Brasileiros no Sínodo: Entrevista com Dom Jaime Spengler

Publicado em 17 de outubro de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

O Sínodo dos Jovens segue com suas reflexões sobre a fé e o discernimento vocacional. As juventudes tem pedido a Igreja que Ela seja um auxílio nos caminhos de descoberta de suas vocações. Dom Jaime Spengler,  presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, entende bem desta temática e partilha conosco um pouco de suas expectativas e anseios deste período sinodal. Confira!

Jovens Conectados: Em sua opinião, como está sendo a atuação dos jovens neste processo sinodal?

Dom Jaime: Desde o início dos trabalhos de preparação para o Sínodo, houve a preocupação de envolver o maior número possível de jovens de todo o mundo. Os jovens responderam de forma magnífica! Não só católicos; também jovens de outros denominações religiosas, ateus, indiferentes, agnósticos. Tudo isso é sinal de um desejo da parte dos jovens de poder expor suas alegrias e esperanças, dores e angústias, incertezas e dúvidas.

Jovens Conectados: Qual as suas expectativas para a evangelização da Juventude, após o Sínodo?

Dom Jaime: O Sínodo certamente expressará a realidade da juventude mundial. Há muitas diferenças! No entanto, os participantes do Sínodo, em espírito de diálogo e oração, estão apresentando indicações para um trabalho de evangelização mais intenso junto aos jovens. Um dos grandes desafios da Igreja é certamente a transmissão da fé às novas gerações. Neste contexto, através da apresentação da realidade juvenil, do diálogo iluminado pela Palavra de Deus e da oração, creio que os participantes do Sínodo estão sendo surpreendidos pelo Crucificado-Ressuscitado e, assim, vão encontrando indicações ousadas para avançar no processo de evangelização juvenil.

Jovens Conectados: Quais os fatores que contribuem para um bom discernimento vocacional?

Dom Jaime: Discernimento vocacional tem a ver com conhecimento de si, oração e diálogo. Nesse processo é fundamental encontrar pessoas capazes de acompanhar o(a) jovem para que possa, num processo sereno e determinado, compreender para qual caminho de vida é chamado. Neste sentido, vale ressaltar o quanto o Instrumentum Laboris do Sínodo insiste sobre a questão do acompanhamento pessoal dos jovens, como também de pessoas aptas para esse serviço.

Jovens Conectados: Quais as contribuições que o Sínodo trará para a promoção vocacional destinada aos jovens?

Dom Jaime: Não sabemos que ações concretas o Sínodo poderá apontar para a promoção vocacional. Podemos, por enquanto, somente intuir. Uma primeira ação poderá ser certamente a oração. Esta é a primeiríssima ação, já apontada por Nosso Senhor. Uma segunda ação pode ser aquela que denominamos ‘testemunho’. O testemunho de pessoas que vivem sua vocação de forma determinada, alegre e generosa se torna ação concreta em favor de quem necessita fazer o caminho. Uma terceira ação pode ser aquela de convidar. O convite a participar de uma determinada forma de vida, criando tempos e espaços para que alguém possa, de algum modo,  perceber em que essa consiste, pode se tornar oportunidade de decisão de vida. Por fim, destacaria ainda a apresentação, por meio de vídeos, testemunhos escritos, pequenas biografias, de distintas vocações como caminho de realização humana e cristã.

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais