Beato Pier Giorgio Frassati, jovem indicado por Papa Francisco como exemplo de misericórdia

Publicado em 4 de julho de 2018 Por Seja o primeiro a comentar!

Hoje (04 de julho) é celebrada a memória litúrgica do Beato Pier Giorgio Frassati, esportista que influenciou São João Paulo II e que para o Papa Francisco é exemplo de misericórdia.

“Também eu, na minha juventude, senti o benéfico influxo do seu exemplo e, como estudante, fiquei impressionado pela força do seu testemunho cristão”, afirmou São João Paulo II sobre o jovem beato e esportista Pier Giorgio Frassati.

Pior Giorgio nasceu em Turim, Itália, em 6 de abril de 1901. Cresceu no seio de uma família muito rica. Seu pai foi o fundador e diretor do jornal ‘La Stampa’ e sua mãe, uma notável pintora que lhe transmitiu a fé. Em sua adolescência, cultivou uma profunda vida espiritual, tornou-se um membro ativo da Ação Católica, do Apostolado da Oração, da Liga Eucarística e da Associação de jovens adoradores universitários.

Decidiu estudar Engenharia Industrial Mecânica para trabalhar perto dos operários pobres e ingressou no Politécnico de Turim, onde fundou um círculo de jovens que buscavam fazer Cristo o centro de sua amizade. Teve uma vida austera e destinava à obra de caridade boa parte do dinheiro que seus pais lhe davam para gastos pessoais. Sua força estava na comunhão diária e na frequente adoração ao Santíssimo.

Foi esportista, esquiador e montanhista. Escalou os Alpes e o Vale de Aosta. Do mesmo modo, nunca perdeu a oportunidade de levar seus amigos à Santa Missa, à leitura das Sagradas Escrituras e à oração do Santo Terço. Quando completou 24 anos, foi diagnosticado com poliomielite fulminante, uma doença que o levou à morte em apenas uma semana. Partiu para a casa do Pai no dia 4 de julho de 1925 e teve um multitudinário funeral entre amigos e pessoas pobres.

São João Paulo II o beatificou em 1990 e destacou que “ele proclama, com seu exemplo, que é bem-aventurada a vida conduzida no Espírito de Cristo, Espírito das Bem-aventuranças, e que só aquele que se torna homem das bem-aventuranças consegue comunicar aos irmãos o amor e a paz”.

“Ele repete que verdadeiramente vale a pena sacrificar tudo para servir ao Senhor. Testemunha que a santidade é possível a todos e que só a revolução da caridade pode acender no coração dos homens a esperança de um futuro melhor”.

A Imagem do Beato foi entronizada durante os atos centrais da JMJ 2019 na Polônia.

Neste contexto, o Papa Francisco, em sua mensagem para a Jornada Mundial da Juventude – JMJ Cracóvia 2016 -, convidou os jovens a se tornarem instrumentos de misericórdia. E para incentivá-los e provar como é possível viver esse chamado concretamente, o Santo Padre recordou a vida do jovem beato Pier Giorgio Frassati.

Sobre ele, diz o Papa:

“Dizia ele: «Jesus faz-me visita cada manhã na Comunhão, eu restituo-a no mísero modo que posso, ou seja, visitando os pobres». Pier Giorgio era um jovem que compreendera o que significa ter um coração misericordioso, sensível aos mais necessitados. Dava-lhes muito mais do que meras coisas materiais; dava-se a si mesmo, disponibilizava tempo, palavras, capacidade de escuta. Servia os pobres com grande discrição, não se pondo jamais em evidência. Vivia realmente o Evangelho, que diz: «Quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua direita, a fim de que a tua esmola permaneça em segredo»(Mt 6, 3-4). Imaginai vós que, no dia anterior ao da sua morte, gravemente doente, ainda se pôs a dar orientações sobre o modo como ajudar os seus amigos necessitados. No seu funeral, os familiares e amigos ficaram estupefatos com a presença de tantos pobres, a eles desconhecidos, que tinham sido acompanhados e ajudados pelo jovem Pier Giorgio”.

 

Por Jovens Conectados, com informações acidigitala12.com

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais