“Cura e unidade, e não mais conflitos nem divisões”, diz papa em encontro ecumênico

Publicado em 14 de janeiro de 2015 Por Seja o primeiro a comentar!

REUTERS633848_Articolo

O Papa Francisco participou num encontro inter-religioso no Centro de Congressos de Colombo, no final da tarde de ontem (13), em Colombo, capital do Sri Lanka. Participaram também neste encontro representantes das religiões budista, hindu, muçulmana e também um bispo anglicano.

O Santo Padre no seu discurso fez um apelo à condenação do fundamentalismo. “A bem da paz, não se deve permitir que se abuse das crenças para a causa da violência ou da guerra. Devemos ser claros e inequívocos ao desafiar as nossas comunidades a viverem plenamente os princípios da paz e da coexistência, que se encontram em cada religião, e denunciar atos de violência sempre que são cometidos”.

O Papa Francisco recordou os anos da guerra civil no Sri Lanka para afirmar que o país precisa agora de “cura e unidade, e não mais conflitos nem divisões”.
“Espero que a cooperação inter-religiosa e ecumênica prove que os homens e as mulheres não têm de esquecer a própria identidade, tanto étnica como religiosa, para viverem em harmonia com os seus irmãos e irmãs”.

O Papa Francisco recordou ser esta visita muito especial por estar com a comunidade católica mas também com todos os homens e mulheres das outras religiões.
“É uma graça especial para mim poder visitar a comunidade católica daqui, confirmá-la na fé em Cristo, rezar com ela e partilhar as suas alegrias e sofrimentos. De igual modo é uma graça também poder estar com todos vós, homens e mulheres destas grandes tradições religiosas, que partilhais connosco um desejo de sabedoria, verdade e santidade”.

O Sri Lanka é um país de religião budista na maioria dos seus habitantes sendo que as religiões hindu, muçulmana e cristã se encontram em evidente minoria.
No final do seu discurso o Santo Padre formulou o desejo de que este encontro confirme em todos os esforços para viverem em harmonia e espelharem as bênçãos da paz.

Por: Rádio Vaticano

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais