Em dia de São Jorge, jovens evangelizam no Rio de Janeiro e cultivam verdadeira devoção ao santo mártir

Publicado em 23 de abril de 2014 Por Seja o primeiro a comentar!

foto 2O soldado do Império Romando que viveu no século quatro possui grande devoção popular no Brasil. Na capital carioca, por exemplo, desde às 3h da manhã os fiéis lotaram a Igreja de São Jorge no centro da cidade.

E foi no local que jovens missionários da Comunidade Aliança de Misericórdia realizaram, durante o dia, atividades de evangelização e conscientização sobre a verdadeira história de São Jorge.

De acordo com a missionária, Brigitte Nunes, este serviço é imprescindível tanto devido à oração e aconselhamento aos fiéis, como para marcar a presença da Igreja. “Esta é uma festa de muita devoção popular no Rio e muito movimentada. Por isso, não estamos aqui apenas como Aliança de Misercórdia, mas como Igreja Católica”, enfatizou.

A aposentada Marlene Santoro foi uma das fiéis atendidas em oração e afirma que ficou admirada com a iniciativa dos jovens: “Achei maravilhoso! Parei aqui e quero participar”.

Santa Missa com Dom Orani 

O Arcebispo do Rio, Cardeal Dom Orani João Tempesta, celebra nesta quarta, 23, em diversos locais da cidade, sendo uma Missa campal na igreja dedicada ao santo no centro da cidade. Na região, serão celebradas 11 Missas durante todo o feriado e circulam cerca de 180 mil pessoas desde a madrugada, de acordo com a organização da festa.

“São Jorge foi um guerreiro!”, ressaltou Dom Orani ao destacar o exemplo do santo de firmeza na fé. Ainda segundo o cardeal, é necessário resgatar a verdadeira história do mártir que venceu o “dragão”, ou seja, o males e as dificuldade de sua vida. Da mesma forma, de acordo com o arcebispo, o cristão de hoje não pode ceder às tentações ou se deixar manipular por interesses que não condizem com a verdade.

História de São Jorge

O santo da Igreja católica foi um homem dedicado ao Evangelho e à caridade. Era soldado do Império Romano na época de Diocleciano que perseguia os cristãos. Contudo, disposto a não renunciar a fé, acabou sendo martirizado no ano 303.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos. Por isso, foi perseguido, preso e ameaçado.

A tradição atribuiu a São Jorge uma imagem que ficou bastante famosa, na qual se vê o soldado sobre um cavalo branco, com lança nas mãos e vencendo um dragão. Uma das lendas conta que, num certo lugar, existia um dragão que oprimia o povo. Ora eram dados animais a esse dragão, ora jovens. A filha do rei acabou sendo uma das sorteadas, até que apareceu Jorge que se compadeceu e foi enfrentar o dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu, por isso, muitos bens como recompensa, mas os distribuiu aos pobres.

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo.

São Jorge é considerado ainda padroeiro da cavalaria do Exército, dos escoteiros e da Superintendência Regional da Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Por Gracielle Reis, com informações do Portal Canção Nova

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais