus e depois partilhamos a Palavra”, afirmou o coordenador. Segundo ele, no grupo chegam a participar 50 pessoas.

O Ministério Universidades Renovadas da RCC tem como objetivo a evangelização no âmbito universitário e reúne aproximadamente 30 jovens divididos em 6 grupos de oração nas universidades. “Tudo que gera cultura e conhecimento é o nosso foco de missão”, revelou Camila. De acordo com a coordenadora, os universitários geralmente não moram próximos à sua família, então o grupo de oração acaba ganhando a conotação de família. “Dentro do grupo tem a partilha da vida, a oração com batismo no Espírito Santo e a pregação querigmática da Palavra”. O Ministério está dentro da pastoral universitária que é, segundo Camila, a soma de iniciativas de evangelização, como a promoção da Santa Missa, de adorações e de reza do terço.

 

Por noticias.cancaonova.com

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais