Acolhida da imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida

Publicado em 29 de julho de 2017 Por Seja o primeiro a comentar!

A manhã em Aparecida foi especial para toda juventude, são 300 anos de aparição e 3 anos do projeto Rota 300. Os jovens acordaram cedo e deram o ponta pé inicial do encerramento do Rota 300 e foram para o Porto de Itaguaçu, local onde os pescadores encontraram a imagem no Rio Paraíba do Sul na cidade. Com muita animação e oração eles pularam, dançaram e acima de tudo mostraram o amor a padroeira do Brasil, aplaudindo a mãe!

A imagem de Nossa Senhora Aparecida percorreu mais de 50km, saindo do posto do exército em Pindamonhangaba e navegando pelas águas dentro do barco percorreu por mais de uma hora o trajeto que banha as seis Dioceses do Vale do Paraíba, com fogos de artifício, sob forte comoção dos populares e alegria jovem a imagem e a réplica da cruz peregrina da JMJ desembarcaram no Porto de Itaguaçu às 10h30. Para Mariana Pereira da Diocese de Votuporanga-SP, foi um momento único e emocionante “ver a mãe desembarcando assim tão próximo e recordando um pouco o que aconteceu há 300 anos nos deixa arrepiados, Ela é nossa mãe e intercessora”.

O reitor do Santuário Nacional de Aparecida, João Batista de Almeida, acolheu em suas mãos a imagem peregrina e posteriormente a entregou para que os jovens a colocassem no andor e a levassem em seus ombros, mostrando que a juventude

No palco do Porto os jovens rezaram e saíram em romaria até a basílica, todo o caminho foi embalado por preces e música, mostrando o rosto jovem a partir da diversidade e unidade em Cristo. O jovem João Daniel da Diocese de Caxias-MA, não deixou a alegria de lado em nenhum segundo, e em meio a animação o jovem falou: “isso aqui está muito bom, é muito bom ser jovem de Maria, que Ela continue abençoando e cuidando de nós”.

O caminho percorrido visa celebrar o fim do Projeto Rota 300, ressaltando a importância da devoção Mariana para a juventude católica, que segundo padre Jõao Chagas do Discattério para os Leigos, família e juventude do Vaticano que participou do momento, “Maria foi jovem e com a mesma alegria e fé que Maria teve e acreditou no Pai gerando Jesus, a juventude a tem como exemplo para acreditar e ter força para estar no mundo e ser jovem, sem ser mundano”.

Ao todo mais de 50 mil jovens participaram desses momentos entregando a Cruz e Imagem na Basílica Nacional e com a certeza de que a Romaria realizada para chegar à casa da mãe e o Projeto Rota 300 não se encerrava ali, pois o amor materno continua presente no cotidiano de cada um que acredita no amor materno que ensina a sermos pescadores de homens.

Por Maria Emília Duarte

/tags

/leia mais

/deixe seu comentário

/redes-sociais

/siga nossas redes sociais